[Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Hunted em Sab Jan 16, 2016 12:07 pm



Survival!
H U N T E D


Survival II – Floresta Proibida

Uma única equipe em frente a um portão metálico, este que levaria para dentro de uma floresta gigantesca, escondendo mistérios e perigos a sua volta. A sorte de sobreviver naquele ambiente era mais difícil do que cada indivíduo pudesse imaginar. Em frente da entrada havia um homem escondendo a identidade, sua voz era distorcida e ele era quem passaria as informações para a próxima etapa. – Detentos, vocês precisam conseguir uma pedra vermelha e uma pedra azul e chegar ao centro da floresta, entrar na torre e subir em seu topo.  – Revelou o homem enquanto ele olhava para o relógio e mentalmente contava o tempo para abrir o portão. Em cima deste havia um cronômetro e ele descia vagarosamente, indicando que o começo do fim estava próximo. – 3... 2... 1... – Um apito ecoou e todas as entradas foram abertas, permitindo que todas as equipes pudessem iniciar sua nova jornada do evento.

Extras

A segunda etapa vai consistir em sobrevivência. É essencial que sejam criativos, pois esta fase é narrada. O primeiro post vai ser uma introdução, de vocês chegarem e então adentrarem a floresta proibida em busca de chegar ao centro do ambiente, pois nele existe uma torre alta, mas que não pode ser vista por estarem cercados de arvores gigantescas. Cada equipe estará com uma pedra, seja ela vermelha ou azul. O objetivo final é conseguir as duas, mesmo que para isso tenha que eliminar uma equipe adversária.

Vocês deverão lançar a quantidade de dados a baixo, mas todos devem ser D10.

Dado 01 – Acontecimentos com o personagem.
Dado 02 – Chance de encontrar inimigos.
Dado 03 – Combate.

Dados extras podem ser lançados em caso de buscas de alimentos, água, arma ou de ações como fazer fogueira, fazer veneno, construir armadilha, procurar abrigo. Lembre-se: deve ser lançado um dado por ação diferente.

Situações

Equipe com a pedra azul.

Equipe 002:
Havva:
HP: 100/100.
Combate: 00.
Fome: 00%.
Sede: 00%.
Itens: Uma bússola.
Status: Intacto.

Antoine:
HP: 100/100.
Combate: 00.
Fome: 00%.
Sede: 00%.
Itens: Nenhum.
Status: Intacto.

Dimitri:
HP: 100/100.
Combate: 00.
Fome: 00%.
Sede: 00%.
Itens: Dois cantil com água.
Status: Intacto.

Zepheryn:
HP: 100/100.
Combate: 00.
Fome: 00%.
Sede: 00%.
Itens: Nenhum.
Status: Intacto.

Informações Finais

O post pode ser editado caso seja necessário, mas a preferência é evitar.

No final de sua narração coloque observações que sejam essenciais para a avaliação. Um exemplo é citar suas ações, o que tentou fazer, como fez e etc.

Sejam criativos com o que vão fazer, isto vale bastante.

O post tem um prazo de uma semana. Podendo postar até o dia 20/01/2016 às 19:00 ou então até o narrador postar.

Qualquer dúvida poderá ser mandado MP ou então perguntar no Chatbox.
@DFRabelo

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Dimitri Volk Orlov em Seg Jan 18, 2016 10:29 pm




The Test Part II




Eu não sei o que fizeram comigo depois daquela maldita prova, eu só sei que acordei caído em um chão de terra batida. Um tanto zonzo, eu me levantei e olhei para os lados. Haviam mais três pessoas vestidas como eu, com aquele uniforme listrado e um cara mascarado de frente para um portão imenso e atrás dele. Ao cobrir meus olhos com uma das mãos por conta do sol, eu pude notar que atrás do portão havia uma espécie de floresta com árvores enormes. Senti que algo pesava um pouco nas laterais dos bolsos da calça e ao levar as mãos até lá e tirar, vi que eram dois cantis cheios de água.

Analisei novamente os outros detentos e me perguntei se eles também tinham aquele item com eles. Notei que havia mais um rapaz e duas garotas – muito bonitas por sinal – e eu me perguntava o que raio eles queriam com a gente agora. Copular no meio do mato para gerar novos mutantezinhos? Porque sim,  já tinha percebido que todos os confinados tinham algo diferente de meros humanos. Éramos ratos de laboratório daqueles cientistas simplesmente por termos habilidades diferentes dos demais, e isso era certo. Restava saber o que queriam de nós agora.

Estava pensando com meus botões, quando ouvi a voz distorcida da pessoa mascarada orientando o que tínhamos que fazer agora. Era sério aquilo? Onde raios íamos encontrar uma pedra vermelha e uma azul? Minha vontade era de voar no mascarado filho da puta que estava no comando, mas eu aprendi às duras penas que você só leva porrada se vai contra as autoridades ali e por isso me segurei. Esperei que os portões se abrissem e confirmei que entraríamos em uma floresta com árvores alta, andei com cara de poucos amigos e logo que todos também o faziam, escutei o portão sendo fechado atrás de nós e foi aí que eu finalmente me pronunciei.

– Eu não sei vocês, mas eu estou louco pra acabar esse joguinho de caça ao tesouro que nos colocaram. Vamos começar nos apresentando, ok? Meu nome é Dimitri e consigo atravessar objetos e sou um ótimo ladrão. Tenho aqui comigo dois cantis de água. O que vocês têm aí com vocês?

Joguei limpo logo de uma vez, eu queria os outros como meus aliados e não como meus inimigos, talvez desse jeito tivéssemos mais chances de  conseguir achar as tais pedras e a torre a qual tínhamos que chegar. Os outros detentos foram se apresentando, dizendo o que cada um sabia fazer e o que estavam carregando com eles. As duas meninas tinham poderes interessantes, principalmente a que sabia fazer a mesma coisa que eu sabia. Não esperava encontrar alguém que tivesse esse mesmo dom. Ela se apresentava como Havva e que tinha nos bolsos uma bússola e uma pedra azul, o que era ótimo, agora só precisávamos de uma pedra vermelha e chegar a tal torre no meio da floresta.
Cocei minha barba e fiz uma leve careta ao ouvir o que o rapaz sabia fazer e que não tinha nada com ele.Tentei olhar aquele poder dele de forma positiva e por isso escutei ele dizer que se chamava Antoine e assenti com a cabeça. Vai que essa empatia dele se estendia a animais também, isso seria vantajoso para nós. Mas de toda forma, ao menos o cara era um grande e poderia ajudar a colher lenha e procurar comida para gente. A outra garota, Zepheryn, dizia poder controlar energia e aquilo sem dúvida poderia ser bastante útil para tentar acender uma fogueira com a energia térmica do sol ou rebater ataques de outros mutantes que provavelmente estavam em situação semelhante a nossa.

