— the sinner's cry

Ir em baixo

— the sinner's cry

Mensagem por Willem Wërtz Hoffmeister em Dom Dez 20, 2015 4:22 pm




Galaxies




Kid you still don't know but you have galaxies in your eyes when you learn this it'll be the most beautiful thing
perfil —
dados;
Doze anos. Alemão. Snakes. Virgem. Ty Simpkins.

família;
Tessa Wërtz Hoffmeister, irmã;
Nacisa Bërk-Wërtz, mãe;
Thorfinn Hoffmeister, pai.

amigos/aliados;
Maxwell Baiocchi Fasano, amigo, lealdade, afeto, respeito.

alcunhas;
Will, Wille, The Jumper, Trickster.

aparência —
Cabelos loiros e lisos, sempre desgrenhados. uma cor comum em sua terra de origem, Alemanha. Nada de especial na coloração: apenas um amarelado rotineiro, nada demais nem de menos. Suas feições infantis até mesmo para sua idade, fazendo com que estranhos ou pessoas que não estão habituadas ao menino, darem-lhe 2, até 3 anos a menos que sua real idade, doze anos — mas não se engane, por trás de traços inocentes e olhos azuis, grandes, intensos e expressivos, lacrimosos, se escondem sorrisos e expressões que podem, em poucos segundos, se tornarem nas mais maliciosas e travessas possíveis. Convenhamos, por mais angelical que tenha sido durante a primeira infância, Willem ainda é, apesar de tudo, uma criança, e crianças gostam de implicar.

Baixinho. meros 1,56 de altura, ainda que esteja na altura certa para sua idade — ou assim espera —, é pequeno comparado a maior parte de suas poucas companhias, mais velhas, superando o menino em vários centímetros. As bochechas, avantajadas, não chegam a ser exageradas, mas contribuem para a aparência infantil e inocente, coisa que, certamente, não é — na medida do possível para um garoto de doze anos.

personalidade —
Uma criança travessa. Essa é a melhor definição para Willem. Sempre foi sozinho; seja em casa, fosse na escola, então encontrou um jeito de suprimir essa sensação de vazio toda vez que olhava para seu quarto, ou da sua irmã. Se mostra uma pessoa difícil de enganar, mas cm uma enorme aptidão em enganar os outros, um bom mentiroso, criativo em engenhoso, independente à sua própria forma. Não precisa de ajuda. pode pular muros, abrir fechaduras, passar despercebido sozinho, de forma natural, um talento nato. Em seus piores trabalhos, a vítima só percebe quando já é tarde demais. Desapegado, nômade, livre a sua própria forma. não gosta de ficar no mesmo lugar, sempre migrando de cômodo, de rua, de bairro — na maioria das vezes, num único dia antes de voltar para casa. por onde passa, por mais que não deixe rastros, leva consigo uma lembrança da invasão, da viagem, algo para segurar contra o peito e pensar no que foi feito no lugar de origem do objeto. Mas isso é apenas uma consequência da sua inabilidade em ficar quieto; sempre precisa ter as mãos em algo.

Bem humorado, na maior parte do tempo, sempre criando a próxima ironia ou gracinha que sairá da sua boca. O sorriso travesso e maldoso está sempre em seu rosto, dando as expressões infantis e adoráveis um ar quase caótico, coisa que reside nas camadas mais externas da mente de Willem. Sempre pensando em alguma artimanha, um plano elaborado, ou somente prestando atenção na pessoa mais próxima para dar um susto; mas o fato é: a mente dele nunca está parada. Sempre há alguma coisa rolando em seus pensamentos, alguma ideia por trás dos olhos azuis e expressivos.

antes da prisão —
Um bom menino, mas só. Nada demais. Não muito importante. Foram frases que Willem ouviu toda sua vida, desde consegue se lembrar. Sempre foi uma criança comum. Escola, casa, chorar em casa. Sua rotina. seus amigos? Nunca teve muitos. Era tão chorão que as crianças tinham medo de se aproximar. Cresceu uma criança amarga. Era mimado em casa e igualmente rejeitado, seus pais ocupados demais em trair um o outro, sua irmã nunca gostou muito dele. A triste verdade era que foi solitário, ninguém sendo capaz de estender uma mão amiga, tirá-lo no fundo do poço que se encontrava. Tudo o que um menino precisa são brinquedos e amigos, mas ele só tinha os primeiros citados.

Contudo, foi o tédio que inacreditavelmente o salvou. Com sua irmã indo para festas e deixando-o em casa, além de mais sozinho, se sentia entediado. Começou com simples sustos às empregadas. elas nunca sabiam quando Willem atacaria, sempre muito bem escondido em algum canto da casa, em intervalos irregulares. mas... Era divertido. Alguns dos funcionários até chegaram a comentar com o pai do menino como ele estava mais alegre, feliz, e até se alimentando melhor. A homem não deu muita atenção. Não foi um grande problema para o menino: ele não sabia que os empregados comentaram alguma coisa.

Quando ficou um pouco mais velho, resolveu começar a sair de casa. Vagar pelas ruas aleatoriamente, colocando mais irregularidade dos intervalos entre os sustos que dava nos funcionários de sua casa — mas agora, era pior: os pobres empregados nunca sabiam quando o menino estava fora ou não. Invadia casas, roubava. Não é como se precisasse; era rico, seu pai era rico. Contudo, era uma distração para sua mente. Algumas vezes, entrava nas habitações e nada fazia: só ficava olhando algumas fotos, lembranças, e invejando a família que ali morasse, desejando que sua mãe oportunista, seu pai ausente e sua irmã que o odiava, fossem como as pessoas das fotografias: amáveis, unidas. comuns. Para maiores informações, confira a FP de Willem clicando aqui.






Última edição por Willem Wërtz Hoffmeister em Sab Jan 16, 2016 2:07 am, editado 5 vez(es)

● ● ●



Willem Bërk-Wërtz Hoffmeister


avatar
Willem Wërtz Hoffmeister
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 35
Data de inscrição : 19/12/2015
Idade : 15
Localização : roubando

Ficha do Prisioneiro
Nível: 02
Experiência:
90/100  (90/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — the sinner's cry

Mensagem por Willem Wërtz Hoffmeister em Dom Dez 20, 2015 6:34 pm

Missions and Plot stuff

This ain't american horror story, willem • op mission
The Maze Runner — a less cooler version • op mission


Active Threads

lose your mind • tessa wërtz offmeister
a crown made of crows • kitty levi
where did the party go? • America Pyper and CARNATION VËRR-DALIESEAUX


Inactive Threads

new blood • madeleine skye underwood
winston we have a problem here • maxwell baiocchi fasano
NOME • com fulana


Última edição por Willem Wërtz Hoffmeister em Sex Jan 15, 2016 1:04 pm, editado 15 vez(es)

● ● ●



Willem Bërk-Wërtz Hoffmeister


avatar
Willem Wërtz Hoffmeister
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 35
Data de inscrição : 19/12/2015
Idade : 15
Localização : roubando

Ficha do Prisioneiro
Nível: 02
Experiência:
90/100  (90/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — the sinner's cry

Mensagem por Willem Wërtz Hoffmeister em Dom Jan 10, 2016 11:46 pm


avó, respeito, afeto, saudades

Fiona sempre foi uma mulher forte e independente. Nunca aceitou desaforo de ninguém e nunca aceitou levar um não como resposta, sempre tirando os netos de dentro da casa problemática dos pais com ou sem autorização de Thorfinn, seu filho. Também, nunca se deixou depender do marido, tendo seu próprio emprego e sua própria conta bancária ("eu é que não vou depender de homem, palhaçada do caralho"). Talvez, por isso, o menino sempre tenha admirado muito a mulher mais velha, a figura feminina que passou a pesar em sua vida. Em todas as lembranças de Willem, Fiona aparece fumando ou falando de assuntos que uma criança não deveria ouvir, mas esta era a parte divertida das férias junto com a mulher.

Fiona sempre incentivou os netos a tomarem o que quisessem na vida independente do que ficasse em seu caminho. A avó sempre foi a lembrança mais forte de will toda vez que invadia alguma casa para roubar — afinal, aquele gesto significava a tomada de sua própria liberdade, coisa que desde sempre Will se inspirou na mais velha.

Se havia algo que o menino achava incômodo na Hoffmeister mais velha, era a insistência dela em arrancar as verdades dos netos: eles só entravam na casa se contassem para ela tudo o que passaram durante o ano para que depois ela ralhasse com o filho. Uma vez que Willem nunca teve laços fortes — positivos ou negativos — com os pais, não via problema em contar, mas ainda era incômodo compartilhar algumas coisas, como as traições dos pais ou a sua solidão na escola.

"and who are you, the proud lord says, that i must bow so low?"



the badass grams


Respectable Man

avô, respeito, afeto, saudades

Walder era a única figura masculina decente na vida de Willem, ainda que um pouco mais antiquado que Fiona. Tinha alguns conceitos arcaicos, contudo, nada que Willem absorvesse ou ligasse muito. Walder era a pessoa que Willem mais seguia pelos cantos, escondido, nas visitas de verão à casa dos avós; havia pego certa desconfiança dos homens adultos desde que descobriu das traições de seu pai. Mas seu avô sempre fazia o mesmo percurso em casa: sala, biblioteca. e na biblioteca, ele ficava horas e horas, lendo um livro atrás do outro, bebendo café, conversando com Fiona.

Will nunca soube, mas toda vez que ele resolvia parar de seguir Walder e ele mesmo ler um livro, o avô erguia o olhar da página de seu exemplar e exibia um sorriso orgulhoso na direção do neto; o senhor sempre sabia quando o neto estava seguindo-o ou não, e por saber das desconfianças do menino, fazia questão de sempre se mostrar um homem respeitável e digno de confiança. Quando não estava passando as tardes calmas e mornas lendo e assistindo televisão, Walder contava para quem quisesse ouvir as histórias da Segunda Guerra Mundial e de como escapou de servir no exército.

"those are dark times, children, the only thing keeping you rom death is a invisible choice: you or the world"


mãe, indiferença, desrespeito

Narcisa foi uma mãe extremamente ausente na vida de Willem. Estava sempre fora de casa, fazendo unhas, cuidando dos cabelos, traindo o marido. Os poucos momentos que estava com o filho, usou para feri-lo moral e psicologicamente, sempre lhe culpando por algo que tenha dado errado — mesmo que o menino não tivesse culpa — ou exigindo demais do próprio filho, dizendo que ele foi o maior fracasso da vida dela, e que "ao menos sua irmã serviu para me tirar da pobreza e da fome, e você? só veio ao mundo como empecilho", insistente ao fato do filho ser apenas uma criança que necessita de cuidados.

Apesar de tudo, Willem não alimenta ódio pela mãe como sua irmã Tessa o faz; talvez a mulher tenha causado alguns danos psicológicos no menino — baixa autoestima, uma ponta de ansiedade —, mas Willem não se vê capaz de odiar seus pais nem se fizesse esforço — para ele, são pessoas quaisquer que por acaso vivem na mesma casa ele. Com o passar dos anos, aprendeu a ignorar narcisa e a se afastar da mulher, ocupando a mente com distrações como implicar com a irmã mais velha e assustar os empregados da casa.

"i stopped to care the moment you were born"



disloyal one


absent dad

pai, desrespeito, indiferença, desconfiança

Thorfinn conseguiu ser mais ausente que Narcisa em todos os sentidos. Em quase todas as lembranças de Willem, o pai estava trancado em seu escritório, sempre em casa mas não exatamente. Nunca deixou com que o filho se aproximasse muito, o que fez com que Willem crescesse uma criança apática ao pai; assim como narcisa, não ama Thorfinn, mas também não lhe deseja nenhum mal.

O relacionamento do menino com o pai foi construído a base de decepções por parte de Will: assim que começou a se esconder pelos cantos da casa, descobriu as saídas noturnas do pai e as algumas amantes que às vezes o homem levava para casa. Se antes ficava um chateado pelo bloqueio de seu pai, quando descobriu os segredinhos sujos do homem, apenas criou um sentimento de indiferença, um tanto faz enorme censurando os olhos de Thorfinn toda vez que pensa no homem. Quando era mais criança, gostava de pensar que seu pai e o herói Thor tinham alguma ligação, por causa do nome do homem.

"you weren't supposed to born. how did you end up in this world?"


irmã, afeto, dependência, lealdade

Teresa (Tessa) foi, de longe a pessoa mais presente a vida de Willem desde o seu nascimento. Por mais implicante que fosse e não gostasse do irmão, é a figura que ocupa a mente e as lembranças do menino em sua maior parte: estava lá para buscá-lo na escola quando era muito novo para saber o caminho de casa, estava lhe fazendo companhia na enorme casa em que viviam, mesmo que em silêncio e, na maioria das vezes, a garota não soubesse que, de fato, estava perto do irmão — não tinham um relacionamento muito bom, então Willem passava a maior parte do tempo escondido, observando Tessa ou lendo algum livro enquanto ela estava no mesmo cômodo que ele. Mas, sendo a criança travessa que é, não perdia a oportunidade de puxar briga com a irmã sempre que podia, implicando com ela até que a mesma devolvesse os insultos e fosse atrás dele por vingança.

No entanto, as coisas mudaram de forma trágica assim que Teresa atingiu certa independência e começou a sair de casa. Os poucos momentos que Willem via irmã era muito tarde de noite, quando não conseguia dormir e se esgueirava escondido pelos cantos da casa, observando tudo como uma sentinela e registrando, mentalmente, os horários tardios que a irmã chegava em casa; ou a tarde enquanto ela dormia o sono perdido de noite. Willem nunca a acordava, contudo, sabendo que precisava dormir e recuperar as energias, mesmo que fosse ficar fora de casa depois e não dar mínima chance do irmão de se aproximar.

Consumido pelo tédio de não ter mais a companhia da irmã, Willem se dedicou a melhorar suas habilidades em invasão de casas e passar despercebido.

"Live fast and die young, bad girls do it well"



bad sister girl


dangerous toy

conhecida; indiferença, aproveitamento, escárnio

Madeleine foi uma pessoa que Willem encontrou por acaso. na verdade, nunca pediu para conhecê-la, mas se sente grato por tê-lo feito. A moça se mostra inocente nos padrões de piadas e ironias do menino, coisa que o motiva a brincar mais ainda com a mente de made, usando sorrisos e tiradas sarcásticas que tiram-na do sério e causam-lhe explosões de raiva — coisa extremamente engraçada na visão de Willem. apesar de tudo, o menino se esforça para não desencadear uma reação que trará a tona os poderes da mulher, o que não seria nada legal.

Durante o breve diálogo que tiveram, o único sentimento desenvolvido pela mulher foi o de escárnio e aproveitamento. Madeleine é um parque de diversões de reações ambulante e, com o jogador certo, as coisas podem se tornar deveras interessantes num lugar tão monótono quanto a prisão. Mas, por enquanto, Willem preferiu guardar seus planos para si, sabendo que não seria uma boa ideia colocá-los em prática ainda. Não teria controle da situação. Nunca teve, e não seria do dia para noite que poderia tê-lo com made.

"by meeting me you made a deal with the devil"


amigo; afeto, amizade, lealdade, dependência

Max é o irmão mais velho que Willem nunca teve. Enquanto Tessa passou a vida evitando o irmão mais novo, Maxwell se mostra o completo oposto da irmã de Will: é engraçado, divertido e sua mente, aparentemente, funciona como a do menino de 12 anos, o que evita comentários como "vê se cresce, garoto", muito comuns da parte de Teresa. Normalmente ácido e sarcástico, o Hoffmeister mais novo não consegue tirar sarro nem ser irônico com o adolescente, não tendo certeza se é porque sempre que o encontra, está cansado e ocupado tendo surtos de adrenalina, ou porque Max consegue ser cativante em excesso, drenando a ironia do menino. O rapaz é um trapaceiro incorrigível, com poucas diferenças em comparação a Will — talvez por isso, todo momento que está com o mais velho se sente em casa, um sentimento quente e familiar no peito, algo que nunca sentiu durante a vida solitária que levava antes da prisão.

Ainda sim, há divergências, mesmo que leves, que valem a pena ser ressaltadas: enquanto Max segue um código moral de só pregar peças em babacas valentões, Willem só pensa em uma coisa: se divertir. Qualquer um em seu campo de visão é um alvo, embora se concentre mais em ser implicante e fazer coisas mais inofensivas com pessoas desconhecidas: pregar um susto, roubar algum objeto. Como o menino mesma pensa: "eu não sou um herói justiceiro usando seus poderes para o bem. Acho que, sei lá, estou mais para um anti-herói com senso de humor destorcido."

Uma coisa que não consegue impedir-se de fazer quando está com Max é compará-lo a Teresa: enquanto o primeiro simboliza liberdade, o caos que sempre procurou a vida inteira, travessuras e trapaças para Will, Tessa significa segurança, um chão firme para pisar, algo fixo. Por ser uma criança, talvez Will veja a companhia de Max como algo preferível; afinal, o menino só tem doze anos, sua mente funciona em torno da palavra diversão — mas Willem sabe que Teresa é tão importante quanto Maxwell; os dois mais velhos funcionam como dois lados da mesma moeda, Yin e Yang, para o menino. Na mesma medida que ama trapaças e pegadinhas, e por isso sente grande afeição por Max, como se fosse seu irmão, Will entende que precisa de algo permanente para se apoiar.

"You ain't nothing but a troublemaker, dude"



Troublemaker


good mother

conhecida, indiferença

em construção



● ● ●



Willem Bërk-Wërtz Hoffmeister


avatar
Willem Wërtz Hoffmeister
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 35
Data de inscrição : 19/12/2015
Idade : 15
Localização : roubando

Ficha do Prisioneiro
Nível: 02
Experiência:
90/100  (90/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: — the sinner's cry

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum