[S] Donna Ivanovich Dzerjínsk

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[S] Donna Ivanovich Dzerjínsk

Mensagem por Hunted em Sab Dez 05, 2015 6:55 pm



✖ Solitary ✖

A noite era apenas o chamado, ninguém nunca esperava os seguranças aparecerem, principalmente por saberem que eles eram cruéis e estavam prontos para acabar com qualquer engraçadinho. O silêncio absoluto no meio do corredor, não havia nenhum detento perambulando por ali, afinal, todos sabiam o que acontecia com quem arriscava desobedecer as ordens da diretoria dos Hunted.

Os brutamontes estavam mascarados e com tranquilizantes, prontos para deter qualquer um que tentasse reagir. Eles seguiam sem nenhuma espécie de barulho, estavam todos cautelosos para chegar em uma determinada cela. Esta que era ocupada por Donna.

A porta da cela foi aberta com um empurrão, causando um estrondo pequeno ao se chocar na parede, mas o suficiente para acordar a garota. Em poucos segundos eles avançaram com seringas para desacordar a jovem, que estava de olhos abertos, pois havia acabado de acordar, estava meio sonolenta e não sabia como reagir perante a eles.

Alguns segundos depois a sorte estava lançada e isso dependeria apenas do desenvolvimento da jovem snake.

Levada para um lugar completamente diferente, não conseguiu ver o trajeto que foi feito. Tudo era muito claro, as luzes e a iluminação se tornavam cegantes para quem não era acostumado com o laboratório. Donna foi colocada em cima de uma maca, amarrada por correntes. Seus olhos abriam vagarosamente, observando a situação em que estava.

Uma descarga elétrica afetou o corpo da jovem, ativando todo o seu organismo para o teste da solitária.

Seus poderes estavam a flor da pele, ela sentia isso.

Ao seu redor não havia ninguém, apenas a sala branca e a maca no centro. Ao redor vidros escuros, extremamente rígidos e impossíveis de quebrar, mas quem estivesse do outro lado, conseguiria enxergar o que acontecia ali dentro.

Várias mini câmeras estavam espalhadas na sala, mas elas são tão minúsculas que dificilmente são vistas a olho nu. No teto uma grande luminária que projeta e cria alguma criatura qualquer, as vezes, mais de uma.

O corpo da jovem Donna estava completamente ativo, ela conseguia sentir muito poder nas mãos, mas com isso um som estridente pode ser ouvido, do centro da sala, como se algo estivesse sendo projetado.

Informações:


- Você esta na solitária e terá que narrar toda a situação feita a cima. Lembre-se de narrar que foi desacordada e depois abriu os olhos na sala branca.

- Seu corpo ainda esta acorrentado, não conseguirá se mover até que arranje uma forma de destruir as correntes.

- Seus poderes estão a flor da pele, você pode fazer praticamente TUDO na solitária.

- Fica a seu critério o que acontece dentro da sala branca. Invente todas as criaturas, humanos, robôs ou até monstros humanoides para combater na solitária, mas narre de forma coerente, nem sempre tudo irá dar certo.

- A criatividade é o seu limite.

- Faça em um único post, todo o desenvolvimento.

- Por estar na solitária, não poderá postar em nenhum outro tópico até ter feito este, exceto nas que você esta em aberto e precisa encerrar.

- Não existe prazo de postagem, mas só poderá postar em outros lugares após ser avaliado.

- Os prêmios são experiência, níveis.

- Depois de sair da solitária você vai enfraquecer e não poderá utilizar seus poderes como aqui.


Bem vindo a solitária, Órion Rahlström.
✖ Good luck ✖
© mr. houdini

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [S] Donna Ivanovich Dzerjínsk

Mensagem por Minerva I. Dzerjínsk em Qua Dez 09, 2015 9:59 am

FUCK THE SISTEM, I WILL RUNAWAY
"Estávamos em casa, eu, Cruella, e meu maldito pai bêbado. Ele com suas amigas na sala, nós trancadas no quarto tentando entender, com uma extrema raiva fluindo na pele. Éramos apenas bebês quando mamãe morreu, e crescemos na angustia de Viz, nosso pai que mais parecia o nosso cafetão e apenas esperava a hora certa para nos vender por um simples cigarro. Nesse dia, por volta das 2 da manhã, ele arrombou a porta sem mais nem menos, arrastou Cruella pelo braço até o quarto e eu conseguia ouvir os implorados 'Não, não faça isso comigo', mas nada podia fazer. Ela era 4 anos mais nova que eu, tinha apenas 6 anos. Mordi meus lábios e suspirei, saindo do meu quarto sem roupas e correndo até a cozinha, pegando uma faca e indo lentamente com faca em mãos até o quarto de tal. Bati na porta até ele abrir abotoando a calça a me olhar dos pés a cabeça com o mesmo olhar de quem estava faminto. Viu a faca na minha mão e sorriu irônico, a falar -Garota besta, acha mesmo que pode me deter com uma faca? Largue essa faca e venha cá com seu pai... - tomou a faca de minha mão e logo adentrei no quarto podendo ver Ella com a cara inchada de tanto chorar. Quis vir me abraçar, apenas a empurrei para fora daquele lugar. Fedia muito lá dentro, estava rodeado por camisinhas, cigarros, isqueiros e outras drogas ilícitas. -Papai, você tem que parar, por favor - olhava em seus olhos e suplicava. Quando eu o vi, estava me olhando diretamente em meus olhos e ficava de boca aberta, paralisado. Fechei a porta do quarto e sai correndo novamente para o meu, vestindo-me e voltando a me deitar. Senti um cheiro de carne podre, um odor que nunca havia sentido antes. Quando olho para o lado, a cama ensaguentada guardava o corpo da pequena Cruella, com uma faca no peito."
Acordei desesperada com guardas me puxando para fora da cela, esperneava e tentava fazê-los me largar, meus cabelos bagunçados e as lágrimas no rosto lembrava aquela noite. Sempre tive esse sonho, sempre o mesmo final, eu não conseguia mudar nada. Mas toda vez que eu sonho isso, agora sei que é uma premonição, como se eu sentisse que ela estivesse em perigo.Olhei para os lados, fiquei tonta, a iluminação era extremamente forte e eu só conseguia ver uns vultos como se eu estivesse lembrando de uma festa que estava muito chapada. Perdi as forças quando me atingiram com uma espécie de agulha em meu pescoço, não respirava de forma tão ofegante como antes e parecia pegar no sono.
Abri os olhos quando já estava numa sala inteira branca, uma lâmpada que iluminava todo sequer canto e de repente, uma dor. Uma dor que jamais senti, que parecia me eletrocutar invadiu dos meus pés à cabeça, durando apenas 4 segundos, mas pareciam tão compridos quanto um ano inteiro. Estava amarrada por fortes correntes, me sentia enérgica, minhas mãos tremiam com a adrenalina e eu apenas sorri irônica, eu precisava sair dali e buscar Cruella. Fechei os punhos tentando arrebentá-las, mas de nada adiantou. Gritei, ninguém me ouvia. Levantei um tanto a cabeça examinando o lugar em que eu estava, só tinha aquela maca em que eu estava, vidros escuros à minha volta, e... Calma. Vi algumas luzinhas vermelhas piscando, como se fossem mini câmeras. Não era possível enxergá-las, mas sei que estavam ali. Era um teste? Alguma prova?
Comecei a cantarolar calmamente de olhos fechados, conseguindo levantar um pouco da minha camiseta, deixando minha barriga a mostra. A minha voz era sensual e minha intenção era chamar algum guarda, alguém que quando seduzido me tirasse dali sem eu tiver problemas. Cantava cada vez mais alto, e depois de uns 7 minutos alguém entrou. Meus olhos agora estavam amarelados, nem ousei olhar quem entrara apenas mexia a mão, fazendo batidas na maca. Ele se aproximou. Olhei no fundo dos seus olhos e comecei a falar calmamente. -Me tira daqui meu amor, juro que terá recompensa minha para fora daquela porta... - sorria sem parar de olhá-lo. Ele começava a cambalear meio bobo, tirando as correntes do meu pé e dos meus punhos, ajudando-me a levantar como um verdadeiro cavalheiro. Sorri e lhe dei um beijo intenso por final, o empurrando até a porta vorazmente. Minhas mãos exploravam o corpo do moreno lhe deixando com prazer. Selei nossos lábios, respirando ofegante e sorrindo para o mesmo, até o ver abrir a porta saia correndo e lhe fechei ali, correndo para qualquer canto que eu pudesse ir. Meus olhos voltavam ao normal no mesmo instante que saí daquela sala.
-x-©


● ● ●

avatar
Minerva I. Dzerjínsk
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 109
Data de inscrição : 30/11/2015
Idade : 22
Localização : Na Tomorrowland que não é.

Ficha do Prisioneiro
Nível: 08
Experiência:
0/100  (0/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [S] Donna Ivanovich Dzerjínsk

Mensagem por Hunted em Qui Dez 10, 2015 12:19 pm



✖ A V A L I A Ç Ã O ✖

Donna
Vou seguir a avaliação por partes. Gostei bastante da forma como começou seu texto, por mais que tenha tomado muito da ação realmente importante, foi interessante saber como foi o despertar da bela adormecida. A forma desesperada que ficou após sonhar com a irmã e em seguida meio zonza ser puxada e levada para algum lugar completamente estranho foi descrito de uma forma bem interessante. Você deveria separar os parágrafos, isso facilita a leitura de um avaliador, mas contudo tudo esta muito bem descrito. Não imaginei outra forma de utilizar seu poder para fuga, foi até criativo o que fez, mas eu esperava algo a mais, algo que você seguisse mais arrisca nas informações inicias da solitária, como por exemplo a criação das projeções.

Conquistas:
- Mais 130 de experiência ou 1 nível e 30 de experiência;
- Mais um ponto de perícia;
- Mais um ponto de atributo;

Livre da Solitária
✖ Good luck ✖
© mr. houdini

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [S] Donna Ivanovich Dzerjínsk

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum