[RP] Let The Boys Play

 :: H u n t e d

 :: Prisão

Ir em baixo

[RP] Let The Boys Play

Mensagem por Princeton V. Czarevich em Seg Jan 11, 2016 9:01 pm



Let The Boys Play
H U N T E D


✖ Usuários: Logan Daehler Rothschild e Prince Volkmer Czarevich.
✖ Status: Em andamento e restrita.
✖ Local: Banheiro.
✖ Conteúdo: Livre eu acho -q
✖ Dia: Dois dias após a entrada de Prince na prisão.
✖ Clima: Whatever, o local é fechado portanto não dá pra ver qual é o clima lá fora.
@DFRabelo
avatar
Princeton V. Czarevich
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 10
Data de inscrição : 19/12/2015
Localização : Hell, chega mais.

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
0/100  (0/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [RP] Let The Boys Play

Mensagem por Princeton V. Czarevich em Ter Jan 12, 2016 3:02 pm

----Let's play

Tive que controlar-me para não arrancar os olhos daquele detento desgraçado, mas felizmente ou não um guarda apareceu para apartar uma possível briga que poderia iniciar-se naquele corredor. Eu não sou de cair na mão com ninguém, até porque eu tenho a ciência de que não sou nem um pouco forte, porém não aceitaria afrontas de nenhum bandidinho cheirando a leite, seja ali ou aonde for. Odeio brigas, mas não gosto de levar desaforo pra casa, no caso, pra cela. O guarda que me afastara do outro detento ainda me arrastava pelos corredores quando soltei-me de sua mão pesada e parei no meio de algum corredor aleatório.
— Não é necessário conduzir-me, embora esteja aqui há pouco tempo..."E não pretendo ficar muito" pensei em meu íntimo. — ...conheço o caminho até minha cela. — O guarda aproximou-se de mim e pousou sua mão calejada em meu pescoço, prendendo-me contra a parede. Segurei com ambas as mãos o punho da sua que apertava meu pescoço cada vez mais. — Solte-me, seu obtuso. — Falei com a voz um pouco esganiçada devido ao apertão.
— Eu conheço detentos como você, se acham os espertões, acham que aqui é uma porra de uma colônia de férias, mas escute aqui. — Ele apertara ainda mais a mão, a esse ponto já começava a faltar-me o ar e a tontura viera tão rapidamente quanto a mão dele foi ao meu pescoço há pouco. — Você não irá sair tão cedo e é bom que acostume-se com as regras. — Finalmente ele libertara-me do aperto. Passei a mão em torno do meu pescoço, tossindo um pouco. Tinha certeza que as marcas dos dedos dele estavam sobre a pele do meu pescoço. Olhei-o com rancor, mas ele já havia dado as costas e estava andando em direção ao lado para o qual estava arrastando-me. Respirei fundo massageando meu pescoço e saí dali sem olhar para trás.

Caminhei até o banheiro mais próximo e adentrei. Aquele local, sem sombra de dúvida, desconhecia o que era um produto de limpeza havia séculos. Eu nunca havia entrado em banheiro algum ali desde que entrara, e se soubesse que era assim jamais teria adentrado em um. Caminhei sentindo repulsa, além de fedorento, não havia um milímetro limpo sequer naquele local. Andei em direção a um espelho, ele estava rachado e quebrado em alguns espaços, no entanto havia um espaço o qual eu podia observar minha imagem. Passei a mão pelo pescoço observando as marcas de dedos. — Cretino. — Murmurei analisando os danos. Comecei a olhar-me ainda mais, estava sentindo-me mais velho do que quando entrei. Aquilo não poderia acontecer, em hipótese alguma, não ali dentro! Passei a mão pelo meu rosto sentindo a pele lisa e firme. — Por favor, sei que não tenho sido um bom garoto, mas não me faça passar por isso aqui, não ainda. — Eu ainda não tinha intimidade alguma com ninguém e demoraria a ter. A maioria dos detentos eram uns brutamontes ignorantes. Eu só precisava de alguém, alguém que eu pudesse sugar e tirar o que quer que eu queira, alguém que não aparente ser rude e nem agressivo, alguém... Olhei para o fundo de minha imagem no espelho e havia alguém ali no banheiro junto comigo, um garoto moreno, de boa aparência e simplesmente perfeito. Um sorriso brotou em meus lábios, mas tratei de controlá-lo ao virar-me para a direção dele. — Oh, desculpe, eu não sabia que o banheiro estava ocupado. — Pronunciei fingindo estar deslocado e encabulado, eu sabia me fazer de tímido quando queria e geralmente as pessoas acreditavam.  
avatar
Princeton V. Czarevich
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 10
Data de inscrição : 19/12/2015
Localização : Hell, chega mais.

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
0/100  (0/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Voltar ao Topo

- Tópicos similares

 :: H u n t e d

 :: Prisão

 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum