[FP] — OWL, Anakin —

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[FP] — OWL, Anakin —

Mensagem por Anakin Vanderbilt Owl em Sex Dez 25, 2015 6:20 pm




21ANAKINOWL

Nome completo /////////////Anakin Vanderbilt Owl

Nascimento /////////////01 Abril 1994

Nacionalidade /////////////Irlandesa

Sexualidade /////////////Heterossexual

Super-Poder /////////////Mimetismo Empático

Medo /////////////
Metofobia; o medo irracional de mariposas e borboletas

Faceclaim /////////////
Dougie Poyter


"Uma frase que defina seu personagem, caso coloque em outra língua traduza ao lado."

PERSONALIDADE



— Simpático, extrovertido e hiperativo. Anakin não tivera problemas em sua criação, muito menos antes de vir a ser preso inconsequência. Deteve de uma educação louvável, tivera os melhores recursos consigo e as pessoas simplesmente adoravam-no por seu temperamento aberto e acolhedor — se não pela fortuna que carrega em seu sobrenome.

Descreva seu personagem psicologicamente, seu jeito de pensar, seu jeito de decidir as coisas. Como ele trata as pessoas ao seu redor, como se relaciona com elas.

HISTÓRIA



— Primogênito de uma geração que permanecia sobre os domínios predominantes da tradição posteriormente criada pelos antepassados clãs, não tivera outro sentimento que não fosse felicidade quando fora anunciada a chegada do herdeiro que acarretaria com os negócios da família quando chegasse a maior idade. Os Vanderbilt, em eras, criaram uma fábrica da mais refinada cerveja que apenas propulsionou vossas vendas com os anos se que passaram desde então. O sobrenome foi reconhecido em escala mundial e as vendas aumentaram tantos em seus fornecedores como o preço da preciosidade. Acompanhados de clientes seletos e de demasiada conta bancária, o sucesso absoluto de seu produto apenas beneficiou os demais parentes e tornou a família ainda mais reservada com a tradição que carrega. Em tempos remotos, o escândalo do incesto perdurou por muitos anos, até que casamentos arranjados —  e costumeiramente de faixada — afastaram a imprensa de tais escândalos. A única noticia que estampava as revistas irlandesas fora a vinda do herdeiro e o primeiro de uma geração. Paparicado por seus parentes, permanecia distante de dificuldades e mais próximo de riquezas materialistas.

— A adolescência não poderia ser diferente para outro que não fosse cercado de tamanhos luxos. Tornou-se temperamental, entrando em algumas confusões em sua estadia nos colégios e professores particulares. Tomado por más companhias, denegriu-se em festas e no uso de substancias lícitas e ilícitas, sendo acobertado por diversas vezes por dia dos advogados e empresários contratados por sua família. Sendo constantemente repreendido por seus progenitores, estes não puderam ter outra medida que não fossem mandar seu filho para um colégio militar no interior da Alemanha, distante das terras das quais estava acostumado. Revolto em seu próprio sentimento de traição perante a escolha de seus parentes, passou a tornar-se mais disciplinado, acostumando-se com a mesma rotina dos homens que estão encarregados de proteger o país. Assim que completou a maior idade, não retornou para o consolo de seus pais, instalou-se em um apartamento em Nova Iorque até que ganhasse a coragem de pedir perdão por seus erros. Neste meio tempo, redescobriu uma paixão esquecida: a música. Tornou-se apto em inúmeros instrumentos e demonstrou extremo talento em seu desempenho. Com um novo hobby e o sonho de servir ao exercito de seu país, retornou aos braços daqueles que lhe gerou.

— Neste meio período foi constantemente coagido por sua família a esquecer completamente o sonho de tornar-se um soldado para que tomasse à frente das empresas. Embrutecido, retornou para Nova Iorque com a dúvida instalada em sua cabeça: tornar-se o homem que sua família anseia ou o tornar-se o homem que segue seus sonhos acima de tudo? E fora nessas dúvidas que foi atingido, em uma tarde qualquer ao perambular pelas ruas centrais ao carregar seu violão, que foi exposto ao gás tóxico que viria a mudar sua vida para sempre. Em questão de semanas que fora tomar consciência que algo diferente estava acontecendo consigo, sua mente fora preenchida por recordações alheias. Tratavam-se de estranhos que assistiam a uma de suas apresentações em bares, e estes vieram a encará-lo com estranheza quando surtou em meio do palco.

— Não houvera outro destino do que uma internação, pois os médicos acreditavam que não poderia ser outra coisa que não fosse a loucura. Constaram rapidamente os progenitores do irlandês, que trataram de solicitar a transferência de Owl para seu país de origem. Inconsciente de tamanha decisão, nessa mesma noite ocorreu sua fuga. A chuva ensopara a figura posteriormente reconhecida em seu país, que agora tratava de entrar em contato com seus conhecidos. Cientes de que poderia ser mais uma das aberrações que tornara-se em contato com gás, não tardou para que fosse facilmente encontrado por tais cientistas, facilitando sua localidade com sua fuga. Desacordado, seu destino estendeu-se em um mar de incertezas diante de si.

A ENTREVISTA



(...) And then leave me alone
Don't try to wake me in the morning
'Cause I will be gone
Don't feel bad for me
I want you to know
Deep in the cell of my heart
I will feel so glad to go...


O breu tomaria totalmente sua visão se não fosse uma luz ofuscante ao que lhe parecia um corredor. Assim que seus olhos acostumaram-se com esta, uma silhueta aparentemente feminina materializou-se ao seu centro, com os braços abertos em direção a figura confusa que arrastava seus pés em direção a mesma: sua mãe, protetora e bondosa acolhendo o filho rebelde e distante. "Mãe... Mãe!?" tentava gritar, mas sua boca não provocou som algum quando abriu-a, a mulher desabara no chão e seu corpo desaparecera no mesmo instante que seu corpo fora absorvido pela luz. A luz de incerteza, a luz que traria um destino desconhecido e terrível. A escuridão, afinal, parecia bem mais acolhedora e estranhamente atraente.

(...)

Despertou com dificuldades, suas pálpebras pesadamente se erguiam e seus pulmões puxavam rapidamente o ar como se tivesse passado um longo tempo desprovido do elemento. Tentou mover seu corpo, agitando os membros e apertando os lenções ao perceber que estava preso: — Alguém...!? Onde eu estou? — sua voz não passava de um sussurro fraco, distante e errado perante a confusão que estabelecia-se em seu pensamento. Desprezava se sentir dessa forma, frágil e impotente. — Vocês não podem... ME TIREM DAQUI! — retornara finalmente para o pesadelo que escapara? Obviamente, não se tratava do mesmo ambiente.

Aqui você deve descrever uma situação em que seu personagem acordou, deitado numa maca com roupas de paciente de hospital. Suas mãos estão presas com algemas, não conseguindo se levantar, apenas a cabeça para observar o que tem ao redor. Você esta tomando um soro, como se estivesse doente e então me conte como foi ficar ali pro alguns minutos sozinho. Depois de alguns minutos um médico vestido de branco, com um capuz escondendo o rosto e a voz distorcida vai entrar e você deverá reagir de alguma forma quando ele aparecer, seja perguntando o que esta acontecendo, xingando ou algo do tipo, seja criativo.

Ele começará fazendo perguntas e apenas isso.

O que você tem de único? Qual sua melhor qualidade e seu pior defeito?
Resposta.

Por quais motivos acha que veio para cá? O que vai fazer se eu te contar que nunca mais vai poder voltar para casa?
Resposta.

Qual era a coisa mais importante na sua antiga vida e por que era isso?
Resposta.

Se defina em três palavras.
Resposta.

Qual seu maior medo e o que você faz para combate-lo?
Resposta.

Depois que a entrevista for concluída, ele largará a ficha em cima de uma mesa próxima e vai chegar perto de você ajeitando uma luva plástica e pegando uma seringa com um líquido cinza. Descreva o que achou ao perceber o que estava acontecendo e qual foi sua reação ao perceber a agulha te furando. Alguns segundos depois você vai desmaiar e o homem sairá da porta e entrará dois outros de terno preto, também encapuzados. Você não saberá de mais nada, apenas vai acordar novamente numa cela de prisão, com a porta aberta. Suas roupas são listradas nos tons preto e branco.

avatar
Anakin Vanderbilt Owl
the newbie
the newbie

Mensagens : 1
Data de inscrição : 25/12/2015

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum