Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Ir em baixo

Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Hunted em Ter Dez 08, 2015 10:58 pm



✖ Corra, sobreviva! ✖

- Papai Noel chegou criançada. - Soou a voz alta e estridente por todos os corredores, celas e ambientes da prisão. - Vocês já sabem o caminho. Sala de projeções, venham por vontade própria ou serão forçados pelos seguranças. - Foi a última coisa a ser ouvida, depois que um chiado se instalou e tomou conta das caixas de som, forçando elas serem desligadas.

A escolha de participar da brincadeira da diretoria dos Hunted era principalmente do próprio detento, mas caso ele arriscasse negar vir, algo de ruim poderia acontecer.

O trajeto estava iluminado com luzes vermelhas e brilhosas, tudo em ritmo da festa de final de ano, mas isso não queria dizer que tudo estava mil maravilhas, pois todos sabiam onde estavam: na prisão.

Quando chegassem na sala de projeções, a porta estaria aberta para todos que quisessem se aventurar no possível jogo proposto pelo lugar. Um a um ia chegando, mas o mistério continuava.

- Vamos começar por... -

Pontos Importantes!
- O evento é narrado, portanto quero apenas a introdução dos personagens sendo avisados e vindo para a sala de projeções.

- Vou deixar em aberto o que realmente vai acontecer, será revelado depois do término do prazo de postagem com a segunda narração.

- Este primeiro post pode ser algo básico e objetivo, mas quero que demonstrem as reações dos personagens, sendo cautelosos com as ações.

- Terminem o post com a frase final do post: - Vamos começar por... -

Prazo de postagem: 15/12/2015 podendo aumentar caso necessário.

✖ be careful what you wish for ✖
© mr. houdini


Última edição por Hunted em Ter Dez 15, 2015 9:57 pm, editado 1 vez(es)

● ● ●

Hunted
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Andrew N. Cunningham em Qua Dez 09, 2015 1:51 am



UseYourIllusionDon't believe the truth
Largado displicentemente em seu desgastado catre, Andrew ruminava sobre a vida. Ou, ao menos, o que sobrara desta. Seus pensamentos iam longe, vagavam por lembranças de um passado impossível de ser retomado. O moreno parecia dominado pelo torpor, os olhos vítreos fincados no teto conforme a expressão no rosto assumira ares de devaneio. Entorpecido como estava, as pálpebras do rapaz lentamente passaram a fechar, quando subitamente a ruidosa voz inundara o ambiente com evidente escárnio. Andy sobressaltou-se, e, num gesto abrupto, ergueu-se de onde estava.

Embora tomado por uma inquietação evidente, ele tratou de ceder toda a atenção às palavras proferidas. Ao final destas, um suspiro escapou-lhe dos lábios crispados, e por fim disse: — O que estão planejando dessa vez? Merda... — O que mais lhe afligia era o fato de que, caso se negasse a acatar tal ordem, sofreria retaliação. Era este, afinal, o método truculento do bendito lugar para manter os prisioneiros domesticados. Danem-se, então. A contragosto — e armado de um semblante tempestuoso —, Andrew vagava da cela à afamada sala de projeções, cuja entrada achava-se prontamente aberta. Durante o percurso, constatara toda a ornamentação natalina do local, e percebera o quão sarcástica ela aparentava naquela circunstância. Finalmente adentrara a sala de projeções. Sem delongas, postou-se em um dos pontos disponíveis, cruzando os braços enquanto aguardava por novas instruções.

— Vamos começar por...

● ● ●

Andrew N. Cunningham
LONG ROAD TO RUIN
Andrew N. Cunningham
Andrew N. Cunningham
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 43
Data de inscrição : 03/12/2015
Idade : 23

Ficha do Prisioneiro
Nível: 7
Experiência:
60/100  (60/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Thomas Tarwick em Qua Dez 09, 2015 8:45 pm


Péssimo Natal

Thomas Tarwick

Silêncio era uma das coisas que Thomas mais apreciava. Principalmente naquele lugar, naquele ambiente e com aquelas pessoas. Estava encostado na parede fria de sua cela com os olhos fechados, aproveitando o momento precioso de silêncio, até que uma voz irritante saiu dos alto-falantes de baixíssima qualidade que chiavam como o último suspiro de um roedor antes de você esmagar seu coração.

A voz vindo dos alto-falantes convocavam os prisioneiros para a sala de projeções, Thomas não queria ver pessoas, mas preferiu se levantar e andar até o lugar anunciado pois não estava afim de brigar contra os guardas e eventualmente perder, como sempre. O anúncio se encerrou com um chiado agudo, Thomas revirou os olhos e olhou para onde saía o som e gritou, revoltado:

-Comprem um microfone e alto-falantes de melhor qualidade, imprestáveis!


Após seu momento de raiva, Thomas se levantou e ajeitou suas roupas desconfortáveis de prisioneiro. Que falta fazia seu terno púrpura, seus sapatos de marca, qualquer conforto e futilidade que tinha na vida antes da prisão. Suspirou e passou a andar calmamente até a sala de projeções, aonde não sabia o que aconteceria, também não tinha nenhuma curiosidade, queria que todos ali fossem para o inferno bíblico, mas precisava cumprir as ordens se queria algum dia sair desse inferno mundano.

O homem chegou à sala de projeções, aonde já havia uma pessoa, decidiu ficar bem longe de qualquer um, então foi para o fundo da sala, escorou-se na parede e cruzou os braços, esperando o que iria acontecer. Quando mais algumas pessoas adentraram o local, uma voz misteriosa começou:

-Vamos começar por...

"
Bluee @ Cupcake Graphics
Thomas Tarwick
Thomas Tarwick
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 34
Data de inscrição : 30/11/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 16
Experiência:
70/100  (70/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Enzio Døhrn West em Qui Dez 10, 2015 5:26 pm

Merry Christmas?



All power in the world can not change destiny



O silêncio acolhedor e confortante fora o único bem o qual ainda era presenteado naquele pequeno inferno. Sentado solitáriamente em sua cela, Adam pouco importava com o fato de Scarlett não estar dentro daquela grande gaiola, enfim podia completar uma tranquila paz sem interrupões e afiar a única arma não tomada de si, porém ao menos sem dúvida algo a mais poderosa que poderia desejar ainda ter, sua mente. Meditando em busca de afastar qualquer pensamento afim de contemplar a beleza e maravilhosa do grande vazio, desejava encontrar no nada a resposta para o tudo.

Qualquer observador externo, poderia fácilmente confundir a imobilidade do loiro, com um cochilar desconfortável em uma incômoda posição de índio norte-americano. De fato não poderia esperar que mentes inferiores e limitadas entendessem a maravilha daquele momento. Infelizmente, assim como os demais momentos entre ás fortificadas paredes daquela prisão, nada de bom durava mais do que o suficiente para deixar os presos torturados pela agonia de não mais serem felizes.

Um barulho estridente e alto chamava West de volta a si, o som em questão possuia sentido, por mais que pelo estupor do rapaz demorou a se formar algum em sua mente, uma voz sarcástica fazendo um convite. A mensagem em si não poderia ser tida como agradável, uma mensão ao Papai Noel fazia perceber que meses haviam passado, estavam no final de Dezembro e tal fato justificava o comumente frio que sentia durante as noites. Como sempre um agradável convite para servir de cobaia era o tema central da infortuna interrupção, mais um experimento científico que poderia levar outros prisioneiros á morte, ou quem sabe até a estados piores como o amargor da loucura.

Por alguns momentos uma colossal vontade de nã ir tomou o corpo do loiro, para que se postar amigávelmente quando aquelas pessoas desconhecidas não importavam com nada além de seus interesses desconhecidos? A fagulha de rebeldia apenas apagou-se quando instintos mais primitivos alertaram o rapaz para usar de estratégias bem pensadas com o intuito de sobreviver. Sim, de livre e espontânea vontade iria até a já conhecida sala de projeções, ao menos poderia adquirir vantagens por chegar antes do que outros companheiros de confinamento, estudar o problema antes de iniciar a tentativa de resolução sempre fora o melhor caminho para se obter êxito.

Um click ecoou por toda extensão da cela, estava solto e por mais que dúvidava conseguir tentar uma fuga, ao menos poderia andar com as próprias pernas rumo a uma possível morte. O caminho para seu destino pouco ainda estava movimentado, calmamente e passo a passo diminuia a distância entre o desconhecido, notando a beleza das luzes avermelhadas que iluminavam o caminho; não conseguia deixar de lemrar por alguns momentos dos natais luxuosos que desfrutava em sua infância junto com alguns familiares.

[...]

Após uma caminhada desinteressante, monótona e melancólica, enfim Adam deparou com a porta da sala aberta, ninguém parecia ter entrado ainda no recinto e apenas conseguia notar a mesma voz assustadora irrompendo pelas paredes. - Vamos começar por...


thanks, ♛ and ▲

● ● ●

DR. WEST
"A mente humana é a maior fraqueza de qualquer Homem e ao mesmo tempo seu maior poder."
Enzio Døhrn West
Enzio Døhrn West
the great danger
the great danger

Mensagens : 19
Data de inscrição : 02/12/2015
Idade : 26

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Zion Vaughn Müller em Sex Dez 11, 2015 10:35 am


can you survive?



They wanna see blood they wanna see hate like a needle in your vein, a sickness with no name in a world that's insane was America to blame? When you're praying for a change to a God with no face!


Então é natal? Foi o que veio a minha cabeça logo após ouvir uma voz grossa e um pouco destorcida pela mal qualidade sonora liberada por pequenas caixas de sons presas por um suporte velho no alto da parede da cela. A voz no entanto saiu meio falha mas ainda sim dera pra entender seu recado por isso havia feito tal pergunta em minha mente, se fosse fazer um cálculo de quando fui preso, à algumas semanas atrás até hoje realmente descobriria que já estamos em dezembro e isso só me fazia lembrar o quanto este ano havia sido intenso e esquisito já que havia começado tão bem, comigo tendo um emprego, um salário para ajudar nas despesas de casa mesmo não sendo muito, uma família.

Levantei-me do local em que costumava passar as noite de sono, suspirando e bocejando esfreguei meus olhos com as costas das mãos tentando despertar. O frio era inevitável, o uniforme qual vestíamos não era das roupas mais quentes então pra quem não era acostumado com o clima, evidentemente sofreria um pouco. Fiquei de pé ajeitando meu traje amarrotado e comecei a caminhar pra fora da cela, pude perceber que a garota de longos cabelos morenos com qual dividia o ambiente ainda se encontrava deita, se não me engano era Abby seu nome, enfim, não importava, ignorei-a e continuei com meus passos percorrendo meu olhar por toda a extensão do corredor pelo qual  passava no momento, aquela decoração irônica de enfeites e luzes piscando me dava náusea, que nojo daquilo e de de quem o fez.

A porta da sala de projeções - local para onde deveríamos ir - estava aberta, bem aberta. Aquilo tudo estava sendo muito suspeito, eu queria entender qual era daqueles malucos, sério, eles deviam ter sérios problemas talvez até mais do que muitos ali presos. Entrei no local ainda desconfiado, eu tinha certeza que não iria acontecer uma coisa boa naquela sala mas também sabia que desobedecer e ficar na cela poderia acarretar em um novo sequestro com mais agulhas furando minhas veias e fortes soníferos me deixando vulnerável.
Alguns rapazes já se encontravam no local, não pareciam ser amigos já que estavam cada um em um canto e é claro que fiz o mesmo. Me isolei em um dos cantos do salão e cruzei os braços esperando por mais alguma louca e estranha instrução dos tais cientistas daquele lugar. Não demorou muito para que a voz grossa destorcida e chiada voltasse a pairar no ambiente.
- Vamos começar por...




modèle créé par weird pour Lotus Graphics!



● ● ●


Zion Müller

The devil's on my mind ✖️ I'm going to hell ✖️ The birds ✖️ Thx @ LG
Zion Vaughn Müller
Zion Vaughn Müller
the sherlock's
the sherlock's

Mensagens : 36
Data de inscrição : 07/12/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 04
Experiência:
90/100  (90/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Kitty Levi em Sex Dez 11, 2015 10:58 am




Only Grey

Estava inquieta, passeava pelos corredores, arrastava a sola dos pés no chão, movia freneticamente os dedos pelas paredes como se estivesse martelando um piano. Estava desleixada, lábios secos, pele pálida, olheiras imensuráveis, meu cabelo era um caos... Foda-se quem se importa com a aparência?!

Meu corpo aclamava por álcool, dias, semanas quem sabe meses, não entornava o líquido com teor alcoólico em minha boca, aquilo me deixava tensa, aborrecida... – Malditos. – suspirei – Malditos! – gritei, minha voz ecoou pelos corredores quando foi interrompida pelo farfalhar de uma vozinha caótica e de mau gosto, proferindo o espírito natalino e coisas do tipo. A primeira coisa que veio em mente foi uma garrafa de sitra de maçã – Droga! –

A voz oculta, continuou seu discurso quando o conjunto de palavras me remeteu a um ódio inexplicável “sala de projeções” – Quero ver o soldado capaz de carregar para aquele inferno! – gritei e mais uma vez minha voz ecoou pelos corredores.

Não demorou muito para que os encapuzado bem vestidos viessem ao meu encontro, eu já estava esperando por eles, tocai em uma das paredes de pedra e logo meus braços eram armas de contusão maciça... Você tem muito tempo para treinar as habilidades quando não se tem outra escolha a não ser ficar confinada em uma cela. Entretanto mal pude reagir.

Os imbecis sacaram suas hastes inibidoras e meus poderes foram neutralizados, dispararam logo em seguida um maldito taser, a corrente elétrica percorreu meu corpo me deixando imóvel, fui arrastada pelos corredores por aqueles malditos até a sala de projeções.

Um deles puxou meus cabelos e assim erguendo minha cabeça para que eu pudesse ver o que acontecia a minha volta. A voz miserável mais uma vez passou a profanar meus ouvidos...

- Vamos começar por... -


Thanks for @Lovatic, on CG


● ● ●


myself
Est-ce que tu aimes le sexe? Le sexe, je veux dire l'activité physique, le coït Tu aimes ça?
Kitty Levi
Kitty Levi
the great danger
the great danger

Mensagens : 16
Data de inscrição : 02/12/2015
Idade : 22

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
20/100  (20/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Pietro P. Beaumont em Sab Dez 12, 2015 5:04 pm



Marry Christmas
Can I Stand It?
 
Eu não sabia ao certo quando dias haviam se passado desde que cheguei a esse lugar horrível. Três? Quatro? Uma semana? Não tenho certeza. A única coisa que sei é que não estava ficando mais fácil com o tempo. Eu estava na minha cela, encolhido sobre o fino e esfarrapado colchão que atualmente era minha cama, e o frio se instalava cruelmente em cada canto da prisão,  parecendo se intensificar a cada dia.

Em minha mente passavam imagens e cenas de minha família,  lembranças boas que me impediam de desabar. Era doloroso ficar longe dos meus pais, principalmente por saber que talvez nunca mais os veria de novo. Droga, eu só queria ser normal, nunca pedi para ser diferente.  Esfrego meus braços na inútil tentativa de me aquecer e tento conter as lágrimas. Havia um lado ruim em trazer a tona todas aquelas memórias. De repente um alto e estridente som ecoa pelos corredores, trazendo consigo uma estranha voz distorcida. Levanto sobressaltado e me sento sobre o colchão, ouvindo atentamente as palavras do misterioso do rapaz.

Parece que os responsáveis pelo estabelecimento estavam tramando alguma coisa, e isso não me agradava nem um pouco. Pelo tempo que estive aqui, já pude presenciar algumas vezes a crueldade dos guardas para com aqueles que não seguiam as regras, e mesmo que a convocação parecesse opcional estava claro que haveriam consequências para aqueles que não a atendessem.

Um baixo suspiro escapou pelos meus lábios e me levantei a contragosto. Caminho calmamente até a porta e coloco a cabeça para fora, vendo que alguns prisioneiros já iam para a tal sala de projeções. Permaneço ali por alguns instantes, receoso e com medo de seguir adiante mesmo que não tivesse escolha. Fito minhas mãos e me pergunto por que haviam "confiscado" minhas luvas se sabiam o que eu podia fazer. Respiro fundo e abraço meu próprio corpo,  deixando minha cela e acompanhando as outras pessoas. Eu ainda não conhecia muito bem a prisão e não queria acabar me perdendo por aí.