Olhei mais uma vez em volta, pensando para que lado iríamos, tentei sentir através do vento onde poderia haver água, afinal de contas, quem podia saber quanto tempo passaríamos ali? Dois cantis de água não seriam o suficiente para quatro pessoas, precisavam encontrar alguma fonte de água e um lugar para ficarem caso precisassem passar a noite no meio da floresta. Mas sem dúvida nenhuma a primeira coisa que precisavam é se proteger, sabe-se lá que tipo de animais poderíamos encontrar por ali. Busquei nas árvores mais próximas de nós por algo que pudesse ser usado como arma, algum tipo de galho mais grosso que eu pudesse usar como lança ou algo do tipo. Também ficava com os sentidos alertas para perceber a aproximação de algum animal ou humano de outro grupo.

Eu podia até não ser o cara mais esperto do mundo, mas se eu sempre soube me virar em uma cidade gelada como São Petersburgo, não podia ser tão difícil assim sobreviver em uma floresta não é? Bom, pelo menos eu achava e desejava ardentemente que não.  Comecei a adentrar mais na floresta em busca dos recursos que eu precisava.

Spoiler:

Atributos:

Destreza:08
Força:07
Inteligência:07
Carisma:01
Vigor:08

Dado 1:  Acontecimentos com o personagem.
Dado 2:  Chance de encontrar inimigos. (tanto animais quanto humanos)
Dado 3: Combate
Dado 4: Buscar por um galho forte e firme que sirva de arma.
Dado 5: Buscar por água
Dado 6: Encontrar/ajuntar recursos para uma fogueira
Dado 7: Fazer/buscar um abrigo.




post: 012 | notes: -- | tagged:  Havva, Antoine e Zepheryn| music: --



● ● ●

avatar
Dimitri Volk Orlov
the boredom killers
the boredom killers

Mensagens : 75
Data de inscrição : 23/12/2015
Idade : 27
Localização : Cela 40

Ficha do Prisioneiro
Nível: 13
Experiência:
5/100  (5/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Hunted em Seg Jan 18, 2016 10:29 pm

O membro 'Dimitri Volk Orlov' realizou a seguinte ação: Lançar dados

#1 'D10' : 1

--------------------------------

#2 'D10' : 9

--------------------------------

#3 'D10' : 9

--------------------------------

#4 'D10' : 10

--------------------------------

#5 'D10' : 2

--------------------------------

#6 'D10' : 10

--------------------------------

#7 'D10' : 10

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Antoine B. L. Walkenhorst em Ter Jan 19, 2016 2:00 pm

Com o estalo da caneta se quebrando após tanto mordê-la, Antoine despertou. Ele não estava dormindo, mas naqueles minutos de prova incansáveis – e simplesmente impossíveis de solucionar -, a mente do moreno viajou entre os mais variados mundos, lembranças e sonhos. Ele tornou a olhar para a prova, as questões aparentemente mais complicadas conforme eram respondidas, de forma totalmente sugestiva, sem certeza alguma. Alguns minutos depois, quando o jovem já estava pronto para desistir, o homem mascarado ergueu-se de sua cadeira. "O que vai vir agora?", questionou o francês, irritado. E bem, ele meio que havia feito a questão certa: ainda tinha muito por vir. Conforme os nomes eram anunciados, oito – Antoine contou – abandonaram a sala. E assim que a porta se fechou atrás do último deles, a segunda fase iniciava. E ela começou com algo que Antoine não gostava muito: escuridão.

[...]

Assim que despertou, se viu em um lugar completamente diferente: era uma floresta. Além do portão metálico, uma vastidão de verde e sombras parecia não ter fim e só de imaginar o que os idealizadores daquele lugar haviam posto naquela floresta, Antoine estremeceu. Levantou-se do chão imundo, tomando tempo suficiente para analisar seus companheiros de equipe: uma mulher loura, bonita, corpo cheio de curvas e pele clara; um homem talvez um pouco mais velho que Antoine, musculoso e também de fios louros, bonito; e por último, uma garota de pele levemente bronzeada e cabelos castanhos, de corpo formoso. Ele sorriu para um cada um deles, tentando ser simpático. Foi quando o mascarado quebrou completamente o clima de amizade que se formava ali, anunciando sua missão atual: encontrar uma pedra vermelha e azul, chegar à torre no centro da floresta e subir até seu topo. Fácil, não? A ironia estava presente nos pensamentos de Antoine com uma frequência anormal, talvez para tranquilizá-lo diante de todas essas situações repletas de pressão. Então, o portão abriu-se, prometendo mais um pesadelo para os quatro jovens.

Somente alguns passos à frente do portão, o louro musculoso tomou a iniciativa de se apresentar. Antoine assentiu com a cabeça, concordando com ele. — Meu nome é Antoine e bem, eu consigo sentir as emoções dos outros. É, eu sei, não é lá tão útil quanto atravessar objetos. — esboçou um sorriso. — Antes disso... dessa prisão, sabe? Eu era médico. Na verdade faltava dois anos pra terminar a faculdade. Então acho que sou bom com isso também. Quer dizer, se vocês se machucarem, só me chamar! — informou-os, com uma certa alegria. Tinha quase certeza que os outros achavam-o estúpido com toda aquela felicidade numa situação daquelas, mas ele só tentava descontrair. Assim que escutou sobre os cantis d'água, uma pontada de inveja brotou em Antoine; por que ele havia ganhado não só um, mas dois cantis, enquanto ele nada possuía? Suspirou, afastando o sentimento ruim. — Bem, eu não tenho nada comigo. — anunciou, apalpando os bolsos vazios. Escutou as duas garotas, Havva e Zepheryn, falarem um pouco delas também. Havva, assim como Dimitri, conseguia atravessar objetos, uma intangível e também havia recebido um objeto, uma bússola; Zepheryn, por sua vez, manipulava energia e não havia ganho nada.

Em poucos minutos andando, ficou claro que Dimitri era o líder daquela equipe e, de certa forma, Antoine concordava. Sem se afastar da equipe, o moreno ficou atento à galhos pontiagudos ou pedras de tamanho e peso considerável, afinal, acreditava em tudo ali como útil. De mãos vazias, ele seria inútil, tirando seus músculos, mas com um objeto como arma, talvez pudesse demonstrar uma utilidade além, talvez até transmitir segurança a seus companheiros de equipe. Ficou atento também a arbustos e árvores que possuíssem frutas que ele conhecia como maçãs, laranjas, morangos e etc., as que ele desconhecesse, deixaria para lá. Estava alerta, caminhando sempre junto à equipe para não nos perdermos. Sua mente viajava entre os acontecimentos recentes e principalmente, nas milhares de possibilidades que aquela floresta os proporcionaria, fossem elas boas ou ruins. Pela primeira vez, ele desejou voltar logo para sua cela.

Adendos:
Dados:
1 — Acontecimentos com o personagem.
2 — Chance de encontrar inimigos.
3 — Combate.
4 — Encontrar uma arma (pedra de tamanho e peso considerável ou galho pontiagudo).
5 — Encontrar frutas que conhecesse (as mais comuns como maçãs, laranjas, uvas, morangos, bananas).
Atributos:
Destreza: 02
Força: 07
Inteligência: 09
Carisma: 09
Vigor: 03
Condição:
HP: 100/100.
Combate: 00.
Fome: 00%.
Sede: 00%.
Itens: Nenhum.
Status: Intacto.
Perícias:
Primeiros Socorros — Amador
Resumo:
Levantou na floresta, atônito e com certo medo. Observou seus companheiros de equipe e tentou ser simpático. Após alguns minutos andando, ouviu as perguntas de Dimitri e as respondeu amigavelmente e até alegre. Enquanto cada um tomava suas decisões naquela floresta, Antoine procurou por galhos pontiagudos ou pedras para usar como arma, assim como procurou por frutas, mas sem se afastar da equipe.


your hearts
too big for your body
[/b]
avatar
Antoine B. L. Walkenhorst
the sherlock's
the sherlock's

Mensagens : 44
Data de inscrição : 17/12/2015
Idade : 24

Ficha do Prisioneiro
Nível: 06
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Hunted em Ter Jan 19, 2016 2:00 pm

O membro 'Antoine B. L. Walkenhorst' realizou a seguinte ação: Lançar dados

'D10' : 9, 9, 4, 4, 3
avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Havva Durbtsky em Ter Jan 19, 2016 6:46 pm


Beautiful & Toxic
I'm Sexy, Sweet


A
cordei, e pude perceber que estava deitada sobre um chão de terra, me levantei um pouco tonta e olhei em volta para tentar entender onde eu estava. Notei que não estava sozinha, havia mais três pessoas comigo, e eles estavam vestidos com o uniforme da prisão assim como eu.  Um cara mascarado estava parado de frente para um portão enorme atrás dele. Forcei meus olhos a enxergarem o que tinha atrás daquele portão, e então vi arvores e mais arvores. Uma floresta. Concluí.

Senti algo pesado o meu bolso, confusa levei uma das mãos até ele e tirei de lá uma pedra azul brilhante. No outro bolso tinha uma bússola. Olhei para os outros para ver se assim como eu eles tinham alguma coisa, mais só um possuía dois cantis cheios de água. Eu já ia me pronunciar, dizendo o meu nome e tentando ser a mais educada possível, porém, o homem mascarado foi mais rápido que eu e começou a falar com aquela voz distorcida. Ele disse algo sobre encontrarmos uma pedra azul e a outra vermelha. “Bom, a azul nós já temos.” Pensei. Nada daquilo fazia sentido para mim, o portão se abriu e nós caminhamos para dentro da floresta, nenhum de nós tínhamos trocado uma palavra se quer, apenas olhares confusos. O portão se fechou atrás de nós, o que me deu um certo arrepio ao tentar imaginar no que aquelas pessoas malucas eram capazes de fazer, entretanto, fiquei aliviada por pelo menos não estar sozinha.

Um garoto loiro, forte, com os olhos azuis se pronunciou, apresentando como Dimitri, tinha o mesmo poder que o meu, intangível. “Interessante. ” Pensei, o lancei um olhar discreto, não pude deixar de reparar no quanto ele era bonito e forte. O outro menino por sua vez não ficava muito atrás no quesito beleza, moreno e com um sorriso bonito, ele se apresentou como Antoine, seu poder era peculiar mas poderia ser bem útil. E por último a menina, Zepheryn, cabelos castanhos e pele bronzeada.
Assim que os dois terminaram de falar resolvi me pronunciar.

-Meu nome é Havva, sou intangível também. – Sorri para o loiro- Tenho uma certa experiência também em roubar coisas, devido ao tempo que morei na rua, enfim. Tenho comigo uma bússola e essa pedra azul.- Disse tirando do bolso a pedra e a bússola.  Eu não tinha muita habilidade em usar uma bússola então a entreguei para Dimitri.

A pedra eu fiquei encarregada de guardar. Antoine e Zepheryn por sua vez não possuíam nada. Começamos a andar em busca de alguma coisa que servisse de arma para o caso de alguém aparecer, e madeira para fazer uma fogueira já que estava anoitecendo.
Prendi meu cabelo em um coque frouxo deixando alguns fios soltos. Estávamos andando a procura de galhos, ninguém se quer trocou uma palavra o que era desconfortante para mim que não consegui parar de falar. Tentei focar em achar galhos pontiagudos ou até mesmo madeira para fazer de lenha. Fiquei atenta a maçãs, mangas, bananas, ou qualquer fruta que eu conhecesse e que pudéssemos comer.


Atributos:

Destreza:05
Força:06
Inteligência:08
Carisma:07
Vigor:08


Dados.:

Dado 1:  Acontecimentos com o personagem.
Dado 2:  Chance de encontrar inimigos.
Dado 3: Buscar por um galho forte e firme que sirva de arma.
Dado 4: Buscar por fruta.
Dado 5: Encontrar/ajuntar recursos para uma fogueira.








● ● ●


Havva Durbtsky.
avatar
Havva Durbtsky
the boredom killers
the boredom killers

Mensagens : 17
Data de inscrição : 28/11/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Hunted em Ter Jan 19, 2016 6:46 pm

O membro 'Havva Durbtsky' realizou a seguinte ação: Lançar dados

#1 'D10' : 6

--------------------------------

#2 'D10' : 3

--------------------------------

#3 'D10' : 8

--------------------------------

#4 'D10' : 10

--------------------------------

#5 'D10' : 4

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Zepheryn High Silverstone em Ter Jan 19, 2016 8:06 pm

I never get back
Estava tudo lá, e então não estava. Quando abri meus olhos eu estava caída no chão de frente à um enorme portão, levantei minha cabeça lentamente e observei ao meu redor, eu não estava sozinha, havia mais uma garota e dois garotos ali também, voltei a olhar ao meu redor e notei então um cara estranho e mascarado ali. "Já entendi, mascaras são moda aqui" pensei enquanto me sentava no chão e arrumava meu cabelo que estava todo caído na frente de meu rosto. Após arrumar meu cabelo finalmente me levantei, e só então notei que atrás do portão havia uma gigantesca floresta, cruzei meus braços e encarei o homem mascarado esperando ele se pronunciar. A luz do Sol iluminava o ambiente, "Se eu for solta lá é melhor eu me garantir". Silenciosamente, comecei a sentir a energia fotovoltaica vinda do Sol fluir para meu corpo, e então o homem com a mascara se pronunciou.

Sua voz distorcida chegava a ser macabra, mas não amedrontadora, "Legal vamos brincar de caça ao tesouro e depois fumar as pedras, pelo menos isso né?", revirei meus olhos. Enquanto o homem contava e olhava para um relógio, talvez o certo fosse eu tentar ver alguma coisa mais longe, se estamos em busca de uma pedra com certeza não somos os únicos. E então pude ouvir um apito, o portão se abriu, mais uma vez arrumei meu cabelo que caía sobre meu rosto e então junto com as outras três pessoas comecei a caminhar floresta a dentro.

Eu não pensava em nada além de como eu poderia acabar logo com aquilo. Enquanto caminhava eu continuava a absorver energia vinda da luz solar e pude ouvir o portão se fechar, deixei um suspiro discreto escapar. O homem que aparentava ser o mais velho de nós  começou a falar, se apresentou como Dimitri e falou que poderia atravessar os objetos, tinha consigo dois cantis com água. Me mantive calada enquanto o outro garoto falava, ele se chamava Antoine e era o tio das emoções, ele foi médico antes de tudo aquilo, oque era muito bom, não tinha nada consigo. Respirei fundo e então resolvi me pronunciar -- Me chamo Zepheryn, eu... Consigo manipular Energia, sabe absorver e tudo mais... Eu não tenho nada até onde eu sei - falei enquanto checava toda minha roupa à procura de algum objeto deixado ali para mim.

Por ultimo a outra garota falou, se chamava Havva e assim como Dimitri era uma pessoa que podia atravessar coisas, levava uma bussola "Ela poderia invadir meu quarto quando quisesse", levei minhas mãos para atrás de minhas costas e dei um beliscão na parte de cima,  eu tinha que me controlar de vez em quando. Fiquei calada por alguns instantes, simplesmente absorvendo energia fotovoltaica, a floresta era muito densa, se continuássemos avançando logo não haveria mais luz solar, eu tinha que aproveitar o máximo.

O melhor a se fazer naquela situação era procurar algum abrigo, comida e mais uma fonte de água, era óbvio que dois cantis não seria o suficiente para nós quatro. Dimitri tomou a iniciativa então de começar a procurar, segui seu exemplo e ficando atenta a qualquer aproximação de alguma criatura ou outro ser humano comecei a minha busca. Eu procurava nas árvores frutos conhecidos que poderiam nos alimentar. Nas mesmas arvores eu procurava por galhos, folhas e cipós que pudessem ser uteis para o acendimento de uma fogueira ou a construção de um abrigo. No chão eu procurava por pedras para conseguirmos nos defender "Me chamem de Rainha Davida", pensei enquanto imaginava eu atirando uma pedra no olho de algum miserável, e também procurava por alguma nascente ou algo do gênero, agua poderia ser preciosa.

Spoiler:
Atributos:

Destreza: 07
Força: 06
Inteligência: 06
Carisma: 04
Vigor: 07
Dados:

Dado 1: Acontecimentos com a personagem
Dado 2: Chance de encontrar inimigos
Dado 3: Combate
Dado 4: Busca por alimentos
Dado 5: Busca de recursos (pedras, galhos, folhas e cipós)
Dado 6: Busca de água
Manipulação de Energia:

Nivel 1: O Manipulador pode absorver de forma involuntária energia térmica e fotovoltaica, porém ainda consegue sentir a energia fluir para seu corpo. Por não ter consciencia de que está a absorver a energia o mutante acaba por não poder a utilizar. Porém após absorver uma quantidade de energia de forma continua durante uma hora, seu recipiente energético se torna "cheio" e ele acaba involuntariamente a liberando, atraves de contato físico com algum outro objeto. A energia absorvida é liberada atraves de uma pressão exercida no local.

● ● ●

Ultraviolence
®
avatar
Zepheryn High Silverstone
the boredom killers
the boredom killers

Mensagens : 8
Data de inscrição : 03/01/2016
Idade : 26

Ficha do Prisioneiro
Nível: 3
Experiência:
50/100  (50/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Hunted em Ter Jan 19, 2016 8:06 pm

O membro 'Zepheryn High Silverstone' realizou a seguinte ação: Lançar dados

#1 'D10' : 10

--------------------------------

#2 'D10' : 6

--------------------------------

#3 'D10' : 1

--------------------------------

#4 'D10' : 5

--------------------------------

#5 'D10' : 9

--------------------------------

#6 'D10' : 10

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Hunted em Qui Jan 21, 2016 12:36 pm



Survival!
H U N T E D


Survival II – Floresta Proibida

Dimitri foi o primeiro a tomar a iniciativa na equipe. O rapaz se pronunciou e conheceu quem eram os integrantes de seu grupo, mas impaciente ele avançou em busca de adentrar a floresta com os outros o seguindo. Atencioso, este conseguiu escutar de longe alguns barulhos estranhos, pareciam resmungos, conversas paralelas de alguma região próxima. Este conseguiu encontrar um galho pontiagudo que poderia servir como uma lança, mas deveria a esculpir de alguma forma. O jovem não teve sucesso para encontrar água, mas em compensação encontrou diversos galhos secos e uma caverna que aparentemente parecia segura.

Antoine logo atrás do outro conseguiu passar por grande parte da floresta sem perigo, mas torceu seu pé ao tropeçar em uma raiz grossa de uma arvore. Quando caiu ao chão, conseguiu sentir seu pé extremamente dolorido e não conseguiu caminhar no ritmo dos outros. O jovem saiu mancando ao se levantar e quando se encontrou novamente com seu grupo, estava de mãos vazias, apenas com o ferimento.

Havva rumou para um lugar onde conseguiu encontrar um pedaço de madeira que poderia servir como um bastão, mas deveria fazer algo que retirasse os galhos pequenos que ficavam na base onde ela pudesse segurar, quando arriscou pegar cortou sua mão, causando sangramento médio. A garota achou três maças vermelhas e chamativas para consumir. Ainda em busca de coisas para sobrevivência, a jovem não encontrou nenhuma espécie de recursos para a fogueira.

Zepheryn encontrou muitas folhas secas para usar na fogueira, junto delas um pouco de água numa pequena trilha de água, mas que poderia ser consumida para beber, a jovem voltou e entregou tudo para seus companheiros e se ajeitou para continuar, esperando a decisão do grupo para ir a caverna. Num instante despercebido a jovem foi atingida por uma pedra e desmaiou, ficando imune a ataques.

Extras

2700 metros percorridos.

Vocês deverão lançar a quantidade de dados a baixo, mas todos devem ser D10.

Dado 01 – Acontecimentos com o personagem.
Dado 02 – Combate.

Dados extras podem ser lançados em caso de buscas de alimentos, água, arma ou de ações como fazer fogueira, fazer veneno, construir armadilha, procurar abrigo. Lembre-se: deve ser lançado um dado por ação diferente.

Situações

Equipe com a pedra azul.

Equipe 002:
Havva:
HP: 95/100.
Combate: 06.
Fome: 30%.
Sede: 30%.
Itens: Uma bússola, três maças.
Status: Corte médio na palma da mão direita.

Antoine:
HP: 90/100.
Combate: 09.
Fome: 30%.
Sede: 30%.
Itens: Nenhum.
Status: Torceu o pé, esta mancando.

Dimitri:
HP: 100/100.
Combate: 09.
Fome: 30%.
Sede: 30%.
Itens: Dois cantil com água.
Status: Intacto.

Zepheryn:
HP: 85/100.
Combate: 01.
Fome: 30%.
Sede: 30%.
Itens: Nenhum.
Status: Desmaiada, sangramento pequeno na cabeça.

Informações Finais

O post pode ser editado caso seja necessário, mas a preferência é evitar.

No final de sua narração coloque observações que sejam essenciais para a avaliação. Um exemplo é citar suas ações, o que tentou fazer, como fez e etc.

Sejam criativos com o que vão fazer, isto vale bastante.

O post tem um prazo de uma semana. Podendo postar até o dia 30/01/2016 às 19:00 ou então até o narrador postar.

Qualquer dúvida poderá ser mandado MP ou então perguntar no Chatbox.
@DFRabelo

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Antoine B. L. Walkenhorst em Sex Jan 22, 2016 4:55 pm

O moreno tentava se manter em um ritmo calmo em sua caminhada, tendo certeza de que não se perderia ou, ainda, se cansaria muito rápido. Todos se espalharam pelas proximidades em busca de qualquer coisa útil – água, frutas, coisas que pudessem usar como armas. Novamente, Antoine se sentiu um inútil quando Zepheryn, Havva e Dimitri retornaram com três maçãs, folhas secas e um galho pontiagudo, respectivamente. Não fez questão alguma de esconder sua expressão de inveja, primeiro não havia recebido nada, agora não era nem capaz de encontrar algo? Antoine soltou um suspiro que prolongou-se por alguns segundos, em uma tentativa de relaxar. Tudo estava tranquilo – na medida do possível – e Antoine pode até dar-se o luxo de não prender-se aos perigos que a floresta lhe resguardava para apreciar o cheiro de terra úmida, o verde em abundância. Como ele sentia falta da natureza! Bem, pelo ao menos aquela maldita missão estava servindo pra algo: reviver boas lembranças.

Estava absolutamente absorto em suas viagens quando, como que por mágica, uma raiz protuberante "surgiu" à sua frente; tarde demais, seu pé, que andava em passos rasos, tropeçou na raiz, lançando para a frente. A única coisa que pôde fazer foi amortecer a queda com as mãos, apoiando-as na grama curta da floresta. Mas assim que recuperou-se do susto, percebeu que algo pior lhe havia ocorrido: o seu pé estava torcido. A dor, que exclamava na área do tornozelo, pareciam marteladas nem um pouco suaves. Um gemido de dor escapou-lhe dos lábios e ele deu uma olhada para o local; coincidia com um pé normal, mas só Antoine sabia a dor que estava sentindo. Assim que virou-se para seus companheiros de equipe, pronto para pedir-lhes ajuda, viu que já estava lá na frente. Frustrado, ergueu-se, com dificuldade, apoiando-se na árvore. Demorou para que estabilizasse seu corpo e pudesse seguir em frente, mas assim que conseguiu tal feito, apressurou-se para retornar aos companheiros de equipe.

Mas assim que alcançou-os, percebeu que não fora o único a se envolver com os perigos da floresta: Havva, que havia obtido galho que mais se parecia com um bastão, realizou um corte médio em sua palma da mão, devido as farpas. Dimitri e Zeph tentavam de seus jeitos leigos ajudar Havva. Portanto, assim que o empata avistou tão situação, revirou os olhos. Tinha de admitir à si mesmo: estava chateado com aquela equipe. Em sua própria velocidade, dada as condições, aproximou-se de Havva. O sangue escapava-lhe em uma quantidade não muito boa, precisavam fazer algo. — Ok, vamos lá. Dimitri, me ajude a encontrar musgos. Vai ser nossa melhor escolha agora pra parar esse sangramento. — anunciou, sem deixar de impôr um tanto de ordem. — Só não vá muito longe. Já temos meu tornozelo torcido e esse sangramento... não precisamos de nada mais. — afirmou. Conseguia sentir o nervoso e a impaciência de Havva fluindo e aquilo sem dúvida não o ajudaria em nada. Tentou procurar nas proximidades por musgos também para ajudar com Havva. Se assim encontrasse – ou Dimitri achasse -, aplicaria os musgos no ferimento da loura, deixando-os bem grudados para não permitir que o sangue continuasse saindo. — Ok, vai ficar bem. Mas precisamos tirar essas farpas desse bastão se quiser usá-lo, ok? E evite usar essa mão. — disse, quase que como um médico de fato. Encostou-se sobre uma árvore, tentando relaxar. Como poderia cuidar daquele pé torcido? Sua mente estava à mil. O louro então retornou, informando que havia achado uma caverna aparentemente desocupada que poderíamos usar como abrigo. Ótimo, pensou. — Ok. Podemos ir lá e pensar muito bem o que vamos fazer. Melhor que ficar torcendo pés por aí e cortando mãos, certo? — sorriu, tentando quebrar o gelo do momento. Assim como Havva, Dimitri estava impaciente com ela situação, Antoine podia sentir por baixo de toda aquela falsa tranquilidade. Eles estavam prontos para partir quando Antoine ouve um baque atrás de sim. O som lhe atinge com um calafrio e quando ele vira para trás, Zeph está no chão. Ah, meu Deus, pensa. ELA MORREU?, não deixa de pensar, desesperado.

Em um movimento rápido, Antoine se coloca ao lado de Zeph, checando-a. Os pulsos estão bem, sua respiração estabilizada, está desmaiada. Um filete de sangue escapa-lhe da cabeça, enchendo Antoine de preocupação. Ele olha para Havva e Dimitri, que parecem quase que no mesmo choque que Antoine está. Da onde aquela pedra veio? Quem a atirou? Por quê? A preocupação e a raiva que fluem consistentemente de Havva e Dimitri, respectivamente, é o que leva Antoine a reclamar em alto e bom som, diferente do seu costumeiro tom dócil: — ANDEM, ME AJUDEM AQUI, LEVANTEM ELA! — diz, e é nesse momento que a raiva cresce ainda mais no mais velho. Ele rapidamente pega Zepheryn, que se deixa ser levada pelos braços fortes de Dimitri, totalmente mole e fraca. Não, não, não, pensa o empata, se alguém a atingiu, o que impede ele de nos atacar agora? O pessimismo cresce involuntariamente em Antoine e o grupo se movimenta rápido em direção da caverna. Novamente, procuraria por uma pedra que pudesse usar como arma, qualquer coisa para que pudesse ser útil. — Parem aqui! — diz, ao se aproximarem da trilha de água que Zepheryn havia encontrado alguns minutos antes. — Dimitri, me dê sua camisa. — ordena, sem medo algum dos músculos do outro, que sem pestanejar, lhe dá a vestimenta. Antoine mergulha o tecido na água, encharcando-o. — Ok, vamos continuar. — diz novamente, ofegante. Os três caminham até a caverna, em que se abrigam. Antoine torce a vestimenta pra fora da caverna, mas sem deixar o tecido suficientemente úmido e gélido. Em seguida, dobrou adequadamente a camisa, aplicando-a sobre a testa de Zeph. Procuraria afrouxar cintos – se ela estivesse usando – e outras peças de roupa que pudessem prejudicar sua respiração. Deixaria-a próxima a entrada da caverna, para que pudesse respirar o ar puro da floresta e não o ar abafado da caverna. — É só isso que podemos fazer por enquanto. — falou para os dois restantes, então se afastou um pouco deles, chegando mais pra próximo de Zeph. Se tivesse encontrado a pedra, procuraria esculpi-la como uma faca; caso contrário, ficaria apenas observando o local e fazendo checagens rápidas em Zepheryn. Utilizaria também de sua empatia para tentar sentir qualquer criatura ou pessoa por perto, para tomar precauções. Suspirou, já cansado. O dia nem havia acabado.

Adendos:
Dados:
1 — Acontecimentos com o personagem.
2 — Combate.
3 — Encontrar musgos.
4 — Eficiência do curativo em Havva.
5 — Eficiência das medidas tomadas para reacordar Zepheryn.
6 — Tentativa de encontrar uma pedra que pudesse usar como arma.
7 — Esculpir a pedra para algo mais pontiagudo ou laminado (considerar somente se o dado anterior funcionar).
8 — Sentir alguma presença próxima utilizando de sua empatia.
Empatia:
O usuário pode interpretar, sentir, ler e replicar as emoções, humores e temperamentos de outras pessoas, podendo ainda manipular as emoções alheias, ler impressões emocionais, entre outras capacidades.
Nível 3 — Agora o empata consegue ler, sentir e interpretar emoções, ou seja, capaz de perceber porque a pessoa se sente daquela forma. Passa a reconhecer a fonte da(s) emoção(ões) também. A partir deste nível, a empatia se torna mais útil, pois o usuário poderá utilizar de seu conhecimento interpessoal sobre seu oponente para manipulá-lo, por exemplo.
Nível 8 — Sua conexão com as emoções alheias está ainda mais poderosa e precisa. Você consegue ler/sentir/interpretar todos as emoções existentes (altruísmo, ambivalência, apatia, auto-piedade, avareza, benevolência, compaixão, contentamento, confusão, cobiça, desprezo, dó, decepção, epifania, escárnio, histeria, humildade, humilhação, inspiração, interesse, isolamento, luxúria, melancolia, possessividade, prazer, preguiça, preocupação, paz, soberba, tranquilidade, veracidade, além das dos níveis anteriores) e consegue, inclusive determinar de qual(is) pessoa(s) quer conectar-se, tornando-se menos afetado por locais mais movimentados, como dito no nível um.
Atributos:
Destreza: 02
Força: 07
Inteligência: 09
Carisma: 09
Vigor: 03
Condição:
HP: 90/100.
Combate: 09.
Fome: 30%.
Sede: 30%.
Itens: Nenhum.
Status: Torceu o pé, esta mancando.
Status: Intacto.
Perícias:
Primeiros Socorros — Amador
Resumo:
Após ver que seus companheiros obtém alguns itens, sente um pouco de inveja. Continua caminhando, mas tropeça em uma raiz e tem seu pé torcido; não faz muita coisa para tratar do ferimento. Vê Havva com seu ferimento na mão e procura por musgos para que possa usar para cuidar do ferimento dela (estancar o sangue e proteger o corte). Retorna a caminhada junto da equipe em direção à caverna que Dimitri encontrou. Após avistar Zepheryn atingida, se desespera, muda totalmente de comportamento e começa a ditar as ordens, irritado. No caminho para a caverna, procura novamente por uma pedra. Eles param na trilha de água que Zeph achou e Antoine encharca a camisa de Dimi. Eles param na floresta, onde Antoine realiza as medidas para reacordar Zeph saudavelmente. Tenta sentir emoções nas proximidades para saber se há algo/alguém por perto.


your hearts
too big for your body
avatar
Antoine B. L. Walkenhorst
the sherlock's
the sherlock's

Mensagens : 44
Data de inscrição : 17/12/2015
Idade : 24

Ficha do Prisioneiro
Nível: 06
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Hunted em Sex Jan 22, 2016 4:55 pm

O membro 'Antoine B. L. Walkenhorst' realizou a seguinte ação: Lançar dados

#1 'D10' : 9

--------------------------------

#2 'D10' : 3

--------------------------------

#3 'D10' : 10

--------------------------------

#4 'D10' : 6

--------------------------------

#5 'D10' : 4

--------------------------------

#6 'D10' : 8

--------------------------------

#7 'D10' : 2

--------------------------------

#8 'D10' : 3
avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Dimitri Volk Orlov em Sex Jan 22, 2016 7:16 pm




The Test Part II




Era incrível como Murphy e sua maldita Lei era implacável. Quando uma coisa tem que dar errado, realmente dava errado. E vou dizer uma coisa, se desse errado comigo beleza, eu sabia como me virar e provavelmente mandaria o resto do grupo seguir sem mim, mas o que fazer quando as merdas acontecem com os outros? Eu só tinha a alternativa de ajudar o pessoal. Primeiro era Antoine que torcia o pé e nos atrasou um pouco na caminhada, apesar de conseguir seguir sozinho. Depois belíssima loira, que tinha mesmo dom que eu, acabou se cortando  ao tentar limpar o galho que havia encontrado para utilizar de arma, por sorte Antoine se prontificou a avaliar o ferimento dela.

Eu continuei alerta, escutei algumas vozes próximas de onde nós estávamos e imediatamente levei o indicador até meus lábios em um pedi do de silêncio a todos. Fui vasculhar de onde vinham os sons e enquanto andava avistava uma caverna que poderia ser bastante útil caso precisássemos passar a noite naquela floresta. Voltei poucos minutos depois até onde estava o grupo informando a minha descoberta o mais baixo que eu consegui.

Entretanto, mesmo com todo mundo calando a matraca e eu falando baixo sobre minha recém-descoberta, alguma coisa batia direto na cabeça de Zepheryn e porra.. a menina foi a nocaute instantaneamente. Percorri os olhos por entre as árvores para ver se achava alguém antes de ir acudir a garota. Juntei-me ao restante do grupo ao redor da garota e imediatamente obedeci ao pedido do rapaz, peguei a menina descordada no colo com certa facilidade pelo meu tamanho e caminhei com ela até a entrada da caverna. Eu queria mesmo era dar o fora dali e largar aqueles pesos mortos pra trás, mas eu tinha consciência ainda e poderia precisar deles durante a jornada até a tal torre.

No final das contas, acho que eu tinha mesmo é um coração muito mole às vezes, principalmente quando se tratava de donzelas indefesas.  Eu tinha acabado de deitar a menina desacordada com bastante cuidado e ouvi Antoine falando para eu tirar a camisa. Arqueei uma das sobrancelhas, de inicio estranhando bastante o comando e achei que o afeminado estava dando em cima de mim. Assim mesmo tirei a minha camisa e deixei que ele fizesse os procedimentos que ele parecia conhecer direito.  

Só me sentei mesmo junto com o grupo depois de buscar por uma pedra cortante perto da caverna para tentar fazer uma ponta ou algo do tipo no galho que eu havia encontrado e ele ficasse um tanto mais letal caso o grupo que acertou a morena resolvesse passar para dar um oi.

Spoiler:



Atributos:

Destreza:08
Força:07
Inteligência:07
Carisma:01
Vigor:08

Dado 1:  Acontecimentos com o personagem.
Dado 2:  Combate [Se precisar, ele vai tentar atravessar o galho no corpo de seu adversário usando o poder]
Dado 3: Buscar uma pedra afiada e fazer uma ponta no galho.

Poder:

✖ Nível 07 - O usuário é capaz de modificar a densidade de objetos para que afundem ou atravessem outras coisas, porém o objeto deve ser tocado para que a habilidade seja ativada.

Edit só para adicionar o pode que usaria.



post: -- | notes: -- | tagged:  Havva, Antoine e Zepheryn| music: --n




Última edição por Dimitri Volk Orlov em Sex Jan 22, 2016 7:35 pm, editado 1 vez(es)

● ● ●

avatar
Dimitri Volk Orlov
the boredom killers
the boredom killers

Mensagens : 75
Data de inscrição : 23/12/2015
Idade : 27
Localização : Cela 40

Ficha do Prisioneiro
Nível: 13
Experiência:
5/100  (5/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Hunted em Sex Jan 22, 2016 7:16 pm

O membro 'Dimitri Volk Orlov' realizou a seguinte ação: Lançar dados

#1 'D10' : 4

--------------------------------

#2 'D10' : 5

--------------------------------

#3 'D10' : 3

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Havva Durbtsky em Sab Jan 23, 2016 6:31 pm


Beautiful & Toxic
I'm Sexy, Sweet


C
onfesso que eu estava tentando me manter a mais calma possível até agora, mas estava sendo quase impossível. Eu havia andado a alguns minutos e nada de encontrar frutas ou galhos que me servissem para alguma coisa. Realmente não entendo qual é o objetivo dessa prisão, por um momento pensei que eles me ajudariam a aprimorar o poder, achei que eu poderia usa-los sem que ninguém me achasse estranha, mas a verdade é que eles só querem fazer experimentos com todos nós. Eles estão nos usando como ratos de laboratório, e isso só aumentava a minha raiva.

Avistei ao longe uma macieira, assim que me aproximei peguei quatro maças que estavam mais próximas de mim. Olhei em volta à procura de algo para eu usar para guardá-las, mas só via folhas, então fiz um nó na minha blusa de forma que servisse de cesto e coloquei as maças. Continuei andando - com o cuidado de não me distanciar muito do grupo – e atenta a galhos pontiagudos.

Perfeito! ”   Pensei ao ver galhos ao lado de uma arvore. Tentei puxa-lo, mas tinha algo o prendendo, passei a mão sobre o chão para empurrar as folhas, uma pedra de tamanho considerável estava prendendo o galho. Procurei por um graveto para colocar em baixo da pedra e usar como alavanca, mas nada achei. “Mas é claro como não pensei nisso antes. ” Era só eu segurar o galho com uma das mãos e com a outra atravessar a pedra e puxa-lo para cima. Eu teria feito isso se tivesse visto as farpas, mas não vi até ela entrar na minha mão. Não tinha sentido nada até vê-la sangrar. Um cortezinho de nada não iria me impedir de pegar aquele galho. O segurei com a outra mão e fiz força, em um passe de mágica o galho se soltou. Incrédula, não questionei como ele tinha se soltado, apenas olhei com raiva para o corte. “Ótimo, Havva, era tudo que eu precisava, um corte na mão. ” Gritei comigo mesma sentindo a raiva e a impaciência transparecer.

Dimitri e Zeph apareceram a Antoine começou a falar algo sobre musgos, eu não fazia ideia do que ele estava dizendo, porém percebi que ele também havia se machucado, tinha torcido o tornozelo. Dimitri pediu que fizéssemos silêncio, ninguém disse uma palavra. Assim que o loiro voltou comentou sobre uma caverna que havia encontrado. Zeph por sua vez ainda estava à procura de algo, foi quando ouvimos um barulho e em seguida vimos ela cair no chão completamente desacordada. Meu coração disparou, mas eu tentei não pensar o pior.
Por sorte ela só havia desmaiado, aquilo tinha ido longe demais, e se eles a machucam? Estamos falando de uma vida. A cada hora que passávamos nessa floresta a minha raiva só crescia. Dimitri a pegou no colo e nos guiou até a caverna. — Dimitri, me dê sua camisa. Antoine ordenou, e o loiro obedeceu sem pensar duas vezes, ele mergulhou a camisa na água e nos mandou continuar. Apenas obedecemos sem entender nada.  Na verdade, acho que eu entendi, esse Antoine não era nada bobo, queria se aproveitar do Dimitri. “Essa coca é fanta. ” Pensei, deixando um sorriso debochado escapar. Chegando na caverna Dimitri deitou a Zeph com cuidado, no chão, e Antoine usou a camisa molhada para colocar na testa dela, e eu me sentei ao lado do Dimitri.
Confesso que eu tinha gostado da ideia de pedir a camisa dele, afinal eu tinha o privilégio de observar aquele abdômen super definido. Até que vendo por esse lado não estava tão ruim ficar naquela floresta.

Porém tinha sua desvantagem, minha mão ainda doía e eu não tinha a menor ideia do que fazer. “Bem que eu podia ter alguma cura, minha irmã tem o poder da cura, vai que é genético. ” Pensei.  Entretanto eu só ia saber se tentar. Olhei para o ferimento em minha mão e tentei focar em curá-lo, sem saber se teria êxito, entreguei uma maça a Ant e ao Dimi.
-Hey, Antoine. -O chamei. – Acho que o Dimitri, não curte a fruta. – Brinquei me referindo a camisa e dei uma bela mordida na minha maça, sorrindo para ambos.
 
     


Atributos:

Destreza:05
Força:06
Inteligência:08
Carisma:07
Vigor:08


Dados.:

Dado 1:  Acontecimentos com o personagem.
Dado 2:  Irá tentar se curar usando o seu dom.


Poder:
✖ Nível 10 - O corpo do usuário se regenera muito mais rápido que o de pessoas normais, pois este controla a densidade molecular dos ferimentos, moldando-os a seu favor. (Cura ferimentos leves, como arranhões e pequenos hematomas).






● ● ●


Havva Durbtsky.
avatar
Havva Durbtsky
the boredom killers
the boredom killers

Mensagens : 17
Data de inscrição : 28/11/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 01
Experiência:
0/0  (0/0)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Hunted em Sab Jan 23, 2016 6:31 pm

O membro 'Havva Durbtsky' realizou a seguinte ação: Lançar dados

#1 'D10' : 3

--------------------------------

#2 'D10' : 8

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Hunted em Sab Jan 30, 2016 1:16 pm



Survival!
H U N T E D


Survival - Finalização

Se você não quiser ler um desabafo off, não precisa continuar a leitura, apenas pule o texto a baixo e veja as premiações.

Primeiramente boa tarde ou então bom dia, boa noite, dependendo do horário que esta lendo. Eu queria pedir desculpas, muitas desculpas, perdão e tudo mais, pois eu sinceramente queria dizer que eu NÃO aguento mais me sentir mal, mas não é simplesmente pelas coisas bobas que estão ao meu redor ou então só o off ou on, só quero uma pausa, algo que faça eu me sentir melhor. Provavelmente alguns já perceberam que eu sumi completamente de todos os RPG que eu jogava, minha frequência neles era de conectar, dar uma olhada e sair. Minha cabeça ta confusa, meu corpo ta cansado e minha mente ta perdida. Eu sinceramente quero tentar relaxar, parar de me preocupar com tantas coisas. Eu me sinto estranho, me sinto fraco e exausto com a vida que eu levo. Eu estou numa correria enorme, minha vida esta resumida em trabalho para casa e casa para trabalho e isso ta acabando comigo, mas não é nem por eu não gostar, até gosto, mas eu to cheio de problemas para resolver, não tenho tempo para pensar em continuar o evento e novamente eu peço desculpas por isso, pois eu to com a cabeça cheia de coisas e não consigo chegar, sentar na frente do not e ler os posts e fazer uma narração, pois parece que minha cabeça esta cada vez mais fraca e perdida, eu chego com vontade de me jogar na cama, ver uma série e relaxar, não tenho como ficar me preocupando com outras coisas, por mais que sempre eu fique com aquilo na cabeça, sempre pensando nos problemas que tenho que resolver e isso ta foda pra mim. Bom, queria agradecer a todos os administradores que provavelmente, alguns deles estão jogando no evento e estão trabalhando pelo RPG, OBRIGADO! Mesmo! Pois sem vocês isso iria cair, ele já esta, querendo ou não. Eu também queria agradecer todos os membros que jogam e não abandonaram e que estavam ansiosos pelo resultado da segunda etapa, mas infelizmente eu estou abandonando o barco, quem sabe eu apareça por aí uma vez ou outra, mas não para trabalhar de novo, por que de trabalho já tenho demais em off. Aff gente, eu juro que não queria finalizar ele dessa forma, mas era o único meio para ver se eu fico menos sobrecarregado. Eu era acostumado a dormir umas 23, não aguento ficar acordo, durmo umas 22 ou 22 e pouco e mesmo assim levanto cansado. Eu vou num psicologo nessa semana para ver o que eu tenho, acredito eu que seja estresse, irritabilidade, nervosismo... transtorno de ansiedade eu já tenho, mas o que mais poderia piorar? Minha vida esta me esgotando. E se você que ta lendo é meu amigo, peço desculpas caso eu pareça um esnobe as vezes ou então não responda direito, sinceramente eu não to bem comigo mesmo, to meio cabisbaixo, tentando sorrir de verdade, mas o que parece é que é simplesmente eu levanto o canto dos lábios e tento fingir que estou feliz...Bom, qualquer coisa se eu desaparecer, provavelmente eu estou no trabalho ou então em casa tentando relaxar. Preciso de calmante... MINHA CABEÇA TA PÉSSIMA, sério! Eu já não to falando coisa com coisa, perdão. To misturando tudo, to parecendo louco, mas acho que com o tempo vou melhorando. Me desculpem pelo desabafo, pela encheção de saco ou então mil perdões por finalizar dessa forma o evento. Se precisarem de mim, já sabem como me procurar, SKP, WPP, FB... onde desejarem. Se esse texto estiver confuso ou então muito embaralhado, peço novamente desculpas, eu não revisei, só escrevi o que tava sentindo... desculpa de novo... Até logo.

P R E M I A Ç Õ E S

- Jogadores que postaram uma vez na segunda etapa: +350 de experiência, +3 pontos de perícia, +3 pontos de atributos, +2 itens normais a sua escolha (Não podem ser ofensivos).

- Jogadores que postaram duas vezes na segunda etapa: +500 de experiência, +5 pontos de perícia, +5 pontos de atributos, +3 itens normais a sua escolha e +1 item ofensivo ruim. (Faca enferrujada, canivete quebrado, garrafa quebrada, espelho cortante.)
@DFRabelo

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 002

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum