[Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Ir em baixo

[Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Hunted em Sab Jan 16, 2016 2:45 pm



Survival!
H U N T E D


Survival II – Floresta Proibida

Uma única equipe em frente a um portão metálico, este que levaria para dentro de uma floresta gigantesca, escondendo mistérios e perigos a sua volta. A sorte de sobreviver naquele ambiente era mais difícil do que cada indivíduo pudesse imaginar. Em frente da entrada havia um homem escondendo a identidade, sua voz era distorcida e ele era quem passaria as informações para a próxima etapa. – Detentos, vocês precisam conseguir uma pedra vermelha e uma pedra azul e chegar ao centro da floresta, entrar na torre e subir em seu topo.  – Revelou o homem enquanto ele olhava para o relógio e mentalmente contava o tempo para abrir o portão. Em cima deste havia um cronômetro e ele descia vagarosamente, indicando que o começo do fim estava próximo. – 3... 2... 1... – Um apito ecoou e todas as entradas foram abertas, permitindo que todas as equipes pudessem iniciar sua nova jornada do evento.

Extras

A segunda etapa vai consistir em sobrevivência. É essencial que sejam criativos, pois esta fase é narrada. O primeiro post vai ser uma introdução, de vocês chegarem e então adentrarem a floresta proibida em busca de chegar ao centro do ambiente, pois nele existe uma torre alta, mas que não pode ser vista por estarem cercados de arvores gigantescas. Cada equipe estará com uma pedra, seja ela vermelha ou azul. O objetivo final é conseguir as duas, mesmo que para isso tenha que eliminar uma equipe adversária.

Vocês deverão lançar a quantidade de dados a baixo, mas todos devem ser D10.

Dado 01 – Acontecimentos com o personagem.
Dado 02 – Chance de encontrar inimigos.
Dado 03 – Combate.

Dados extras podem ser lançados em caso de buscas de alimentos, água, arma ou de ações como fazer fogueira, fazer veneno, construir armadilha, procurar abrigo. Lembre-se: deve ser lançado um dado por ação diferente.

Situações

Equipe com a pedra vermelha.

Equipe 013:
Thomas:
HP: 100/100.
Combate: 00.
Fome: 00%.
Sede: 00%.
Itens: Nenhum.
Status: Intacto.

Elish:
HP: 100/100.
Combate: 00.
Fome: 00%.
Sede: 00%.
Itens: Nenhum.
Status: Intacto.

Brandon:
HP: 100/100.
Combate: 00.
Fome: 00%.
Sede: 00%.
Itens: Nenhum.
Status: Intacto.

Tessa:
HP: 100/100.
Combate: 00.
Fome: 00%.
Sede: 00%.
Itens: Um arco com sete flechas.
Status: Intacto.

Informações Finais

O post pode ser editado caso seja necessário, mas a preferência é evitar.

No final de sua narração coloque observações que sejam essenciais para a avaliação. Um exemplo é citar suas ações, o que tentou fazer, como fez e etc.

Sejam criativos com o que vão fazer, isto vale bastante.

O post tem um prazo de uma semana. Podendo postar até o dia 20/01/2016 às 19:00 ou então até o narrador postar.

Qualquer dúvida poderá ser mandado MP ou então perguntar no Chatbox.
@DFRabelo

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Thomas Tarwick em Dom Jan 17, 2016 11:22 pm


Do I Wanna Know?
Heroes always get remembered
But you know legends never die
And if you don't know, now you know
I'm taking back the crown
I'm all dressed up and naked
I see what's mine and take it

Os últimos momentos na "sala de aula" foram entediantes e para o manipulador, por mais que tivessem se passado apenas alguns minutos, pareciam horas. A ansiedade para saber a razão de tudo aquilo era corrosiva pelo ponto de vista de Thomas. Procurava ao seu redor alguma pista do motivo ou algo que ao menos sugerisse o objetivo da aplicação daquele tipo de teste.

Com as horas se arrastando, finalmente o supervisor mascarado anunciou o fim da prova, chamando o nome dos desclassificados que se retiravam do local. Thomas permaneceu, havia atingido o objetivo daquela prova seja lá qual fosse, o que lhe trazia certa satisfação, apesar de que desde o início já sabia que era capaz de superar qualquer desafio que Hunted lhe impusesse. Não tinha sido classificado como Snake atoa, era, sem dúvidas, de sangue frio.

Após a chamada de desclassificados se encerrar, o manipulador olhou a sua volta, dessa vez contando os espaços vazios com desdém. "Oito fracassados", pensou com um sorriso maldoso se formava no canto de seus lábios. Sentia vontade de rir naquele momento, mas a voz firme de distorcida do supervisou retomou a atenção de Thomas, fazendo-o voltar o rosto na direção de onde vinha o som. Estava anunciada a "Segunda Fase". Independente do que aquilo significava, o manipulador estreitou os olhos com desconfiança, estava prestes a questionar algo quando sentiu a mesma vertigem que havia o abalado quando fora transportado para aquele lugar.

Ao seu redor a visão passou a ficar turva, as carteiras desapareciam, esmaecendo bem na frente dos olhos de todos. O loiro se levantou tentando ignorar a tontura, instintivamente sentia a necessidade de se defender, mas não sabia do que. Sua mente estava nublada e Thomas não estava pensando direito. Aos poucos o seu campo de visão passou a se encurtar em um longo fade-out até o homem perder o controle do corpo, se lembrando apenas de sentir o corpo em queda antes de perder a consciência.

---

Sentiu o cheiro das árvores antes de sequer abrir os olhos. Sentia também o chão que apesar de duro era mais confortável do que o pedaço de espuma jogado na sua cela, qual os guardas insistiam em chamar de colchão. Abriu os olhos rapidamente, se pondo em pé em um sobressalto, olhando o cenário a sua volta enquanto os olhos se acostumavam com a luz natural.

Após vislumbrar o local onde estava, reparou também nos outros detentos que estavam ali. Uma garota loira de pele clara, um garoto bem definido de aparência atlética e a ruiva que havia tentado atrapalhar na primeira prova. Como se os guardas de Hunted tivessem cientes do "delito" de Thomas ao tentar influenciar a mente de Elish. O manipulador revirou os olhos mas logo voltou sua atenção à floresta cercada que se encontrava a sua frente.

As árvores eram grandes, podia ser alguma reserva antiga, algum lugar considerado sagrado por alguma população, era talvez a única explicação para aquele lugar estar tão preservado e praticamente intacto. Era facilmente observável que dentro do local haviam armadilhas, segredos e até mesmo outros tipos de terreno sem ser apenas a mata fechada. Aquela imensidão trazia ao manipulador certo receio, mas também ativava dentro de si uma adrenalina que o motivava a vencer qualquer que fosse o desafio, não para se provar capaz, mas para se vangloriar para os outros detentos.

Reparou que próximo à entrada da floresta havia um supervisor, semelhante ao que estava na sala de aula durante a primeira fase. Thomas se aproximou alguns passos, tomando a dianteira do grupo, estufando o peito e sorrindo com o canto dos lábios enquanto ouvia atentamente as instruções do "monitor". Detentos, vocês precisam conseguir uma pedra vermelha e uma pedra azul e chegar ao centro da floresta, entrar na torre e subir em seu topo.

Thomas olhou para os outros detentos por cima dos ombros, analisava agora cada um deles, provavelmente agora seriam uma equipe, o que incomodava o manipulador por um certo motivo: Elish não confiaria nele. Então seus olhos correram até a loira que estava ali, vendo nela uma oportunidade para assumir a liderança daquele grupo e usá-los para ser vitorioso nessa segunda fase. Reparou também que a mesma possuía uma espécie de arco equipado com algumas flechas, algo que daria aos detentos uma vantagem surpreendente acima dos demais.

Como estava na frente, Thomas pegou da mão do supervisor a pedra vermelha que lhe era oferecida enquanto o mesmo terminava a contagem regressiva para a abertura dos portões. Ao final desta, Thomas novamente pôs a caminhar na frente de sua equipe, segurando a pedra vermelha firmemente enquanto olhava apenas para a frente, reparando nos pesados portões de ferro que se abriam lentamente permitindo a entrada do quarteto.

---

Após adentrar os portões, Thomas parou mantendo certa distância dos outros três que o acompanhava, olhando cada um da cabeça aos pés, andando de um lado para o outro esperando receber a atenção de todos. Respirou fundo após terminar sua rápida e falsa análise, alternando o olhar nos olhos de cada um.

-Eu sou péssimo em combate. - Admitiu em voz alta. O tom de sua voz era amigável mas impunha certa superioridade e liderança sobre o trio - Mas minhas habilidades em estratégia e persuasão são acima da média, muito acima. Meu nome é Thomas Tarwick e eu acho que juntos conseguiremos vencer esse desafio. É um prazer ter vocês na equipe.

Após terminar de dizer isso, aproximou-se da loira com um sorriso amigável, sem desviar os olhos da mesma, tocando seu ombro delicadamente com o dedo indicador e o médio. Sentia que aquele era o momento perfeito para finalmente usar seus poderes novamente. Era bom ter controle, era bom ser influente, era bom liderar. O toque com a mão direita no ombro esquerdo da loira foi seguido de um sussurro:

-Eu seria um bom líder. - Sugeriu usando seu poder para influenciar a opinião da garota - Eu deveria liderar essa equipe. - Abriu um sorriso largo e olhou para Elish e o outro garoto - Eu acho que com minha inteligência e suas habilidades, nada irá nos parar. Você, grandão, acho que seu porte físico é o mais apropriado para fugir caso algo terrível aconteça, então confio em você para ser o guardião de nossa pedra. - Disse jogando o minério vermelho em direção ao garoto atlético. O porte dele era o mais apropriado para correr longas distâncias e proteger a pedra de outro grupo que tentasse consegui-la. Por fim olhou para Elish - Você será, junto com a loirinha gata ali, a nossa sentinela. Irá nos avisar dos perigos, sempre atentas a qualquer movimento. E quero todos sempre observando caso houver comida ou água próximos de onde estivermos. Somos uma equipe agora e só ganharemos se trabalharmos em harmonia.

Harmonia era a exata palavra que Thomas buscava. Um quarteto trabalhando como uma pessoa só, aquilo só seria possível com um cérebro para liderá-los. Após ouvir se apresentar e ouvir atentamente o que cada detento tinha para falar, o manipulador sorriu de forma amigável para cada um deles e passou a caminhar em direção à mata fechada, com passos lentos como esperava que o grupo fizesse. Não tinha pressa e sabia que quanto mais energia gastasse, mais cedo teria que repô-las. Enquanto caminhava se mantinha atento a qualquer sinal que poderia ter de outros detentos, comida ou água, além de buscar uma clareira onde pudessem acampar.

ações/dados:
Dado 01 – Acontecimentos com o Personagem
Dado 02 – Chance de encontrar inimigos.
Dado 03 – Combate.
Dado 04 – Poder para ter influência sobre Tessa
Dado 05 – Buscar comida
Dado 06 – Buscar água
Dado 07 – Buscar clareira.
atributos:
Destreza - 01
Força - 4
Inteligência - 12
Carisma - 12
Vigor - 5
poderes usados:
NÍVEL 3 – (pequenas ideias) As palavras do usuário são capazes de fazer uma opinião pouco importante mudar. Contato visual (direto) continua sendo necessário, assim como o contato físico. Atinge uma pessoa por vez. Efeito não definitivo.
Ex: Pedro gosta de pizza e é persuadido a odiar pizza. Agora, Pedro odeia pizza.


FIRST TAG | SECOND TAG | THIRD TAG



● ● ●

Would u go out of your way to live by the words that I will say?
avatar
Thomas Tarwick
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 34
Data de inscrição : 30/11/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 16
Experiência:
70/100  (70/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Hunted em Dom Jan 17, 2016 11:22 pm

O membro 'Thomas Tarwick' realizou a seguinte ação: Lançar dados

'D10' : 8, 8, 6, 8, 8, 2, 3

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Tessa Wërtz Hoffmeister em Ter Jan 19, 2016 6:21 pm

Take this promise for a ride
You saw the forest now come inside
You took the legend for its fall
I.
Um a um, Teresa os viu ceder. Vencidos pela própria limitação, foram chamados pelo aplicador da prova periodicamente. Sabia que estavam sendo mandados de volta para os corredores seguros da prisão, para longe daquela sala cujo odor exalava cinismo e psicose. Parte da loira os invejava, por terem a chance de serem tão livres quanto as paredes da prisão lhes permitia, longe de todo aquele teste psicológico, porém, a outra parte, a parte viciada em vitória e extremamente competitiva, impelia-a a continuar de cabeça erguida. Queriam que mostrasse do que era capaz? Ela mostraria.

Bem vindos à segunda fase — o aplicador da prova disse, fazendo sua voz ecoar pela audição de todos os que restaram. A respiração da Hoffmeister mais velha acelerou-se sutilmente à medida que via as cabeças dos demais participantes levantando-se para encarar o homem de máscara. Não seria somente a prova, afinal. Com um apelo silencioso para que a saúde permanecesse em alta, ela sentiu a visão embaçar-se e escurecer gradativamente, até que foi engolida pela escuridão de sua própria cabeça.

II.
O que a acordou foi um pio. O timbre suave estranhando em sua audição fê-la abrir automaticamente os olhos, as pupilas dilatadas captando luz à mais que fez seus glóbulos arderem. Uma careta seguiu-se, e a loira tornou a cerrar as pálpebras por sobre os olhos, enquanto fazia força para erguer o tronco. A primeira coisa que viu foi a figura masculina de um homem mascarado que lhe parecia muito com o aplicador da prova. Por detrás dele, um portão negro de aparência imponente. Depois, notou que não estava sozinha, como bem esperava. As presenças de Elish, a garota ruiva que fazia parte do seu time inicial, e de Brandon postavam-se ao lado da alemã; entrementes, havia ali uma cabeleira alourada cujo nome não lhe fora dado de início. Só então lembrou-se que Cassie fora desclassificada, o que significava que tinham de suprir o lugar da pirocinética no time da loira. Revirou os olhos e voltou sua atenção para que o homem falava.

Detentos, vocês precisam conseguir uma pedra vermelha e uma pedra azul e chegar ao centro da floresta, entrar na torre e subir em seu topo — instruiu, como se tais palavras tão simples resolvessem quaisquer dúvidas que a equipe pudesse vir a ter. Nem um boa sorte, nem votos de cuidados se seguiram, somente uma contagem regressiva. Três, dois um... E os portões se abriram. Em seu colo, uma arma que poderia significar a linha tênue entre a vitória e a derrota foi jogada.

III.
As primeiras impressões acerca do novato que caíra de paraquedas em sua equipe não foram muito boas. Parecia-lhe extremamente arrogante e ufano, soberbo até a raiz dos cabelos. O olhar esnobe e o andar pretensioso não ajudavam muito. Não demorou muito para que parassem por conta deste, que olhava-os de nariz empinado e ar de superioridade. Apresentações mecânicas foram dirigidas a todos, e Thomas revelou-se de um tom aparentemente amigável. Contudo, Teresa era esperta o bastante para saber que amigável em situações como aquela era motivo para suspeitas.

A aproximação repentina do rapaz fê-la tornar-se tensa. Manteve o contato visual, por sua vez, porém quando Tarwick ameaçou tocar-lhe o ombro, a garota afastou-se, sentindo da pele exalar um pequeno filete de energia a fim de parar a mão do garoto no ar. Dois passos para trás ela se afastou, encarando-o com um brilho cortante no olhar extremamente verde.

Mantenha sua mão longe de mim, rapaz — rebateu, movimentando o maxilar sutilmente de um lado para outro, como sempre fazia quando sentia-se ameaçada de alguma forma. Cobras agiam assim. Tessa afastou-se mais ainda, a mão percorrendo com leveza a haste inclinada do arco que trazia preso ao tronco, e passou o olhar por Elish e por Brandon como se desafiasse. Um momento de pausa seguiu-se enquanto os fios dourados de sua cabeça eram levemente movimentados pela brisa que correra por ali momentaneamente. Umedeceu os lábios. — Concordo em parte com o que Tarwick disse. Minhas habilidades são ofensivas, então é melhor abaixarem quando eu começar a disparar — disse, o tom de voz doce moderado com acidez, para que não pensassem ser frágil ou fraca. De forma alguma. O olhar penetrou nas íris da garota ruiva e do rapaz de porte atlético por alguns momentos, até perpassar pelo rosto de Thomas e ali pousar.  — Chame-se de líder, se quiser — falou, as palavras duras saindo de seus lábios rubros e feminis como um cuspe. — Mas não esqueçam onde estamos. Não há líder algum — as últimas palavras foram sublinhadas com um leve aumento no tom de voz da garota. — Andamos na linha e vencemos, simples assim. Aqui não tem espaço pra quem quer brincar de rei. — Teresa terminou com um piscar de seus cílios proeminentes. Em seguida, um esguio sorriso encaixou-se no canto dos lábios da loira, dirigindo-o a todos que quisessem aceitá-lo. — Mas não sou a mãe de você pra dar sermão.

Pôs-se a andar em seguida, mantendo o olhar atento a quaisquer movimentos estrambóticos que pudessem vir a pertencer a outra coisa que não fossem Elish, Thomas ou Brandon. Acreditava em união, sim, mas odiava ser colocada para baixo. Cada um era importante em seu posto. Se um falhasse, todos acabariam caindo. Ateve-se também a ideia de achar suprimentos que pudessem precisar, tais como água e comida. Eles que decidissem quem venerar.


Ações // Informações.
Dado 01 – Acontecimentos com o personagem.
Dado 02 – Chance de encontrar inimigos.
Dado 03 – Combate.
Dado 04 – Defesa contra Thomas.
Dado 05 – Achar água.
Dado 06 – Achar comida.
Dado 07 – Achar a clareira.
Atributos // Perícias // Poder
— Resistência a tortura {amador};
— Destreza: 06;
— Força: 03;
— Inteligência: 10;
— Carisma: 05;
— Vigor: 06.
— Nível 04 - Consegue gerar uma pequena quantidade de energia do próprio corpo, suficiente para dar um pequeno choque, além de poder transformar seu corpo em um fraco eletroímã capaz de atrair pequenos objetos de metal.


● ● ●

a heart full of love
a heart full of song
avatar
Tessa Wërtz Hoffmeister
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 137
Data de inscrição : 18/12/2015
Idade : 22
Localização : Na beira do mar, ooh.

Ficha do Prisioneiro
Nível: 11
Experiência:
92/100  (92/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Hunted em Ter Jan 19, 2016 6:21 pm

O membro 'Tessa Wërtz Hoffmeister' realizou a seguinte ação: Lançar dados

'D10' : 5, 7, 1, 3, 10, 5, 1

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Brandon Forsett Cromartie em Qua Jan 20, 2016 12:12 am




Brandon F. Cromartie




“That the nights were mainly made for saying things that you can't say tomorrow day!”
 Inquieto, seria assim que estaria se não estivesse começando a ter noção dos meus próprios poderes enquanto me encontrava sentado na sala em que a prova era aplicada. Ok, o comum era que um (ex?) universitário enfrentasse provas de uma maneira que ficasse menos estressado, mas o pior não era a dificuldade da prova em si ou de não saber o que fazer, afinal de contas tinha entendido bem o objetivo de dar umas bisbilhotadas pela sala, e sim a preocupação do que estava por vir depois da prova teórica.  Por sorte, os anseios eram bem amenizados devido ao controle que conseguia exercer em meu próprio corpo, presente de meus poderes.

E quando a voz do avaliador surgiu, ecoando por todos os cantos da sala, fiquei feliz em não ter mais que ficar parado naquela cadeira. Ansioso? Sempre fui, e em grande intensidade! Hiperativo, talvez. Não aguentava ficar sentado por mais tempo do que deveria, e o tempo que deveria não eram muitos minutos. O avaliador ditou os nomes dos eliminados, e quando o homem chamou Cassie, a garota que estava no meu “time”, logo vi o lance ali na sala não havia sido entendido tão fácil como para outros. E no momento em que me dei à misericórdia de levantar da cadeira, o homem voltou a falar.

"- Bem vindos à segunda fase -" E meu olhar correu rapidamente para o avaliador. Minha cabeça começou a girar repentinamente, o ambiente atrás do homem foi tornando-se negro e a dor forçou-me a fechar inteiramente um dos olhos, enquanto o outro com dificuldade se manteve levemente aberto. E então a sala não era mais a sala, e quando uma leve brisa bateu no meu rosto e balançou alguns fios do meu cabelo, tive a certeza de que aquela segunda prova não era teórica. Mas olha, até que o ambiente era agradável: gostava um pouco de um lugar onde a natureza predominava, por mais que aquela floresta tinha um certo teor fantasmagórico e amaldiçoado. Olhei em minha volta e lá estavam: a loira, a ruiva e agora a figura de um garoto que nunca havia visto na prisão. E enquanto me aproximei ao homem próximo ao portão de entrada, comece a assimilar o que estava prestes a acontecer. Olhei novamente para meus companheiros, se é que assim poderiam chama-los, mas agora tentei procurar algum potencial de sobrevivência. Na garota loira, com certeza o potencial estava lá, mesmo se não portasse aquele arco. Na ruiva, se não me engava, Elish, e no rapaz, poderia não estar tão presente assim. “Bom, terão que dar o sangue, porque não tô com um pressentimento nada legal!”.

E quando o examinador terminou de falar, a total certeza de que minhas suspeitas haviam sido bem certeiras. Claro, não com aquilo tudo de pedras e tudo o mais, mas em suma era aquilo que havia imaginado. Notei que o cronômetro ali estava bem próximo de zerar e que a festa estava pronta para começar. “Espero que não seja a última vez em que olho essa floresta por fora” . O tempo de espera havia acabado e mais na frente o imenso portão foi aberto. Respirei fundo e dei uma possível última olhada para o mundo atrás de mim, mas sem dar chances para qualquer emoção, tomei de pressa o caminho junto com os outros. Era engraçado como simples atos podem revelar coisas sobre as atitudes das pessoas, e como um ótimo observador, era nas pequenas ações que conseguia identificar quem era quem, o que era o que.  

Bastou um passo, um passo no terreno da floresta e meus sentidos gritaram. Minha vontade era sair correndo, apressado, cheio de vontade devido à adrenalina da situação. Mas era burrice clara, por mais que não tivesse dúvida de que conseguiria chegar à frente de quase todos os detentos que provavelmente estariam ali, precisaria do meu time para conseguir me classificar. Portanto, me contentei em fazer meu papel. Deixei os membros darem alguns poucos passos, e rapidamente ajoelhei-me, dobrando apenas uma das pernas. Fechei os olhos, respirei fundo algumas vezes, pensei em algumas coisas. “Você que consegue, você consegue, você consegue, você consegue...” . E quando demorei mais que 10 segundos, tornei a me levantar e apertar meus passos para voltar para mais próximo do grupo.  Meus instintos pareciam radares: pareciam fazer um “bipe” em cada coisa que via. Em especial, minhas habilidades de rastreio, as que me eram mais familiares, eram as que mais me chamavam a atenção, me fazendo “ver” coisas onde poderia ser impossível de uma pessoa sem tal conhecimento notar. E quando achei ter visto algo interessante, minha atenção foi desviada.

Thomas, agora sabia sobre o novato. Tinha que admitir que já tinha cometido o primeiro erro na prova: tinha confiado demasiadamente em todos os três, de tal forma que nem havia “avaliado” uma possível ação bem desagradável do rapaz. E quando o garoto aproximou da loira, Teresa se havia lembrado bem, vi que as coisas não iriam ficar muito boas por ali. “Ótimo, tudo o que eu queria”, uma risada irônica e silenciosa surgiu em meus lábios. Estava prestes a ter que separar qualquer coisa, apesar de com certeza não ter parecido aquilo para os outros três, pois sempre contava com uma aparência calma, tranquila, quieta. Apesar de meu porte físico, aquilo era uma vantagem enorme e que costumava surpreender alguns idiotas. Quando vi que não haveria necessidade, parei para analisar o que o garoto havia falado.

O primeiro momento de tensão entre nós já havia acontecido e decidi que, como haviam parado, seria um bom momento para me alongar, afinal de contas tudo parecia me levar a crer que aquela “calmaria” não seria eterna. Estiquei meus braços, alonguei as pernas, girei o pescoço e ouvi alguns estalos. E quando vi uma deixa, respirei fundo e enfim fiz o que não me era muito comum para com pessoas que não conhecia. Segurei a pedra vermelha que havia me jogado e então falei: — É, tenho que concordar que foi bem pensado, Tarwick. Gostei dessa estratégia... – Sinalizei positivamente com minha cabeça. “E também gostei de você admitir que sabe persuadir muito bem as pessoas, irei ficar atento com você. E se for verdade sobre o que falou de sua capacidade física, não me dará muitos problemas...” . Olhei para o garoto e rapidamente fui para a face da loira e da ruiva. — Mas acho que você está muito apressado. Sabe esse...  — Fiz um gesto imitando o que o garoto havia feito. —...toque que você pareceu dar, ahm, acho que Tess, né? — Olhei para a loira e dei um largo sorriso momentâneo. — Então, sabe isso? Já soube de gente morrer por menos na prisão! Digo, não me entenda mal cara, mas vai com calma. — Brotei um sorriso frio. “O cara mal conhece ela, chegou agora no grupo e quer sair tendo contato físico com todo mundo? Logo depois de admitir que é bom em persuadir? Não ferra!”.  Fui para mais próximo de todos e finalizei em um tom mais apaziguador, que me pareceu ser o que mais faria dentro do grupo: tentar apaziguar as coisas. — Sem líder, todos daremos nossas opiniões e escolheremos a melhor em processo democrático. Olha já liderei diversos times na escola e até mesmo na faculdade, e sei muito bem que a melhor forma de um grupo dar certo é ouvir todas as partes. Agora, vamos continuar, ok? — Fiz um sinal para Tess para que a mesma tirasse a mão do arco que era dona. Esperei para ver as reações de cada um, mas de certo continuaria andando, não era nem opção ficar parado. Fiquei ao lado da loira enquanto voltavam o caminhar, não sabia muito bem o que esperar do rapaz, então mantive-me alerta à ele e a qualquer movimentação estranha ao redor.

         

 

”Poder — Habilidades usadas”:

—  Hipercinese
 —  Nível 3: Controlando melhor a própria mente, o sistema nervoso e os órgãos/musculos responsáveis pela movimentação corpóreo, sentimentos e emoções possuem menor efeito sobre si e sobre os efeitos das ações realizadas. Nesse nível os efeitos de medo e demais emoções, sejam criados por poderes ou de modo natural, possuem apenas 50% de seus efeitos sobre os hipercinéticos. Ao atingir o nível 10, o efeito será reduzido para 75% e ao atingir o nível 20, não sofrerão efeito algum.
Atributos:


Destreza ( 10 )
Força ( 7 )
Inteligência ( 5 )
Carisma ( 4 )
Vigor ( 7 )


Perícias:

Mira - Amador
Rastreio - Profissional
Furtividade - Amador  

Dados:

Dado 01 – Acontecimentos com o Personagem
Dado 02 – Chance de encontrar inimigos.
Dado 03 – Combate.
Dado 04 – Achar arma.












● ● ●

"I will not run αwαy from αnything."
brandon
avatar
Brandon Forsett Cromartie
the calm before
the calm before

Mensagens : 24
Data de inscrição : 09/12/2015
Idade : 21
Localização : In Heaven

Ficha do Prisioneiro
Nível: 04
Experiência:
75/100  (75/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Hunted em Qua Jan 20, 2016 12:12 am

O membro 'Brandon Forsett Cromartie' realizou a seguinte ação: Lançar dados

'D10' : 10, 8, 9, 2

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Elish Krystvøn Bordlëtch em Qui Jan 21, 2016 12:54 pm

Survive
Permaneci fitando minha prova até que finalizassem o tempo de teste, algo que tornou-se longo e cansativo. Não havia gostado nem um pouco da aproximação do garoto localizado, na carteira a minha frente. Ninguém daquela sala tinha permissão para sequer tocar em um fio de meu cabelo. A raiva certamente havia tomado conta de mim, mas preferi ignorar por hora para não ser eliminada do teste. Todos aqueles que foram aprovados haviam permanecido na tal sala de aula, aguardei o momento de chamarem por meu nome e ser eliminada pela segunda vez desses "eventos". O momento não veio, eu havia passado para a próxima fase. Perguntava-me se realmente todos daquela sala sabiam as respostas daquele teste, eu duvidava muito. O que estava listado nas questões era consideravelmente difícil demais para que pudessem responder tranquilamente. Não deveria ser a única que havia colado na prova, sentia-me um pouco menos culpada por meus atos. Você se pergunta o motivo de sentir culpa por algo tão "banal", longos anos de minha vida foi ocupado pelos estudos. Tal ação não se torna bem vinda.

Antes que pudesse questionar-me qual seria o próximo teste, a sala de aula pareceu oscilar como se estivesse vendo estática de televisores, no momento seguinte a escuridão prevaleceu. Levantei-me repentinamente, tentando enxergar por tamanha escuridão que me cercava. Logo a ambientação de meu novo lugar tornou-se visível aos meus olhos, um grande portão metálico encontrava-se a minha frente. Logo notei que haviam outras pessoas ao meu lado, o rapaz que havia atrapalhado-me durante o teste também estava ali. Seria então uma equipe? Havia tentado atacar alguém da mesma equipe que pertencia, seria punida durante o teste por meus atos anteriores? Esperava que não, ou ambos seríamos punidos e nosso grupo poderia acabar sofrendo as consequências por nossa causa. Mas pensando bem, não tem como descobrirem o que fizemos durante a prova. Sei que meu ataque não foi bem sucedido e, caso o garoto tenha tentado alguma coisa, não pude sentir quaisquer diferença.

Perguntava-me o que poderia estar por trás destas portas gigantes de metal, uma das primeiras coisas que devem ser aprendidas no presídio é que nunca devemos esperar algo bom nos testes. Não notei que havia um homem encapuzado em frente a entrada, nem sequer sabia que sele estava ali quando notei a grande porta. Focalizei o olhar em seu porte, não era possível descobrir sua identidade de forma alguma. Com a voz visivelmente distorcida, o rapaz nos informou que precisávamos de duas pedras, uma vermelha e outra azul, como também era necessário chegar ao centro da floresta. Então esse seria o nosso lugar, uma floresta. Conseguiria me dar bem numa floresta? Lembro-me de ir acampar quando menor numa excursão escolar, tudo ocorreu perfeitamente bem. Mas claro que a situação era completamente diferente, não havia nada mais do que alguns esquilos e centenas de mosquitos no dia da excursão.

3... 2... 1... Um apito estridente ecoou por toda a extensão do local que nos encontrávamos, a grande porta metálica se abriu. Com um breve suspiro pesaroso, adentrei a grande floresta que nos cercava, assim que todos estavam localizados nas extremidades da floresta, a porta se fechou. Observei os detentos que poderiam ser meus "aliados", um deles já ra conhecido por mim, a moçoila loira que, se bem me recordava, chamava-se Tessa. A única que era possível dizer que conhecia algumas informações. Os outros dois não me eram conhecidos, nem sequer sabia se um dia havia encontrado ambos no presídio. O primeiro a tomar alguma iniciativa disse que se chamava Thomas, e que gostaria de ser o líder da equipe. Um líder? Isso seria mesmo necessário para conseguirmos ganhar essa etapa? Imaginava que não. Apenas precisávamos de organização, cada um ter seu papel dentro do grupo, discussões sem utilidades eram dispensáveis. Estávamos aqui por um propósito e não deveríamos desvencilhar de nossos planos. Preferi manter-me quieta e observar ao redor, usava meus sentidos para sentir quaisquer diferença que pudesse encontrar, algo que pudéssemos utiliza futuramente.

Com a ajuda de meus sentidos aguçados, procurei por uma pedra sílex. Mesmo que tenha meus poderes para conseguir me defender, ainda seria bom encontrar algum tipo de arma, Tessa era a única que havia ganhado alguma coisa. Não sabíamos quanto tempo ficaríamos ali, então também seria necessário encontrar alimento e água. Procurava por uma pedra sílex sem quaisquer irregularidade que pudesse atrapalhar-me no processo, grande o suficiente para que pudesse consertar algum erro. Com a ajuda de outra pedra mais resistente, iria transformar a pedra sílex numa espécie de lâmina longa e afiada. Sentia-me na Idade Média, fazendo meus próprios itens para sobreviver, algo que não era comum nos dias atuais. Tentaria dar meu máximo para conseguir criar, mesmo não tendo muita habilidade nisso. Assim que estivesse mais larga e um pouco fina, meu trabalho estaria feito.

Procurei por frutas boas para consumo nas árvores e arbustos, esperando encontrar alimento suficiente para todos da equipe. Assim como água, deveria haver alguma corrente de água pela floresta, avisaria a equipe caso encontrasse. Poderia ver os rastros de calor de quaisquer adversário que pudesse encontrar, apenas esperava completar este desafio e conseguir chegar ao centro da floresta com ambas as pedras necessárias.

Adendos
Elish evitou quaisquer interação com os demais detentos do grupo, mas seguiu as "ordens" que lhe foram sugeridas. Arriscou-se na criação de uma lâmina afiada produzida com uma pedra sílex, algo que poderia utilizar num combate. Buscou por água e alimento para o grupo, sempre mantendo-se atenta ao perigo nas redondezas.
Dado 01 – Acontecimentos com o personagem.
Dado 02 – Chance de encontrar inimigos.
Dado 03 – Combate.
Dado 04 – Criação da lâmina.
Dado 05 – Busca por alimentos bons para consumo.
Dado 06 – Busca por água boa para consumo.
Perícias/Atributos/Poderes
Mira - Amador
Destreza 07
Força 05
Inteligência 09
Carisma 03
Vigor 06
Nível 01 - Assim como dragões, os sentidos do mutante são aguçados, mas não em sua forma máxima, somente consegue ver, ouvir e cheirar até 50 metros.
Nível 04 - Olhar térmico, répteis conseguem sentir rastro de calor ao seu redor, os olhos dos draconianos são verdadeiros sensores do fluxo de calor.
I Hate Freaks, I Hate All


Última edição por Elish Krystvøn Bordlëtch em Qui Jan 21, 2016 1:07 pm, editado 1 vez(es) (Razão : Arrumar o "3... 2... 2...")

● ● ●

Then give it up, you don't need that stress. You're still hungry for another test, Are you having fun? Oh, tell me how did it feel? Did it all get too real for you?
avatar
Elish Krystvøn Bordlëtch
the sherlock's
the sherlock's

Mensagens : 11
Data de inscrição : 25/12/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 03
Experiência:
50/100  (50/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Hunted em Qui Jan 21, 2016 12:54 pm

O membro 'Elish Krystvøn Bordlëtch' realizou a seguinte ação: Lançar dados

'D10' : 10, 5, 9, 8, 2, 7

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Hunted em Qui Jan 21, 2016 7:03 pm



Survival!
H U N T E D


Survival II – Floresta Proibida

Thomas se colocou como líder sobre a equipe e deu ordens para que os outros de seu grupo obedecessem. O jovem foi o primeiro a adentrar toda a floresta, procurando algo que fosse útil para seu time. O rapaz teve sucesso em encontrar duas boas laranjas para usar de consumo, mas acabou tendo problemas em encontrar outras coisas. O jovem sentiu sua cabeça ficar zonza, atrapalhando seus pensamentos. Sua cabeça esquentou e muito suor escorreu de sua testa, seu corpo quase todo ficou úmido. Thomas caiu de joelhos e pediu ajuda num tom baixo. Este já não tinha mais forças para continuar.

Tessa por sua vez esta atrás do rapaz, a garota se apressou para encontrar algo que fosse útil para o time, mas caiu no "feitiço" de Thomas, sendo influenciada por este. A garota andou caminhos pequenos até encontrar um lago de tamanho médio, suficiente para pegar um pouco de água ou então beber. Em seguida a garota achou um maracujá pronto para ser consumido, mas se distraiu, sendo atingida por um líquido amarelado que queimou sua pele e causou grande ardência.

Brandon avançou sem sucesso, sua busca para encontrar alguma arma foi em vão e suficientemente cansativa. O garoto se perdeu de seu time e foi atingido por uma flecha no centro de sua barriga, causando sangramento e o deixando fraco o suficiente para não conseguir andar. O rapaz gritou, mas chamou a atenção de muitas coisas ao seu redor. O jovem ficou encostado numa arvore, esperando que alguém aparecesse para ajuda-lo.

Elish estava silenciosa, mas atenta a tudo ao seu redor. Ela seguiu Tessa e conseguiu água no mesmo ambiente que a outra, podendo escolher se bebia ou tentava guardar em alguma coisa. A garota não teve sucesso em encontrar alimentos, mas em compensação fez uma espécie de faca utilizando uma pedra, esculpindo tal mineral. A jovem estava sentada num tronco esperando Tessa a encontrar, mas foi surpreendida por uma cobra que enrolou-se por seu corpo e a estrangulou, quase a deixando inconsciente, mas a garota de seu time chegou a tempo de salva-la.

Extras

2800 metros percorridos.

Vocês deverão lançar a quantidade de dados a baixo, mas todos devem ser D10.

Dado 01 – Acontecimentos com o personagem.
Dado 02 – Combate.

Dados extras podem ser lançados em caso de buscas de alimentos, água, arma ou de ações como fazer fogueira, fazer veneno, construir armadilha, procurar abrigo. Lembre-se: deve ser lançado um dado por ação diferente.

Situações

Equipe com a pedra vermelha.

Equipe 013:
Thomas:
HP: 90/100.
Combate: 06.
Fome: 30%.
Sede: 30%.
Itens: Duas laranjas.
Status: Febre, dores intensas na cabeça, confusão mental.

Elish:
HP: 85/100.
Combate: 09.
Fome: 30%.
Sede: 30%.
Itens: Uma pedra cortante.
Status: Muita falta de ar, dores intensas no corpo e dificuldade para respirar, correr.

Brandon:
HP: 85/100.
Combate: 09.
Fome: 30%.
Sede: 30%.
Itens: Nenhum.
Status: Corte médio no centro da barriga, causando muito sangramento.

Tessa:
HP: 95/100.
Combate: 01.
Fome: 30%.
Sede: 30%.
Itens: Um arco com sete flechas, um maracujá.
Status: Intacto.

Informações Finais

O post pode ser editado caso seja necessário, mas a preferência é evitar.

No final de sua narração coloque observações que sejam essenciais para a avaliação. Um exemplo é citar suas ações, o que tentou fazer, como fez e etc.

Sejam criativos com o que vão fazer, isto vale bastante.

O post tem um prazo de uma semana. Podendo postar até o dia 30/01/2016 às 19:00 ou então até o narrador postar.

Qualquer dúvida poderá ser mandado MP ou então perguntar no Chatbox.
@DFRabelo

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Thomas Tarwick em Dom Jan 24, 2016 10:53 pm


Por que laranjas?
Heroes always get remembered
But you know legends never die
And if you don't know, now you know
I'm taking back the crown
I'm all dressed up and naked
I see what's mine and take it

Selvagens, resmungou Thomas. Selvagens e cegos, sim, são esses meus companheiros de equipe. Apesar de Elish e Brandon não terem concordado com a liderança, era meio que evidente que o loiro era quem tomava a decisão por eles. Nada mais justo, afinal, Elish, Tessa e Brandon entendiam os poderes e podiam sobreviver, mas Thomas entendia pessoas, sabia como usá-las para sobreviver. E para matar.

Thomas passou a andar pela floresta, podia observar Tessa e Elish e ouvir suas vozes em algum lugar a sua direita, mas havia perdido sinal de Brandon. Quando se tocou disso, um calafrio percorreu a espinha do manipulador. Não nutria sentimentos pelo hipercinético, mas sabia que a pedra vermelha era a sua chance de vencer, então tecnicamente Brandon representava a vitória.

Por teimosia, decidiu primeiro continuar sua busca por alimentos antes de procurar o garoto, encontrando duas boas laranjas, mas pelo tipo de fruta que encontrou estreitou os olhos procurando alguma informação que poderia ser útil para descobrir o lugar que estavam. Muitos países plantam esse fruto, lembrou o manipulador, podemos estar em qualquer lugar. Se fossem mirtilos eu podia deduzir que estamos em uma região fria, o que seria interessante para procurar abrigo, mas laranjas. Não posso pensar em nada com laranjas.

Estava feliz por ter encontrado algo, mas não era o suficiente. Estavam em quatro pessoas, dividir metade para cada um não iria matar a fome de todos, mas por ser uma fruta cítrica, sabia que tinha diversas vitaminas. Todos precisariam  daquilo para continuar. O egoísmo foi jogado de lado e o manipulador passou a pensar no bem da equipe.

Enquanto procurava Tessa e Elish, sentiu uma vertigem forte, fazendo-o cair de joelhos no chão. Protegeu os frutos que conseguiu aproximando-os do corpo para não rolarem para longe, então a vertigem se intensificou. As mãos tremiam e seu corpo suava, estava em estado febril. Respirou ofegante olhando em volta com a visão turva, até ouvir um grito alto de uma voz potente, era Brandon.

-Não ligo para o que aconteça comigo agora, vou poder me cuidar depois mas... – Disse em voz alta, olhando para o nada, levantou-se com dificuldade – Aquela pedra não pode ser perdida.

E então cambaleou na direção do som. Era difícil andar com o mal estar que o havia pego de surpresa, mas tentou ignorar tudo aquilo. Quando estivesse com a equipe teria tempo para descansar, ou pelo menos esperava isso caso o grito de Brandon não tivesse atraído outras visitas indesejadas.

---

Chegou ao local onde havia ouvido Brandon e o encontrou escorado em uma árvore. Torceu o nariz ao ver uma flecha cravada em sua barriga, alguém o havia pego de surpresa pelo que parecia. Então sem pensar duas vezes, tirou a própria camisa de detento e cambaleou até Brandon, apoiando a mão na mesma árvore em que o garoto estava encostado.

Observou de perto o ferimento olhando para o hipercinético sentindo os olhos pesados, então entregou uma laranja em suas mãos. Sabia que com a quantidade de sangue que o jovem havia perdido, seria necessário muita água para repor, além de vitaminas, o que frutas cítricas tem de monte. Que bom que havia encontrado aqueles frutos anteriormente, caso contrário não saberia o que fazer.

Quebrou a parte da flecha que estava para fora, então levantou a camisa de Brandon na altura em que o machucado estava, então passou a própria camisa em volta do corpo do garoto, improvisando uma atadura, mas ainda não fechando. Sabia que alguém ali deveria ter um poder que ajudaria Brandon. Nesse momento lembrou de Elish e seus poderes de dragão. Gostaria de chama-la, mas provavelmente o grito de Brandon havia atraído inimigos. Então o manipulador tocou o ombro do ferido e olhou em seus olhos, sorrindo de forma amigável.

-Você não sente tanta dor – Disse usando os poderes de persuasão – A dor é bem menor do que antes. Continue mantendo a pedra segura, amigo. – Então esperando que funcionasse, olhou em volta e gritou com todo ar de seus pulmões – Tessa, Elish, venham aqui! Eu matei três deles e o último fugiu!

Era um blefe, mas caso houvesse algum grupo por perto, poderiam ficar intimidados com tal afirmação. Quando Elish e Tessa chegassem, Thomas iria pedir para a ruiva cauterizar a ferida de Brandon com seu fogo de dragão e em seguida iria terminar a atadura. Explicaria o que havia acontecido e o que tinha visto. Propondo dividir a última laranja entre eles.

Enquanto isso estava encostado na mesma árvore que Brandon, respirando controladamente e observando tudo a sua volta, tentando se recuperar da tontura e procurando detectar inimigos ou mais alimentos para ajudar a equipe.

ações/dados:
Dado 01 – Acontecimentos com o Personagem
Dado 02 – Combate.
Dado 03 – Persuadir Brandon para ele sentir menos dor.
Dado 04 – Fazer o curativo em Brandon.
Dado 05 – Detectar inimigos.
Dado 06 – Procurar alimentos.
atributos:
Destreza - 01
Força - 4
Inteligência - 12
Carisma - 12
Vigor - 5
perícias:
Psicologia [Mestre]
Furtividade [Profissional]
poderes usados:
NÍVEL 5 – (sentimentos passageiros) O jogador consegue amenizar e/ou modificar sensações passageiras e/ou momentâneas. Necessita do toque e do contato visual direto. Atinge uma pessoa por vez. Efeito não definitivo.
Ex: Ana é persuadida a ficar com ciúmes de Pedro (que está falando com outra pessoa), coisa que normalmente não aconteceria.


FIRST TAG | SECOND TAG | THIRD TAG



● ● ●

Would u go out of your way to live by the words that I will say?
avatar
Thomas Tarwick
the stuck-ups
the stuck-ups

Mensagens : 34
Data de inscrição : 30/11/2015

Ficha do Prisioneiro
Nível: 16
Experiência:
70/100  (70/100)
Mochila:

Ver perfil do usuário

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Hunted em Dom Jan 24, 2016 10:53 pm

O membro 'Thomas Tarwick' realizou a seguinte ação: Lançar dados

'D10' : 1, 9, 9, 1, 8, 4

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Hunted em Sab Jan 30, 2016 1:17 pm



Survival!
H U N T E D


Survival - Finalização

Se você não quiser ler um desabafo off, não precisa continuar a leitura, apenas pule o texto a baixo e veja as premiações.

Primeiramente boa tarde ou então bom dia, boa noite, dependendo do horário que esta lendo. Eu queria pedir desculpas, muitas desculpas, perdão e tudo mais, pois eu sinceramente queria dizer que eu NÃO aguento mais me sentir mal, mas não é simplesmente pelas coisas bobas que estão ao meu redor ou então só o off ou on, só quero uma pausa, algo que faça eu me sentir melhor. Provavelmente alguns já perceberam que eu sumi completamente de todos os RPG que eu jogava, minha frequência neles era de conectar, dar uma olhada e sair. Minha cabeça ta confusa, meu corpo ta cansado e minha mente ta perdida. Eu sinceramente quero tentar relaxar, parar de me preocupar com tantas coisas. Eu me sinto estranho, me sinto fraco e exausto com a vida que eu levo. Eu estou numa correria enorme, minha vida esta resumida em trabalho para casa e casa para trabalho e isso ta acabando comigo, mas não é nem por eu não gostar, até gosto, mas eu to cheio de problemas para resolver, não tenho tempo para pensar em continuar o evento e novamente eu peço desculpas por isso, pois eu to com a cabeça cheia de coisas e não consigo chegar, sentar na frente do not e ler os posts e fazer uma narração, pois parece que minha cabeça esta cada vez mais fraca e perdida, eu chego com vontade de me jogar na cama, ver uma série e relaxar, não tenho como ficar me preocupando com outras coisas, por mais que sempre eu fique com aquilo na cabeça, sempre pensando nos problemas que tenho que resolver e isso ta foda pra mim. Bom, queria agradecer a todos os administradores que provavelmente, alguns deles estão jogando no evento e estão trabalhando pelo RPG, OBRIGADO! Mesmo! Pois sem vocês isso iria cair, ele já esta, querendo ou não. Eu também queria agradecer todos os membros que jogam e não abandonaram e que estavam ansiosos pelo resultado da segunda etapa, mas infelizmente eu estou abandonando o barco, quem sabe eu apareça por aí uma vez ou outra, mas não para trabalhar de novo, por que de trabalho já tenho demais em off. Aff gente, eu juro que não queria finalizar ele dessa forma, mas era o único meio para ver se eu fico menos sobrecarregado. Eu era acostumado a dormir umas 23, não aguento ficar acordo, durmo umas 22 ou 22 e pouco e mesmo assim levanto cansado. Eu vou num psicologo nessa semana para ver o que eu tenho, acredito eu que seja estresse, irritabilidade, nervosismo... transtorno de ansiedade eu já tenho, mas o que mais poderia piorar? Minha vida esta me esgotando. E se você que ta lendo é meu amigo, peço desculpas caso eu pareça um esnobe as vezes ou então não responda direito, sinceramente eu não to bem comigo mesmo, to meio cabisbaixo, tentando sorrir de verdade, mas o que parece é que é simplesmente eu levanto o canto dos lábios e tento fingir que estou feliz...Bom, qualquer coisa se eu desaparecer, provavelmente eu estou no trabalho ou então em casa tentando relaxar. Preciso de calmante... MINHA CABEÇA TA PÉSSIMA, sério! Eu já não to falando coisa com coisa, perdão. To misturando tudo, to parecendo louco, mas acho que com o tempo vou melhorando. Me desculpem pelo desabafo, pela encheção de saco ou então mil perdões por finalizar dessa forma o evento. Se precisarem de mim, já sabem como me procurar, SKP, WPP, FB... onde desejarem. Se esse texto estiver confuso ou então muito embaralhado, peço novamente desculpas, eu não revisei, só escrevi o que tava sentindo... desculpa de novo... Até logo.

P R E M I A Ç Õ E S

- Jogadores que postaram uma vez na segunda etapa: +350 de experiência, +3 pontos de perícia, +3 pontos de atributos, +2 itens normais a sua escolha (Não podem ser ofensivos).

- Jogadores que postaram duas vezes na segunda etapa: +500 de experiência, +5 pontos de perícia, +5 pontos de atributos, +3 itens normais a sua escolha e +1 item ofensivo ruim. (Faca enferrujada, canivete quebrado, garrafa quebrada, espelho cortante.)
@DFRabelo

● ● ●

avatar
Hunted
this is our reign
this is our reign

Mensagens : 474
Data de inscrição : 27/11/2015

Ver perfil do usuário http://hunted.forumeiros.com

Voltar ao Topo Ir em baixo

Re: [Evento] Survival II - Floresta Proibida, Equipe 013

Mensagem por Conteúdo patrocinado


Conteúdo patrocinado


Voltar ao Topo Ir em baixo

Ver o tópico anterior Ver o tópico seguinte Voltar ao Topo


 
Permissão deste fórum:
Você não pode responder aos tópicos neste fórum