O caminho era decorado por várias luzes vermelhas que piscavam sem parar, fazendo com que eu me sentisse ainda pior por não estar com minha família em uma data tão especial. O que será que eles estavam pensando agora? Afinal eu os disse que iria a uma festa com Uriel e acabei não voltando para casa. Balanço a cabeça de um lado para o outro e afasto aqueles pensamentos, percebendo que já havia chegado ao local "desejado". Faço uma breve pausa na frente das grandes portas do lugar, tentando reunir coragem o suficiente para seguir adiante, quando a voz firme de um guarda me manda entrar. - Anda logo, moleque. - Engulo a seco e abaixo o olhar, adentrando a sala.

Já haviam algumas pessoas presentes, e com o tempo o local foi se enchendo um pouco. Por precaução,  sigo para um canto um pouco mais afastado para não acabar tocando acidentalmente em ninguém. Realmente não queria causar problemas. - Vamos começar por...

Together We Can Change This World.

@Lilah
Pietro P. Beaumont
Pietro P. Beaumont
the peaceful minds
the peaceful minds

Mensagens : 16
Data de inscrição : 02/12/2015
Idade : 21
Localização : Prisão

Ficha do Prisioneiro
Nível: 07
Experiência:
90/100  (90/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

C97534

Mensagem por Alexis Stein Krützen em Sab Dez 12, 2015 5:21 pm


✘ this isn't a Christmas gift

"Do you know what it's like when you're scared to see yourself?
Do you know what it's like to be your own worst enemy?"

Seus dias na prisão nunca eram mal aproveitados. Alexis dedicava seu tempo, paciência e inteligência para arquitetar sua vingança sem fim. Poderia ser doentio, mas se pensasse bem fora isso ela não teria muita coisa para fazer naquele lugar. Alexis estava sentada no chão, as pernas cruzadas enquanto tinha uma caixa de papelão aberta em seu colo, a jovem analisava os papéis e anotações que tinha dentro da mesma. Os papéis eram meros pedaços que ela conseguia arranjar naquele inferno, neles eram traçados cada passo da jovem quando saísse daquele lugar, cada ação, golpe e morte. Eram todas as informações que ela tinha da prisão e da Máfia Francesa. Realmente portava uma convicção inigualável – e sutilmente ingênua – de que iria conseguir livrar-se do lugar que se encontrava. Tudo que ela se lembrava e descobrira era guardado naquela caixa, mas por enquanto não portava grandes informações; embora estivesse ali a dois meses, não era fácil arrancar informação dos outros, ainda mais com sua inclinação para antipatia.

Em seu momento de meditação, uma voz quebrara a pacata rotina silenciosa e solitária da prisão Hunted. Alexis, incrédula pelo o que ouvia, franziu o cenho. A inusitada chegada do Papai Noel fora anunciada de forma clara pelas caixas de som presentes nos corredores; logo, fora dada uma clara instrução sobre comparecer a sala de projeções. Era bem claro que não possuía escolha. E, depois de muito repensar sobre seus atos, decidira começar a colaborar com os seguranças, não mostrando qualquer resistência. Precisa, por enquanto, não atrair olhares para si.

Alexis apressou-se a esconder a caixa, para que por fim pudesse retirar-se de sua cela. Embrenhou-se em meio aos outros detentos que também saiam de suas celas, todos tendo como final de percurso o mesmo destino. A ornamentação características do feriado que se aproximava era o mais perturbador; Alexis começava a tecer pensamentos sobre o quanto os comandantes daquele lugar eram insanos. A sala de projeções se tornara pequena para tantos detentos aglomerados. Alguns ansiosos, outros aflitos, a maioria com medo do que estava planejado para eles. Alexis optara por ostentar um semblante indiferente a situação, preferindo guardar seus sentimentos e reflexões para si própria. Não havia motivos para expressá-los, afinal. Então, os murmúrios foram silenciados por uma única frase:

— Vamos começar por...

● ● ●

SHE'S THUNDERSTORMS
Alexis Stein Krützen
Alexis Stein Krützen
the great danger
the great danger

Mensagens : 49
Data de inscrição : 28/11/2015
Idade : 21
Localização : ¯\_(ツ)_/¯

Ficha do Prisioneiro
Nível: 13
Experiência:
75/100  (75/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Hunyak Fairkal em Dom Dez 13, 2015 12:25 am


Mental out my brain, bad shit go insane



Hunyak vagava a ermo por um dos corredores da prisão. Era tudo tão monótono e pacato que em algumas vezes ele se imaginava preso no sótão onde viveu até ser capturado por um dos cientistas e ser obrigado a viver trancafiado naquele recinto. Por mais que ele achava horrível viver naquela área minúscula, a prisão conseguiu se tornar o seu maior pesadelo. O lugar era composto por várias regras – ditadas por pessoas insanas – e a liberdade havia sido exterminada. Ele não conseguia ver a esperança brotar dali, simplesmente porque as pessoas estavam traumatizadas e não conseguiam manter uma linha de amizade com os próximos. Hunyak era uma pessoa bastante extrovertida, mas naquele lugar a única coisa que dava para se manter era refém do governo.

Papai Noel chegou criançada. — Uma voz tomou conta do corredor.

Vocês já sabem o caminho. Sala de projeções, venham por vontade própria ou serão forçados pelos seguranças. — Não restou mais opções a seguir, a não ser obedecer a autoria do indivíduo que propunha a ocasião através dos alto-falantes. Hunyak olhou temporariamente para o fim do corredor, a espera de alguém; era um dos lugares poucos frequentados pelos alterados, Hunyak devia ser o único que costumava ficar ali. E aos poucos foram aparecendo pessoas se dirigindo a Sala de Projeções, servindo de assistência para o garoto chegar ao lugar.

Optou por ficar em um dos cantos mais reservados da sala, mantendo um contado visual com a grande maioria ali. Era óbvio que ele queria ter alguém para conversar, seus dias estavam tão chatos sem a presença de uma pessoa bondosa para lhe desejar um bom dia que já planejava em começar a ter amigos imaginários.

Vamos começar por...



Última edição por Hunyak Fairkal em Dom Dez 13, 2015 2:38 pm, editado 1 vez(es)
Hunyak Fairkal
Hunyak Fairkal
the peaceful minds
the peaceful minds

Mensagens : 2
Data de inscrição : 12/12/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Cruella I. Dzerjínsk em Dom Dez 13, 2015 7:50 am

ho ho ho




        As pálpebras se espaçavam abruptamente; aos ouvidos, uma voz que soava por caixas de som diminutas que pendiam-se nos fios, nas arestas da cela. Arrastando as mãos para o rosto, Cruella abafava uns palavrões que se dispersavam de seus lábios: eles não cansam? Respirando fundo, a morena deslizava no colchão e se sentava à beira dela. Sua expressão era de "Só para de falar, por favor.", e molhando os lábios, Cruella espreitava os olhos para fora da cela, afim de certificar-se de que não haviam guardas se aproximando. Então, eles só queriam que os presidiários fossem na mais singela boa vontade, para a sala de projeções — ela ri. Bom, que eles a levassem a força, porque ela não ia sob nem uma circunstância descolar a sua bunda da cama. Não se sabe? Vai que por ventura, fortuna, ou por um milagre de natal, eles fingem que ela não existe e a deixam como se não houvesse uma grega alojada na cela 015. Mas não era o seu dia.

         Arrastada, cortando os lábios com leves puxões, unia as sobrancelhas conforme percorria com os olhos, ocos de olheiras verdes e azul-arroxeadas, os rostos dos rapazes e das moças tão próximos. Nada neles era o suficiente para a abduzir: numa fila de cabeças, eram acompanhados para uma a sala excessiva de iluminação, como ela sempre fora. Um a um, entravam na câmara mais vã do presídio, e mocados de forma que ela aparentava-se ser bem mais miúda. "Vamos começar por...".


● ● ●


CRUELLA,
DZERJÍNSK
Cruella I. Dzerjínsk
Cruella I. Dzerjínsk
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 165
Data de inscrição : 28/11/2015
Idade : 21

Ficha do Prisioneiro
Nível: 09
Experiência:
60/100  (60/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Joachim Lagerfëldt em Dom Dez 13, 2015 7:51 pm



Com suas pontas de dedos titubeando sobre a divisão sólida entre as celas da penitenciária, a sensação gélida do contato difundia-se pela extensão do seu braço até a altura do antebraço.  Suas órbitas oculares fixas no teto em um transe cabalístico: as reflexões transpareciam suceder-se em um espaço longínquo pelo olhar vago e sem qualquer atenção às ocorrências das cercanias. Aqueles que o observassem questionariam sem receio algum acerca do porquê de tal profundidade em sua psique. Um sorriso acanhado surgiu em seu rosto e qualquer um que já tivesse efetuado tal feição teria ciência do seu fundamento: amor. Não era um romance ou um envolvimento sexual, mas uma relação completamente baseada no sentimento de apreço fraterno. Seu irmão.

As sirenes localizadas estrategicamente nos corredores soaram revelando um anúncio por parte da diretoria da instituição carcerária. Joachim, ao menear sua cabeça, saiu de sua hipnose e começou a ouvir atentamente cada sentença sendo proferida pelos aparelhos tecnológicos. Uma voz masculina repercutiu por todo o local. Um silêncio ominoso disseminou-se pela atmosfera e, vez ou outra, algum comentário ofensivo poderia ser ouvido ao longe. Grande parte dos detentos não era fã das atitudes tomadas pela comissão responsável pelo recinto, já outros acreditavam que seu encarceramento havia sido injusto – linhas de pensamento que comprovavam os xingamentos quando alguém da administração se manifestava. Com uma imposição intimidadora, todos os detentos pareciam ser obrigados a participarem de algum evento correlacionado com a famosa figura infantil do Natal, Papai Noel. Ora, já era época de festividades? As noções temporais do mutante estavam equivocadas descomunalmente. Ciclos como dias, semanas e meses pareciam tão distantes da realidade exposta. Existir limita-se ao presente e o vindouro faz-se dubitável.

Um chiado ensurdecedor toma conta das caixas de som com o fim da transmissão sonora.

Qualquer sinal de outro informe cessa.

Silêncio.

Todos os prisioneiros saem de seus cubículos um por um e caminham como zumbis, atraídos pela luminosidade rubra. Joachim optou por seguir a multidão que se dirigia à sala de projeções. Acenos, cumprimentos, conhecidos. Ah, se tinha uma coisa que o distinguia dos outros era o seu carisma natural. Gentilezas eram automáticas como a respiração.

Vigilante, o olhar atento em cada ínfimo detalhe. As luzes avermelhadas ora transmitiam um ar de festejo, ora pareciam anunciar um acontecimento cataclísmico em que o sangue de cor rubra – como o fulgor – seria jorrado. Outro de seus objetivos com a observação era uma tentativa, aparentemente falha, de encontrar seu irmão mais novo. Não queria expô-lo a nenhum risco desnecessário. – Onde está você, Jack? – Pronunciou as palavras em um tom quase inaudível enquanto reparava nas setas brilhantes no chão. Poucos minutos foram necessários para que chegasse na sala de projeções. Cabeças curiosas tentavam descobrir qual o tipo de artimanha que estava sendo elaborada sem êxito.

Uma voz pronunciou-se.

- Vamos começar por...
Joachim Lagerfëldt
Joachim Lagerfëldt
the calm before
the calm before

Mensagens : 10
Data de inscrição : 11/12/2015
Idade : 22

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Convidado em Dom Dez 13, 2015 10:00 pm

what do

you want

from me?

Era uma sensação deveras agradável. Seu corpo estava dormente, leve e descansado, como se flutuasse em meio às nuvens no céu ou repousasse em uma cama feita apenas de algodão doce. Por mais que sua mente persistisse em lembrá-la dos últimos tão horríveis acontecimentos, não sentia absolutamente nada. Nenhuma irritação, nenhuma dor; caso fosse mais otimista poderia jurar que de fato não havia um ferimento sequer em seu coração.

Parecia que estava há anos trancada em uma caverna escura e úmida, com a ausência completa de luz, e finalmente tivesse encontrado a saída através de um feixe luminoso, pois seus olhos arderam e tentaram com esforço voltar a se fechar. Mas não o fez. Ardência nenhuma a impediria de admirar aquele espetáculo de emoções que estava vivenciando.

Quando os olhos fecharam-se e o corpo relaxou na cama macia, as primeiras imagens eram felizes. Ela transando com Finn*, o primeiro encontro com Garrett*, os momentos tranquilos com Illyria* e os raros sorrisos que Elizabeth* deixava escapar quando estavam juntas. Como em um filme bizarro, as cores e formas tornavam-se mais escuras e densas. Não havia mais sorrisos e tranquilidade. Eles foram substituídos pelo terror. Seus amigos jaziam morto aos seus pés, tudo estava destruído. Illyria havia desaparecido, assim como Elizabeth. Em um sobressalto, os olhos abriram-se para o teto escuro. Contudo, algo havia acontecido. Uma a uma, as imagens transmutaram-se para lembranças vagas e vazias. Haviam se transformado..em nada.

Acordou horas depois, assim que o som de uma voz estridente estremeceu no ambiente outrora silencioso, fazendo-a respirar profundamente. Sua cabeça começou a latejar, inundada de lembranças nubladas. Pareciam se misturar aos pesadelos que ela tivera. Ela levou os dedos até os olhos, esfregando-os levemente. Quando o corpo obedeceu ás suas ordens, ela sentou-se na cama, exibindo o típico vestuário em cores monocromáticas, do presídio. Quem seria suficientemente rude ao ponto de estragar um sonho bom com aqueles irritantes chiados?

Deveria lembrar-se de não deixar que o sentimento de stress e raiva dominasse seu corpo, caso contrário, seu poder especial seria ativado, ficando facilmente sem controle. Todavia, parecia quase impossível não pensar naquela sensação de incendiar em que tudo que pudesse tocar. Novamente, lembrou-se de respirar fundo, enquanto observava a porta da cela abrir-se em um click. A expressão de concentração presente no corpo da franco-alemã logo fora substituído por um sorriso travesso ao notar que, a partir daquele instante, estava momentaneamente livre da cela na qual se encontrava. Rapidamente, passou pelas grades, indo em direção à sala de projeções, na qual fora obrigada a comparecer.

O caminho fora feito rapidamente, já que ela seguia o fluxo dos detentos que também caminhavam em direção à sala de projeção.Durante o trajeto, revirou os olhos diversas vezes ao notar a iluminação natalina presente no corredor, transmutando um efeito irônico para si, afinal, estava na prisão, lugar onde a felicidade não existe. Assim que chegou à sala, um terceiro suspiro foi dado ao observar o ambiente se aglomerar de presidiários. Contentou-se em escorar o corpo na parede, ouvindo novamente aquela voz horrível ecoar pelo recinto.

''— Vamos começar por... ''

*Personagens npc's. Digamos que os nomes citados eram integrantes da facção de drogas ilícitas, comandada por Cassandra em seu país natal.

Event - Bad Christmas


Convidado
Convidado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Mischa Romanov em Dom Dez 13, 2015 10:47 pm


Devil In Disguise

 Faziam apenas alguns dias que eu havia chegado nesse maldito lugar. E em poucos dias muita coisa já havia acontecido, fui sedada sei lá quantas vezes e jogada nesse lugar que nem sei onde é.
Os dias passaram lentamente e tudo que eu conseguia repassar na minha cabeça era a imagem de meus pais mortos em meus braços.
Andava de um lado pro outro na cela, quieta, as vezes soltando um suspiro ou outro quando resolvia treinar, socar ou me exercitar. tinha tempo de sobra para por em pratica o que passei a vida fazendo.
Saí de uma prisão para outra.

Quando um chiado saiu pelos alto falantes que estavam por toda a parte, eu parei de andar e revirei os olhos.

"Que será que esses deformados de capuz querem agora?!"

Natal. Como se já não pudesse ser deprimente o suficiente, agora nos forçariam a participar de algo que com certeza não seria natal.
Parei na porta da minha sala olhando outros prisioneiros que já iam na direção da tal sala de projeções.
Balancei a cabeça em negativa. Isso era uma perda de tempo, eles nos reuniriam feito ratos de laboratório e fariam algo desagradável e todos seremos obrigados a participar.

Sem muita vontade e a contragosto sai lentamente da cela. Na me parecia uma boa ideia negar o convite. alguns encapuzados carregando bastões já começavam a aparecer pelo corredor.

Levantei as mãos e fiz uma cara debochada quando um deles passou por mim. Revirei os olhos e fui seguindo os enfeites pelo caminho ate a tal sala.
Deslizava a mao pela parede pelo caminho, sem me importar em deixar que alguns enfeites se descolassem da parede, quem se importa com isso de qualquer forma?

Assim que cheguei a maldita sala, algumas pessoas já estavam lá, e nenhuma parecia estar animada. Passei uma mao no cabelo o bagunçando um pouco mais enquanto fitava a sala por completo, até escolher um canto qualquer.
Andei até lá e deixei meu corpo descer pela parede até me sentar ao chao.
Nao me dei ao trabalho de questionar nada nem ninguem, ninguem saberia e nao diriam nada.
Cruzei as pernas e fiquei tamborilando os dedos pelo chao, ate que em fim a voz soou novamente.

" Vamos começar por..."

Dei um sorriso sarcastico pensando comigo mesmo 'Que os jogos comecem'.




♦ Mischa R. Howard ♦
Mischa Romanov
Mischa Romanov
the boredom killers
the boredom killers

Mensagens : 4
Data de inscrição : 03/12/2015
Idade : 22

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Minerva I. Dzerjínsk em Seg Dez 14, 2015 1:43 pm

FUCK THE SISTEM, I WILL RUNAWAY
Droga, droga, que horas eram? Estava no pátio caída ao chão com uma maldita tontura, como se estivesse de ressaca. Acho que estava mesmo. Ontem saí com algumas pessoas que não conhecia e acho que fumei ou cheirei algo, muito forte por sinal para me fazer dormir no meio do pátio. Olhando para os lados atordoada comecei a ouvir umas vozes vindas das caixas de som, e todos que estavam por ali mexiam as cabeças confusas, não sabiam o que estava acontecendo. Algumas assustadas, outras fechando os ouvidos para fingir que nada escutavam. A voz rouca e melancólica invadiu meus ouvidos de forma estridente, como se fosse um "Você vai lembrar disso para sempre querendo ou não". Levantei e andei até a caixa de som mais próxima, prestando mais atenção no que queriam nos dizer.
-Papai Noel chegou, criançada. Vocês já sabem o caminho. Sala de projeções, venham por vontade própria ou serão forçados pelos seguranças.
Consegui ouvir apenas esse breve recado e comecei a rir, debochando.
-Sério mesmo que esses babacas acham que eu vou pra lá ser o hamster deles? Vão de foder.
As únicas coisas ouvidas agora eram os gritos dos inocentes que não queriam saber de qualquer tipo de maldade e o chiado do som. Vi os "rebeldes" serem maltratados pelos seguranças, sendo forçados a irem. Revirei os olhos e respirei fundo, com um ar de negação. Andei o mais lento que podia, até um segurança me chamar atenção e gritar para que eu fosse mais rápido. Mostrei a língua para ele ao mesmo que a mexia vorazmente de forma maliciosa. Virei meu corpo para onde todos os outros iam juntamente, como soldadinhos obedecendo o capitão. O trajeto estava cheio de luzes vermelhas e verdes, num clima natalino psicopata. Peguei um elástico que estava no meu pulso esquerdo e prendi meu cabelo num rabo de cavalo, e chegando lá, vendo todas as pessoas entrando com uma cara de "Vai dar merda" ou "Me soltem, não fiz nada de errado", chegava até a ser engraçado. Adentrei na sala de braços cruzados, todos dali estavam amedrontados com o mistério. O que eles vão aprontar dessa vez?
Lembrei-me de Cruella. A cacei com os olhos, nada encontrei, a porta então logo se fechou e depois deu para ouvir o chiado novamente do som, logo acompanhando a mesma voz misteriosa e amedrontadora.
-Vamos começar por...
-x-©


● ● ●

Minerva I. Dzerjínsk
Minerva I. Dzerjínsk
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 109
Data de inscrição : 30/11/2015
Idade : 24
Localização : Na Tomorrowland que não é.

Ficha do Prisioneiro
Nível: 08
Experiência:
0/100  (0/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Danwell Estermont em Seg Dez 14, 2015 3:22 pm




is it christmas already?


O céu coloria-se num forte tom de amarelo, com o sol iniciando sua caminhada para o ocaso, lançando braços de ouro sobre a copa das árvores. No dorso de Janna, a égua, Danwell trotava lentamente com Kevin em um cavalo ao seu lado. Ambos observavam um ao outro, com o brilho do sol refletindo-se em seus olhos; Kevin trazia sempre aquele frequente sorriso encantador que conquistaram Danwell. Quando Kevin abriu a boca, contudo, não foi sua voz que ecoou, mas sim a de um homem falando por um auto-falante, com um característico timbre robótico advindo das caixas de som da qual sua voz advinha, dando fim ao devaneio.

Dan abriu os olhos, mantendo-os fixos no teto enquanto assimilava as palavras. Deitava-se como um cadáver, com o peito para cima e os dedos entrelaçados. O colchão era fino e duro, quase inexistente. A saudade de Kevin era gritante. Ele se sentiu na cama e se levantou em seguida, decidido de que qualquer lugar era melhor do que aquele cubículo que lhe fora designado como aposento. Ainda não havia nenhum companheiro de cela e ele agradecia por isso, pois sabia que seu espaço ficaria ainda menor quando lhe fosse designado algum. Sempre que estava na cela, ele fechava os olhos e se imaginava de volta à fazenda, com Kevin, Janna, seus livros e até mesmo a distante, porém presente, mãe. O costume começou como algo forçado, mas aos poucos se tornou involuntário. Seus olhos estavam sempre fechados, até mesmo quando ele estava acordado, deste modo era mais fácil fingir que não estava preso. As visões, fossem flashbacks ou formadas por sua imaginação, acabaram se tornando tão normais que ele já não conseguia distinguir se estava dormindo ou sonhando acordado.

Depois de algum tempo do aviso nas caixas de som, a porta de sua cela abriu-se automaticamente e ele deu de cara com decorações natalinas nos corredores. Outros detentos também haviam decidido ver o que iria acontecer. A luz vermelha era desnecessariamente espalhafatosa. Alguns dos outros mutantes conversavam entre si, mas Danwell mantinha o silêncio absoluto, fingindo não ouvir seus cochichos. Uns estavam receosos e outros, animados. Ele se encontrava em algum lugar no centro do contraste entre essas duas sensações, querendo avidamente ir para qualquer lugar que não fosse sua minúscula cela, mas ao mesmo tempo um tanto temeroso com o que poderia estar por acontecer.

Chegou à sala de projeções - um espaço amplo, graças aos céus - junto dos outros detentos que viviam nas celas vizinhas à sua. Já havia alguns presos ali e outros ainda estavam para chegar. Quando o fluxo de pessoas por fim parou, as caixas de som voltaram a se ligar e a mesma voz que os havia convocado ali voltou a ecoar, estridente:

- Vamos começar por...

valeu @ carol!


● ● ●

superficial
And I won't let anybody tell me no, I won't take anything for granted, Cause I know that nothing good comes easy and If it did, I wouldn't be me
Danwell Estermont
Danwell Estermont
the sherlock's
the sherlock's

Mensagens : 7
Data de inscrição : 13/12/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 03
Experiência:
50/100  (50/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Brandon Forsett Cromartie em Seg Dez 14, 2015 4:07 pm




Brandon F. Cromartie




'Clear eyes, full heart, can't lose!'
Era irônico estar em um lugar onde por vezes reinava uma das coisas que eu mais apreciava quando estava livre: o silêncio. Mas ali o silêncio era "diferente", trazia um misto de inquietação e falta de liberdade. Mas afinal de contas, estava preso, não é mesmo? E tudo o que podia fazer era passar meu tempo quieto.

Pelo menos foi assim que fiquei em meus primeiros dias: isolado, quieto, a única coisa minha que saiu da cela foi minha imaginação. Mas depois, fui me acostumando. Notei que haviam momentos em que, quem quer que fosse aquelas pessoas, liberavam todos os detentos para sair um pouco. Pelo incrível que pareça, estava acostumado a ficar longe da minha família: estava sempre viajando, treinando e, recentemente, praticamente 99% do ano na faculdade. Talvez por isso minha maior preocupação era em eles acharem que havia falecido, e não em ter saudades em si como tinha ouvido um grupo de garotas conversarem sobre o assunto em uma das primeiras vezes que deixei "meu quarto" para explorar a prisão. Tinha saudades mesmo era dos amigos, dos treinos de futebol americano, das festas, de correr ao ar livre e sentir uma ótima sensação de adrenalina. Bom, talvez esta última poderia muito bem ser saciada ali, as oportunidades eram variadas. Dar umas porradas naqueles guardas abusados e cruéis era uma delas, mas tinha em minha consciência de que a represália era bem pior.

E tudo parecia se encaminhar para mais um dia rotineiro naquela merda de prisão. Mas o som ecoado nos corredores, que me chamou a atenção principalmente pela malícia e ironia da voz do locutor, mudou o dia todo. Para melhor ou pior? Apostava na segunda opção. — Papai Noel chegou criançada. — Imediatamente me levantei e fui até a porta da cela. Olhei pelo corredor e vi algumas outras cabeças curiosas sobre o comunicado e, ao final dele, uma grande massa começou a sair de seus "aposentos" rumo em uma direção única. "Mas que merda é essa?!". Demorei um pouco para me decidir se realmente iria ou não, mas ao ver que o fluxo começava a diminuir, tomei embalo e fui seguindo os outros detentos rumo à sala de projeções, que iria descobrir o caminho naquele exato momento. Vi algumas pessoas sendo forçadas a irem por alguns guardas, enquanto outras iam com certa velocidade e algumas outras com um semblante receoso. Estava tão perplexo que por pouco iria deixar de notar na decoração natalina. De certo aquele ambiente forçadamente alegre deixava um ar de terror na prisão. "Espero que eu tenha sido um bom menino esse ano...", logo imaginei o pior, aquilo não parecia estar rumando para uma festa natalina ou uma entrega de presentes, só se estes fossem porradas.

Por fim, as pessoas foram chegando à sala e logo estava nela também. A porta aberta revelou uma sala já bem populosa, de maneira que parei no meio do local. Muitas pessoas ainda estavam por vi e, as que murmuravam algumas coisas ficavam muda ao chegar na sala de projeções. Notei a expressão de cada um, era um bom indício de que todos estavam apreensivos e receosos, assim como eu. E quando o local parecia estar completo, a voz novamente ecoou: — Vamos começar por... — Rapidamente olhei para frente, enfim a porra daquele suspense todo seria revelado.

.




Brandon Forsett Cromartie
Brandon Forsett Cromartie
the calm before
the calm before

Mensagens : 24
Data de inscrição : 09/12/2015
Idade : 22
Localização : In Heaven

Ficha do Prisioneiro
Nível: 04
Experiência:
75/100  (75/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Zigfried Voux em Seg Dez 14, 2015 4:20 pm



I put the sexy in dyslexic
Confused



Depois de sair do inferno chamado solitária, Zigfried se sentia muito desgastado. Ainda era capaz de executar boa parte de seus poderes, mas o cansaço físico era o mais custoso. Com um longo descanso, os músculos doloridos foram aos poucos voltando ao normal.

Pela primeira vez na vida, teve uma noite sem sonhos. Agradecia por isso, pois sabia que mais uma tragédia onírica seria fatal para seus estado de saúde. Ele só conseguia ver os rostos das pessoas de seu passado e de alguns prisioneiros que encontrou durante os anos naquele local.

Como de costume, foi retirado de sua zona de conforto por ninguém menos do que os guardas daquele manicômio brega e extremamente tediante. Já estava ficando repetitivo e previsível a forma como eles eram abordados e os objetivos que precisavam cumprir. Como se fossem ratos de laboratório. Mesmo animais assim precisavam de cuidado e descanso.

Ele caminhou junto de vários outros desafortunados para a sala de projeções. No caminho, as luzes coloridas e festivas fizeram a infeliz mente de Zigfried recordar do pesadelo materializado que passou naquela solitária com tantos flashes, inimigos e sangue.

Ao chegar na sala de alvas paredes, ele reparou que os jovens faziam as mesmas expressões e perguntas: Onde estou? Outra vez? Será que nunca desistem? Era tudo o que o rapaz sentia por dentro, mas aprendeu a conter depois de tanto tempo em Hunted.

Vamos começar por... — a voz dos anúncios do local assombrou a mente de Zigfried mais uma vez.

perícias:
Psicologia: Profissional
Resistência à tortura: Mestre
Leitura Labial: Profissional *

* já foi pedida a atualização da perícia no devido tópico


Thank's for@Lovatic, on CG


● ● ●

Zigfried Voux
Zigfried Voux
the sherlock's
the sherlock's

Mensagens : 25
Data de inscrição : 28/11/2015
Idade : 21

Ficha do Prisioneiro
Nível: 10
Experiência:
45/100  (45/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Nathaniel Möunttcasp em Seg Dez 14, 2015 4:35 pm



I need HER HEART
Chirstmas?



As últimas festas do ano não alegravam Nathaniel em nenhum aspecto. Seu poder evoluía cada vez mais e ele só podia pensar em duas coisas: se render à pressão das trevas que se acumulavam em seu corpo e viver de maneira plena ou continuar lutando e tentando ver “o lado bom das coisas” para morrer da pior maneira possível.

Naquele dia, ele escolheu a primeira opção. Já estava farto de sentir dores e ter pesadelos durante a noite. No final das contas, até que seu dom não era de todo ruim. Ele se sentia mais jovem, forte. A sede por vidas era constante, ele não negava, mas era algo possível de ser contornado com o tempo. Era a primeira vez que tinha sonhos bons. Estava tão feliz em sua imensa casa com o gêmeo do lado enquanto brincavam com um circuito de trem que não percebeu o momento em que o veículo aumentou absurdamente de tamanho e o som do apito penetrou em seus ouvidos até ele despertar.

Os seguranças da prisão chamavam todos os detentos para a sala de projeção. Mais um teste com robôs, aposto. Ele se levantou e vestiu o casaco de penas negras que conseguiu confiscar da correspondência daquele hospício macabro. Andando acompanhado de dois seguranças e centenas de outras pessoas, o gêmeo Möunttcasp reparou na decoração natalina e supostamente alegre. O grande salão de projeções se desdobrou mais uma vez diante de seus olhos e ele se juntou aos demais jovens que ali estavam.

Vamos começar por... — a voz dos anúncios do local assustou a todos.

perícias:
Acrobacia: Mestre
Furtividade: Mestre


Thank's for@Lovatic, on CG


● ● ●

Nathaniel Möunttcasp
Nathaniel Möunttcasp
the calm before
the calm before

Mensagens : 25
Data de inscrição : 29/11/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 09
Experiência:
25/100  (25/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Alfie Dewhurst Oakhartly em Seg Dez 14, 2015 9:55 pm


survivor
“Imagining the future is a kind of nostalgia. (...) You spend your whole life stuck in the labyrinth, thinking about how you'll escape it one day, and how awesome it will be, and imagining that future keeps you going, but you never do it. You just use the future to escape the present.”


| cela 027, há dias, 21:54 |

A
 risada alta soou contra as paredes do ambiente silencioso. Já estava naquela mesma posição por tempo considerável, as mãos gélidas do rapaz estava firmes às pernas, que se colocavam de encosto ao peitoral, enquanto deixava a cabeça pender para o vazio, e, os olhos apenas percorriam ao interior da cela, cujo parceiro se punha a fazer extremos nada. O rapaz ainda podia sentir a dor das algemas nos pulsos se se concentrasse o bastante, e vinha se torturando com isso há alguns dias desde que descobrirá a possibilidade de se tornar alguém mais impetuoso. Estava ali já havia algum tempo, e nada parecia mudar desde a sua chegada. Talvez a morte não fosse uma mal saída, quando você era obrigado a ficar preso por vários meses, até mesmo anos.

Estridente e alta, definição perfeita para o som que soava por trás das antigas e empoeiradas caixas de som espalhadas por todo o corredor abandonado, fazia Dewhurst recolher a cabeça entre as pernas, sempre afirmou preferir o lugar ao silêncio, já que sempre esteve sozinho durante toda a vida, pelo menos agora havia com quem conversar, porém não podia se colocar tão sociável. Não havia muito o que fazer, portanto Alfie se limitava a se conter em seu próprio canto e só afronta-lo quando necessário.

Cento e cinquenta e três dias desde que começava a contagem, mas nunca sabia exatamente qual data estava para vir, ou muito menos acreditava por uma surpresa natalina, o que podia conter a certeza a que isso seria mais que uma surpresa, seria um massacre, o verdadeiro motivo de incentiva-lo à participar. O detento só pode se reparar contra o corredor, onde as luzes brilhantes conseguia desfocar a própria visão.  Estava cercado por pessoas com sua mesma vestimenta, buscou por cima de cabeça e olhares encontrar  aquele a qual havia deixado antes de sair da cela, tarde demais para se lamentar de não tê-lo convida-lo para participar.

A abertura grande lhe causou um aperto mental, adentrou de maneira constante, os passos eram fortes e não deixavam rastros, porém causava um estrondo maior junto com todos outros passos sem ritmo. Não se sentia confortável, nem pensava que deveria se sentir, não junto com todos aqueles outros estranhos.

- Vamos começar por... – A voz soou mais como uma escolha, não tinha um tom qualquer fosse, aquelas palavras estavam apenas sendo cuspidas para fora de qual fosse a boca.

At cel 027.
Alfie Dewhurst Oakhartly
Alfie Dewhurst Oakhartly
the great danger
the great danger

Mensagens : 22
Data de inscrição : 12/12/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 09
Experiência:
50/100  (50/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Theo Martínez em Ter Dez 15, 2015 2:09 pm



christmas?!
E todas as estradas pelas quais temos de caminhar são sinuosas. E todas as luzes que nos conduzem até lá estão nos cegando. Existem muitas coisas que eu gostaria de dizer para você, mas eu não sei como.

Em um canto da cela Theo se encolhia abraçando fortemente suas pernas, o frio fazia com que os pelos em seu corpo ficassem eriçados, batucava com os dedos algum som enquanto seu olhar permanecia fixo ao chão.

Tudo que tinha em mente era o bem estar de seu irmãozinho, as memórias tristes e felizes devastavam seus pensamentos até que uma voz estridente atrapalhou o fluxo de ideias, aliviado, embora com certo pavor levantou-se de seu estado lamentoso e percorreu os corredores da prisão.

Finalmente chegara ao seu destino, cerrou o punho e fitou os demais mutantes presentes, quais seriam as habilidades, seriam perigosos?! As dúvidas perturbavam o latino que permaneceu imóvel na sala até ouvir a mesma voz de antes.

— Vamos começar por...


I Hate Freaks, I Hate All
Theo Martínez
Theo Martínez
the peaceful minds
the peaceful minds

Mensagens : 2
Data de inscrição : 08/12/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Ayato Van Horster em Ter Dez 15, 2015 5:22 pm




Merry Prison Christmas




'So what if you can see. The darkest side of me. No one will ever change this animal I have become
Estava eu, deitado em minha cama, dentro de minha humilde cela, observando a gélida e cinzenta parede do lugar, sem nada para fazer, a Prisão era assim as vezes, então o que eu tinha a fazer?Dormir ou começar a quebrar tudo ali, para não me machucar, decidi dormir por um tempo, fechando os olhos e me lembrando da missão que tinha feito, aquela garota que eu havia salvo de mim mesmo, aquelas projeções acabavam conosco e eu odiava aquela sala.

De repente uma voz distorcida soa nos cantos dos corredores, chamando os detentos par a Sala de Projeções, comemorarmos o Natal, eu sabia que tinha algo de ruim vindo, mas queria me divertir um pouco, e coisas assim sempre traziam diversões, tanto pra mim, quanto para Henzo. Sai da cela, assim que a mesma se abriu, e caminhei lentamente até a sala de projeções, ouvindo o Henzo "Ayato, toma cuidado, esses caras da Hunted só aprontam conosco, não se esqueça, se tiver a chance...ACABE COM TODOS!" eu sorria ao ouvi-lo, vendo alguns olhares se direcionarem para mi, pensando que eu era Louco por estar rindo sozinho, mas não liguei, caso contrário eles já estariam mortos pelo Henzo.

Enfim chegava na Sala de Projeções, a mesma já tinha vários Detentos, todos preocupados com o que ia acontecer ali, eu caminhei lentamente até a parede, me encostando na mesma esperando algo acontecer, vendo os Seguranças trazerem alguns detentos a força, e os mesmos tentando usar seus poderes para escaparem deles, mas nada era efetivo, o que só me divertia. Logo ouvi uma voz, a mesma que tinha nos chamado ali na Sala de Projeções.

-Vamos Começar Por...





● ● ●

Ayato Van Horster
Transformismo Animal
A Fúria destrói até a Alma mais Pura e Calma que habita esse Mundo.
@CupacakeGraphics
Ayato Van Horster
Ayato Van Horster
the calm before
the calm before

Mensagens : 32
Data de inscrição : 07/12/2015
Idade : 26

Ficha do Prisioneiro
Nível: 05
Experiência:
23/100  (23/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Oliver A. Buckingham em Ter Dez 15, 2015 7:10 pm


.
winners are not judge whether they lied or not
Estava a meia hora fitando o teto, pensando em diversas coisas quando me assustei com uma voz estridente saindo de algum lugar que não me importava. Franzi o cenho ao ver uma grande massa de pessoas passando na frente da minha cela, seguindo o que ela voz tinha dito. Aquilo era alguma prisão cristã ou algo parecido? Tudo bem que eu tinha sido criado na igreja, mas nunca acreditei em nenhuma dessas bobagens. Pra ser sincero, não entendia como alguém conseguia acreditar. Ainda tinha o lance de Ceia de Natal, onde só serve para a família se reunir e fofocar uns dos outros. Aliás, uma coisa que deixo para você pensar: Se a última ceia foi antes da Páscoa, porque as pessoas têm ceia no natal e não na Páscoa?

Depois de decidir que não iria a lugar nenhum, fechei meus olhos com o propósito de tirar um cochilo, mas não foi possível. Um dos seguranças apareceu na minha cela gritando coisas como “Você acha que tá no seu castelozinho? ” “Quer ir por bem ou por mal? ” “Você é surdo ou o que? ” Eu apenas revirei meus olhos e voltei a fechá-los, sem dar muita importância aquele brutamontes em forma de gente. Contudo, ficar em paz não foi possível já que ele me puxou pelo braço e me jogou para fora da cela. – Tá maluco, cara? – Eu fui para cima dele, mas alguma menina me puxou, dizendo que era melhor deixar pra lá se eu não quisesse ir pra solitária. Eu me desvencilhei dela e segui na direção que todo mundo seguia, xingando todas as gerações daquele segurança. Foda-se solitária, foda-se tudo naquele lugar. O infeliz, não contente, ainda correu e me acompanhou lado a lado, chamando outro segurança para ficar do meu outro lado, cada um segurando em um dos meus braços.

Observei que a porta da sala estava aberta e assim que entrei, os dois soltaram meus braços, mas se mantiveram do meu lado. Não demorou muito para uma voz irritante tirar o silencio do lugar. - Preguiça de andar e precisou que te carregassem? – Olhei para o lado, rezando que não fosse quem eu estava pensando. Infelizmente, meu pedido as forças do universo não foi aceito. - Ele é um saco né? Parabéns, vocês são demais por conseguirem fazer ele calar a boca. Se acham que mulher fala e reclama muito então não o conheceram. – Soltei uma risada extremamente sarcástica, sem ligar para o volume da mesma. – Que tal morrer, Heidi? – Chamei-a pelo nome que a mesma odiava e deixei um sorriso falso no rosto ao ver sua cara de descontente. Ela ia falar algo, mas a cortei, levantando a mão na frente de seu rosto. – Faz um favor pro mundo e cala a boca, ninguém aqui é obrigado a ouvir essa tua voz de cabra no cio. – Um dos seguranças puxou meu braço e no estado em que me encontrava, iria revidar ou falar algo, mas uma outra voz, muito mais alta, preencheu o lugar.

- Vamos começar por...

#tags | XX words | notes ©


● ● ●

Oliver A. Buckingham
Oliver A. Buckingham
the great danger
the great danger

Mensagens : 13
Data de inscrição : 09/12/2015
Localização : Hell

Ficha do Prisioneiro
Nível: 07
Experiência:
20/100  (20/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Bae Buckingham em Ter Dez 15, 2015 8:18 pm


E
u tinha acabado de fazer minha higiene matinal e agora estava na frente de um espelho, minúsculo de um lugar fedido. Olhei meu reflexo no espelho, entortei minha cabeça para um lado e outro e fiz uma careta. – Nossa Bae, até como prisioneira tu fica gata. – Disse para mim mesma, arrumando meu cabelo em um penteado meio preso e meio solto. Ah, qual é, eu tenho uma boa autoestima. Sei que sou bonita e poderosa, pra que vou tentar me dizer o contrário ou ficar de modéstia? Amiga, se tem uma coisa que eu sou é sincera e realista. Enfim, umedeci meus lábios e dei algumas mordidinhas nele fazendo com que o mesmo pegasse uma corzinha. Que falta fazia meu batom vermelho.

Sai daquela espelunca cantando “Boom Clap” da minha BF Charlie, sem me importar com algumas caras feias me olhando até que cheguei na minha cela e lá tinha uma garota um pouco estranha. Ergui uma sobrancelha analisando o cabelo dela totalmente sem vida e por três segundos, imaginei uma Bae no futuro idêntica aquela garota, mas logo apaguei aquilo da minha mente. Eu era bonita até doente. Sem chance. – Essa é sua cela? – Perguntei antes de entrar e a menor disse um “não” meio baixo. – Sai. – Ordenei, já entrando na cela e me sentando naquele pedaço de chão erguido que chamavam de cama. A garota me acompanhou com o olhar e eu bufei. – Sai! – Ordenei em um tom mais ríspido e a mesma saiu dali sem pestanejar. – Espero que meu parceiro de cela seja alguém bonito ou bonita, pelo menos. – Murmurei comigo mesmo. Meus pensamentos foram interrompidos por uma voz alta pedindo para que fossemos a sala de projeções porque o “Papai Noel” tinha chegado. Juro que o modo sarcástico como aquela voz falou me lembrou Oliver em um dos nossos Natais. Ele odiava aquela data. Eu gostava. Afinal, quem não gosta de esfregar na cara dos parentes mais pobre e feios o quão melhor você é e ainda ganhar presentes por isso?

Enfim, segui meu caminho calmamente até essa cela, seguindo as pessoas que passavam por ali. Observei que tinha algumas luzes fofas, mas aquele lugar era tão macabro que não me passava sinceridade nenhuma. Assim que entrei na sala, avistei um dos garotos bonitinhos que tinha conhecido no refeitório. Ele parecia o Matt e se o brinquedinho dele fosse como o do meu ex, sem dúvidas seriamos grandes amigos. Já ia puxar assunto quando ouvi um barulho vindo da porta, virei meu corpo para ver a fofoca e não é que dou de cara com meu irmão sendo carregado por dois seguranças? Ri comigo mesmo. Isso era típico do Art. Coloquei meu melhor sorriso ao caminhar pra lá e parar na frente dele, com as mãos na cintura. - Preguiça de andar e precisou que te carregassem? – Debochei, vendo-o revirar os olhos. Me virei para um dos seguranças (que era um gato) e disse no meu melhor tom. - Ele é um saco né? Parabéns, vocês são demais por conseguirem fazer ele calar a boca. Se acham que mulher fala e reclama muito então não o conheceram. – Ri, mas Oliver deu uma das gargalhadas sarcásticas irritantes dele, pedindo para eu morrer e me chamando por aquele nome horrível. Fiz uma cara feia e já ia dar um belo tapa na cara dele quando ele fez um sinal de “pare” com a mão e falou da minha voz, mas o segurança puxou o braço dele com força e eu ri. Ia até debochar, mas uma outra voz ecoou no lugar.

- Vamos começar por...


Boom boom boom clap
®
Bae Buckingham
Bae Buckingham
the boredom killers
the boredom killers

Mensagens : 21
Data de inscrição : 11/12/2015
Idade : 23
Localização : Cela 36 meu bem.

Ficha do Prisioneiro
Nível: 16
Experiência:
85/100  (85/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por River Kjærholm-Cøer em Ter Dez 15, 2015 8:41 pm



I'm careless


O silêncio e o tormento. Os fragmentos mentais sempre são os mais essenciais. Para ela, não tinha muita coisa, aliás o mundo não tem tantas coisas que a interessem. Estava sentada na posição de índio com qualquer objeto equilibrado entre os dedos, fintando a parede. Uma voz que estremecia seus ouvidos, a fez se virar rapidamente a busca do rosto, mas logo desaparecera. Tinha algo em referência a sala de projeções, e a má aceitação, traria penosas situações para a vida dela. Ergueu-se do chão com dignidade mesmo que ainda estivesse meio sonolenta a tacando o projétil antes alvo de sua brincadeira e saiu da cela furtiva como uma sombra. Seus olhos como um breu, fintavam a extremidade, era claro que odiava ter que sair do seu mundo. Demorou tanto para construir o seu palácio imaginário que seria considerado uma praga a que a fizesse volver. Os dedos finos e maltratados, passavam pelas grades das celas num sorriso melancólico. Nesta observação percebeu que sua confusão mental foi capaz de diversificar um som transmitido dos alto-falantes com a de uma pessoa qualquer, o que faz brevemente revirar os olhos. As saletas que no qual atingira, eram vermelhas, uma cor rubra tão sexy e viciante, parecia se meter numa enrascada. O pé dispersava realmente o recinto até ver uma porta entreaberta fazendo seu corpo alavancar a frente e girar a face para os dois lados a espera de alguma reação.  Quando por fim adentrava, sua respiração estava totalmente equilibrada, parecia ter feito yoga ou algum maldito tratamento para se acalmar. Parecia como Constantine, um homem que viu algum dia num filme ou pelo menos, ouvira muito falar. Não costumava ficar presa a qualquer projeto famoso tal como coisas tecnológicas nem mesmo a novela, romance então? Depois dos seus dez parecia que aquilo era uma palavra perdida no dicionário. O chão estava cuidado a palavra jogo parecia ser o centro fixo de sua atenção. sorriu olhando para baixo até ouvir o mesmo timbre de voz que a despertara do tédio, todavia sem a intervenção do metálico :

— Vamos começar por... - Agora, aguardar.


Not helpless, never wanna help then go to hell Whiskey and wine Night after night You haunt me Losing my mind Set it on fire You haunt me



River Kjærholm-Cøer
River Kjærholm-Cøer
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 84
Data de inscrição : 12/12/2015
Idade : 28
Localização : Check the rep.

Ficha do Prisioneiro
Nível: 05
Experiência:
10/100  (10/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Alex R. Slaint em Ter Dez 15, 2015 9:06 pm


Ho ho ho...

Olhei para o alto falante que ficava próximo a minha cela, tomei um breve susto com o som repentino e ouvi atentamente o que aquela voz pronunciava. Dei um sorriso debochado e balancei os ombros não acreditando no que tinha acabado de ouvir.
- Sério que agora deram para brincar bem no evento de natal? - era estranho e bastante irônico aqueles filhas da puta fazer isso bem na época natalina.
Minha cela se abriu e então pude reparar nos outros prisioneiros andando para a direção comandada pela voz master dos altos falantes. Respirei fundo e apenas segui de forma lenta seguindo os outros com os braços cruzados e sem empolgação nenhuma com aquela brincadeira de péssimo gosto.

Chegava em um corredor todo enfeitado me surpreendendo com os enfeites, aquilo estava bastante estranho. A sala era extensa e estava com bastante gente, as palavras do outro novamente se colocou presente e então todos ficaram atentos para a pessoa que se pronunciava e então a expectativa se intensificou.
— Vamos começar por...
Esperei ansioso e receoso pelo nome que o outro poderia falar, só esperasse que não fosse o dele.

...Bad Christmas

Esse é meu post de número {02}. O tempo está {nublado}, e estou usando {uniforme de presidiário}, estou falando com {ninguém}. Estou postando {evento}. E agradeço a Lari por esse template.

● ● ●


Tell myself I wouldn't cry when you're gone, but I know it's easier said than done.
Alex R. Slaint
Alex R. Slaint
the boredom killers
the boredom killers

Mensagens : 11
Data de inscrição : 08/12/2015
Idade : 34
Localização : Preso

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: Evento - Péssimo Natal [Inscritos]

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Página 1 de 2 1, 2  Seguinte

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum